Transferência por DOC ou TED: qual é mais vantajosa?

Existem duas opções de transação bancária que podem confundir por serem muito semelhantes: a transferência por DOC ou TED. Entenda a diferença e saiba qual é mais vantajosa para você.

Transferência por DOC ou TED: qual é mais vantajosa?
Saiba qual das duas opções é melhor para sua transação bancária.

Quem costuma transferir dinheiro para outras contas bancárias já se deparou com duas siglas como opções para a transação: DOC e TED. Além dos tradicionais métodos de depósito em caixa eletrônico ou cheques, a transferência por DOC ou TED podem ser feitas via internet banking, caixas eletrônicos e caixas presenciais. Saiba a diferença entre as duas opções e veja qual é a melhor para você.

Transferência por DOC ou TED: entenda as diferenças

Titulares de contas correntes podem fazer transferência por DOC ou TED para qualquer conta, até mesmo aquelas com o mesmo titular ou para contas poupança, e de qualquer instituição bancária. O DOC, ou Documento de Ordem de Crédito, é uma transferência bancária cujo limite máximo de envio por operação é R$ 4.999,99 e na qual o destinatário só recebe o valor no próximo dia útil após o envio.

O horário limite para envio do DOC, em dias úteis, é 21h59. Assim, se um indivíduo transferir R$ 350 às 22h30 de quarta-feira esse valor será debitado de sua conta no momento da transação, mas a pessoa que vai receber o dinheiro só consegue sacar na sexta-feira. Assim como o cheque, o DOC precisa ser compensado, e o prazo para realização do crédito na conta recebedora é de 24 a 48 horas.

Existem dois tipos de DOC: o E, para transações entre contas com titulares ou CPFs diferentes, e o D, para transações entre contas de mesmo titular ou CPF. Ambas podem ser feitas tanto por pessoas físicas quanto por pessoas jurídicas e precisam do nome do banco, numero da agência e conta e CPF ou CPF de quem vai receber para serem realizadas.

O TED, ou Transferência Eletrônica Disponível, também é uma operação de transferência interbancária que pode ser feita por pessoas físicas ou jurídicas e entre contas com mesmo titular ou titulares diferentes. A diferença em relação ao DOC é que o TED não pede um valor máximo para transferência e é creditado na conta de quem vai receber em, no máximo, dez minutos após ser debitado da conta do emitente.

O limite de horário para envio, porém, é às 17h em dias úteis. Assim, o indivíduo que precisar repassar um valor para outra conta imediatamente pode fazer isso às 13h de uma quarta-feira e o dinheiro já estará creditado às 14h. Assim como o DOC, é preciso ter em mãos as informações sobre banco de destino, número do CPF e números de agência e conta bancário do beneficiado.

Qual é mais vantajoso?

Ambas as operações de transferência por DOC ou TED têm custos. Os valores podem ser consultados pelo site da Fenabam, mas no banco Itaú, que tem as taxas mais altas, o TED ou DOC presencial sai pelo custo de R$ 15,50 e pela internet R$ 8,50. Entre contas do mesmo do mesmo banco o valor cai para R$ 1,20 (pessoal) e R$ 0,95 (outros).

A transferência por DOC ou TED via meios eletrônicos, autoatendimento e internet acaba saindo bem mais em conta, já que o preço para realização da transação presencial equivale a quase duas transações online. E levando-se em consideração que as taxas são cobradas igualmente para os dois tipos de transferência, o TED ganha por ser mais rápido e sem limite de valor, além da possibilidade de confirmação imediata sobre o sucesso da operação.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar