Aluguel tem alta de 7,17% no ano

Aluguel teve alta, mas bens intermediários como combustíveis e lubrificantes usados para a produção caíram

Aluguel tem alta de 7,17% no ano
No ano anterior o aluguel teve alta de 10,54%

O aluguel teve alta acumulada de 7,17% no ano de 2016. Em 2015, a alta foi de 10,54%. Os dados avaliam o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que reajusta os alugueis, e foram divulgados pela Fundação Getúlio Vargas.

Em dezembro, o aluguel teve alta de 0,54%. No entanto, em dezembro do ano passado, a variação havia sido de 0,49%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou taxa de variação de 0,69%. No mês anterior, a taxa foi de -0,16%.

No grupo Bens Intermediários, o índice variou 0,53%. Esses bens são as matérias-primas que são consumidas na produção de outros bens, como os bens de consumo duráveis. Por exemplo, o vidro que é usado na fabricação de um copo ou o papel usado na impressão de um livro.

Em novembro, a taxa para os Bens Intermediários foi de -0,43%. O principal responsável por este resultado foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa de variação passou de -3,82% para -0,51%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou taxa de variação de 0,69%. No mês anterior, a taxa foi de -0,16%. O índice relativo aos Bens Finais variou -0,26%, em dezembro. Em novembro, este grupo de produtos mostrou variação de -0,82%. Contribuiu para este avanço o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa de variação passou de -8,90% para -5,04%. Excluindo-se os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, o índice de Bens Finais (ex) registrou variação de 0,12%. Em novembro, a taxa foi de 0,17%.

No estágio inicial da produção, o índice do grupo Matérias-Primas Brutas variou 1,96%, em dezembro. Em novembro, o índice registrou variação de 0,90%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram:

  • minério de ferro (9,04% para 17,53%),
  • soja (em grão) (-2,42% para 0,38%)
  • e leite in natura (-8,78% para -6,34%).

Em sentido oposto, destacam-se:

  • café (em grão) (8,30% para -2,03%),
  • mandioca (aipim) (8,70% para 0,84%)
  • e milho (em grão) (-3,92% para -6,17%).

Inflação

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,20%, em dezembro, ante 0,26%, em novembro. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo habitação (0,26% para -0,62%).

Apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos:

  • Transportes (0,53% para 0,45%),
  • Saúde e Cuidados Pessoais (0,63% para 0,60%)
  • e Comunicação (0,40% para 0,12%).

Em contrapartida, apresentaram acréscimo os grupos:

  • Alimentação (-0,07% para 0,21%),
  • Educação, Leitura e Recreação (0,32% para 1,16%),
  • Despesas Diversas (0,14% para 1,04%)
  • e Vestuário (0,14% para 0,36%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em dezembro, taxa de variação de 0,36%. No mês anterior, este índice variou 0,17%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,15%. No mês anterior, a taxa havia sido de -0,05%.

Gostou? Compartilhe!
Eduardo Pinheiro Eduardo Pinheiro

É jornalista e historiador, natural de Goiânia. Tem interesse por jornalismo cultural, jornalismo digital, temas do cotidiano e assessoria de imprensa.

Na Web:

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar