Com mudanças nas regras, nova poupança rende mais com alta dos juros

Com as mudanças nas regras de remuneração da nova poupança, o rendimento fica menor com a queda dos juros, estando agora atrelado às variações da taxa Selic. Ainda assim, a poupança continua sendo um investimento atrativo. 

Com mudanças nas regras, nova poupança rende mais com alta dos juros
Saiba o que mudou com a nova poupança

Depois das mudanças  que o governo implementou nas regras de remuneração da chamada nova poupança, o rendimento para as finanças pessoais passou a estar condicionado aos juros básicos da economia. 

Resumindo, o que mudou é que agora o rendimento da nova poupança fica menor com a queda dos juros. Ou seja, o rendimento vai variar de acordo com a Selic e a taxa referencial. Segundo as novas regras, quando a taxa Selic estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança passa a ser calculado em 70% da Selic, mais a taxa referencial, o que representa uma queda no rendimento. Com a elevação da taxa Selic para mais de 8,5%, a poupança volta a render 0,50% ao mês, podendo chegar a um rendimento de quase 6,2% ao ano.

Esta regra só é aplicada para a chamada "nova" poupança, ou seja, as cadernetas de poupança abertas a partir de maio de 2012.

 

Poupança ou investimento de renda fixa

Ainda assim, a poupança continua sendo uma opção mais atrativa e popular do que os investimentos de renda fixa para as finanças pessoais. Hoje no Brasil, quase 110 milhões pessoas investem numa caderneta de poupança. Com a vantagem de ser um investimento seguro para poupadores de diferentes portes, a poupança continua conquistando muitos adeptos, desde pessoas que fazem pequenos depósitos para uma poupança a longo prazo, até pessoas que fazem aplicações de curto prazo, com uma meta de consumo definida.

A caderneta de poupança se tornou muito popular justamente pelo fato de permitir aplicações de valores muito baixos, com rendimento mensal. No entanto tem uma baixa rentabilidade, sobretudo a curto prazo, sendo muito frequente, inclusive, que o rendimento da poupança fique abaixo da inflação.

Por outro lado, os bancos não cobram taxas de administração das contas poupanças, que também são isentas de IR e IOS, e ainda podem ser resgatadas parcial ou totalmente, a qualquer momento.

Gostou? Compartilhe!
Na Web:

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar