Dicas para comprar moto usada

Para comprar moto usada e não ter dor de cabeça, é preciso tomar alguns cuidados básicos. Do histórico da moto à condição mecânica, veja que aspectos deve observar.

Dicas para comprar moto usada
Cuidados que se deve ter ao comprar moto usada
  • Confira 5 dicas para comprar moto usada e alguns cuidados que deve tomar para fazer um bom negócio.

Por diferentes motivos, muitas pessoas optam por comprar moto usada, seja por causa do preço, ou pela preferência por um modelo antigo que não é mais fabricado. Mas independente da motivação para comprar moto usada, é preciso ter alguns cuidados para não ter dor de cabeça e fazer um bom negócio.

 

Faça uma simulação de consórcio de moto e encontre a solução mais barata.

 

5 DICAS BÁSICAS PARA COMPRAR MOTO USADA

1. Escolha o tipo de moto que combina com você:

Se você já decidiu comprar moto usada, tem um motivo para isto. Se é por uma questão financeira, já sabe quanto pode pagar pela moto. Mas não se sinta condicionado. Há modelos e marcas de modelos variados por preços muito aproximados e que oferecem uma relação de custo-benefício mais ou menos vantajosa. Por isso, pesquise o modelo da moto que melhor combina com você e com o seu estilo de vida.

 

2. Faça uma pesquisa de mercado:

Depois de escolher a moto, pesquise em sites, nos classificados de jornal, em revendedoras e consulte a tabela FIPE para ter uma noção do custo médio da moto, de acordo com o modelo, o ano, a versão e as características técnicas. Se o preço estiver muito abaixo do valor de mercado, desconfie e faça um check-up cuidadoso. Se estiver acima, veja se a moto tem atributos que justifiquem isto.

 

Veja um comparativo de motos populares.

 

3. Conheça o histórico da moto:

Procure conhecer o histórico da moto, quantos donos já teve, se já sofreu algum acidente, que peças foram trocadas, confira a quilometragem, pergunte sobre o consumo de combustível médio da moto, veja quando foi feita a última revisão, e consulte junto ao DETRAN do seu estado se a moto está em situação regular, se o Renavam corresponde ao da moto, se não há alienações, ou dívidas de IPVA e DPVAT.

 

3. Evite comprar de concessionárias:

Mesmo a moto sendo usada, as concessionárias acabam aplicando preços mais altos do que as revendedoras ou os proprietários particulares. Claro que as concessionárias, no geral, conseguem dar mais garantias do estado de conservação da moto, e é até mais fácil reclamar, caso note algum problema do que se comprar a moto diretamente do proprietário, por exemplo.

Mas, é mais fácil negociar fazendo um negócio com um particular ou através de uma revenda. Tudo depende também de quanto pode disponibilizar para comprar a moto.

 

4. Faça um check-up na moto:

- Veja se não há trincas ou arranhões nos espelhos e lanternas, pode ser um indicativo de colisão ou queda;

- Veja se o guidão e o garfo alinham-se com a roda de modo a formar um T. Se estiver desalinhado, pode ser também um sinal de acidente;

- Confira a quilometragem, se a moto já tiver alguns anos e a quilometragem for muito baixa, pode haver alguma burla;

- Veja se os pneus sofrem desgaste de modo uniforme;

- Confira se o número do chassi da moto, que fica atrás do garfo, é igual ao número do documento;

- Levante o banco e veja se não há gambiarras na parte elétrica;

- Veja se o escapamento é original ou se é do mesmo padrão da moto.

 

5. Faça um test-drive:

Peça para fazer um test-drive e escolha você o caminho. Passe por curvas, quebra-molas, teste os freios, os faróis, etc. 

 

Leia também » Posso aderir a um consórcio de motos usadas?

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar