Caixa não tem mais dinheiro para financiar imóveis de R$ 225 mil a R$ 500 mil

A Caixa Econômica Federal esgotou os seus recursos financeiros para aprovar novos financiamentos de imóveis com valores entre R$ 225 mil e R$ 500 mil.

Caixa não tem mais dinheiro para financiar imóveis de R$ 225 mil a R$ 500 mil
Com essa escassez de recursos, financiamentos podem ficar mais difíceis

A Caixa Econômica Federal esgotou os seus recursos financeiros para aprovar novos contratos de financiamentos de moradias entre R$ 225 mil e R$ 500 mil. A restrição começou no fim de abril, apenas dois meses após a CEF receber R$ 7 bilhões para financiar a compra da casa própria pela linha Pró-Cotista FGTS. A linha é considerada uma das mais vantajosas do mercado.

A Caixa ainda possui recursos para duas de suas três faixas de valor: de até R$ 225 mil ou entre R$ 500 mil e R$ 750 mil. Como a faixa de R$ 225 mil a R$ 500 mil é a mais comum, o banco pediu para o Conselho Curador do FGTS para utilizar de forma livre o recurso que sobrou: cerca de R$ 3 bilhões.

De janeiro a abril deste ano, a caderneta de poupança já chegou a perder R$ 32,296 bilhões em aplicações. Com isso, os bancos (inclusive a Caixa) se viram obrigados a buscarem outras fontes de recursos para o financiamento da casa própria.

Para compensar a escassez de recursos da poupança, o Conselho Curador do FGTS liberou R$ 21,7 bilhões para o mercado imobiliário.

O que é a linha Pró-Cotista

A linha Pró-Cotista é destinada aos trabalhadores com, no mínimo, três anos de vínculo com o FGTS, que estejam em atividade ou tenham em sua conta do FGTS um saldo de pelo menos 10% do valor total do imóvel a ser financiado. O imóvel a ser comprado pode ser novo ou usado, desde que tenha valor máximo de R$ 750 mil.

A Pró-Cotista, operada apenas pela Caixa e pelo Banco do Brasil, possui taxa de juros anual de 8,66% ao ano, sendo assim a linha imobiliária mais barata do mercado, depois dos financiamentos do programa Minha Casa Minha Vida, para imóveis novos até R$ 225 mil.

Nesta linha de crédito, a Caixa Econômica Federal esgotou os seus recursos financeiros para aprovar novos financiamentos de imóveis, que são aqueles com valores entre R$ 225 mil e R$ 500 mil.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Tati Barros Tati Barros

Tati Barros é jornalista por formação e por vocação. Mineira apaixonada pelas palavras, gosta de escrever sobre viagens, assuntos que envolvem o universos feminino e tudo o mais que a inspira.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar