Como enfrentar a volta ao trabalho após a licença-maternidade

A volta ao trabalho após a licença-maternidade pode ser difícil para a mãe. Saiba quais atitudes podem melhorar a situação e facilitarão seu retorno à rotina profissional.

Como enfrentar a volta ao trabalho após a licença-maternidade
Adaptação deve começar antes mesmo do fim do período

A volta ao trabalho depois da licença-maternidade não é nada fácil, principalmente para as mamães de primeira viagem. E essa é uma situação bem comum, afinal, é bem difícil se distanciar nos primeiros meses de vida do bebê, mesmo que por apenas algumas horas.

Para ajudar nesse momento de transição, separamos algumas dicas de médicos e especialistas sempre aconselham na volta ao trabalho após a licença-maternidade. Confira e indique para aquela amiga-mamãe que está passando por isso.

Como é a volta ao trabalho após ser mãe

A maioria dos especialistas afirmam que a preparação para a volta ao trabalho deve começar antes mesmo do momento se aproximar e, se possível, já durante a gravidez. Ou seja, é importante que a mãe tenha a consciência de que a licença-maternidade é temporária e usar os meses dessa licença com prudência. Se a mulher ocupa um cargo que ela julga difícil de lidar com a nova realidade materna, também é o momento de cogitar mudanças no trabalho, tornando a rotina mais fácil e flexível para conciliar com a maternidade.

Outro ponto que ajuda a dar mais tranquilidade às mamães é quem cuidará do seu bebê enquanto ela estiver no trabalho. Inicialmente, deixar o pequeno com um parente próximo ou amigo de confiança pode gerar mais segurança na mãe. A opção de deixar uma babá cuidando do bebê em casa também pode ser uma boa, mas nunca descarte creches e escolas maternais. O principal é avaliar diversos lugares e escolher o mais adequado, com profissionais responsáveis e capacitados.

Uma das maiores preocupações é sobre a amamentação. A mãe se sente quase culpada em ter que interromper a amamentação antes dos seis meses aconselhados pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Uma dica é extrair o leite em momentos de folga (com o auxílio de uma bombinha específica), e deixá-lo em mamadeiras a serem ministradas ao bebê nos horários corretos. Sempre que a mãe estiver com o filho, a amamentação deve ocorrer no seio normalmente.

Porém, é importante ressaltar que mesmo seguindo uma cartilha de dicas e regras para que a volta ao trabalho seja tranquila, a mãe deve entender que é normal sentir-se insegura quanto às decisões tomadas, e até mesmo infeliz com a situação.

Mais importante ainda é ter a consciência de que essas são sensações passageiras, além de não ter pressa para a adaptação da nova rotina longe do bebê. Estudos mostram que mãe e filho levam aproximadamente um ano para conseguirem essa adaptação por completo.

Filhos pequenos

Mas será que é só no momento de volta ao trabalho depois da licença-maternidade que as mães se sentem mal por terem menos tempo ao lado dos filhos em decorrência da rotina profissional?

Licença maternidade: saiba quais são os direitos da gestante

Muitos psicólogos afiram que o sentimento de “difícil desapego” vivido no pós licença-maternidade se repete em outros momentos na evolução da criança, como o primeiro dia de aula. Sentimento normal e despertada muito pelo instinto de proteção.

O jeito mais eficaz de lidar com isso é seguindo o cronograma de compromissos e procurando estimular a adaptação da criança, afinal, é mais fácil sentir-se bem quando vemos que o filho também está bem.

Você tem mais alguma dica para compartilhar com outras mães? Deixe nos comentários!

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar