5 técnicas de estudo que garantem um melhor desempenho

Aderir a técnicas de estudo garantem a organização e o melhor desempenho do aluno ou candidato em um exame. Conheça as cinco técnicas mais eficazes.

5 técnicas de estudo que garantem um melhor desempenho
As técnicas de estudo são garantia de organização e fixação dos conteúdos

Seja na escola, em vias de prestar vestibular ou para um concurso público, as técnicas de estudo garantem a organização e o melhor desempenho do aluno ou candidato. Porém, algumas técnicas que julgávamos eficazes podem não ser as melhores em reproduzir esse papel. De acordo com uma pesquisa já realizada pela Association for Psychological Science, cinco técnicas foram consideradas como alta e média eficácia, enquanto outras cinco ganharam uma baixa eficiência. Veja quais são elas.

As técnicas de estudo mais eficazes

Realizar testes, explicar o conteúdo para si mesmo e estudar um pouco por dia estão entre as técnicas de estudo com mais garantia de sucesso. Conheça as cinco que lhe ajudarão a conquistar um bom desempenho.

Desafiar-se com testes

Entre as técnicas com maior índice de eficiência estão os famosos simulados e testes sobre o conteúdo em questão.

Uma vez que o conteúdo das disciplinas são lidos e assimilados, a maneira mais eficaz é resolver os mais variados tipos de testes durante os estudos. A grande vantagem deste método é justamente a possibilidade de desafio com questões de múltipla escolha, preencher lacunas, questões dissertativas, entre outras.

Quanto mais testes realizados, melhor. E quanto mais vezes eles forem repetidos em determinados intervalos de tempo, mais fácil será a fixação do conteúdo.

Distribuir o conteúdo

Procrastinação é uma atitude que deve ser abolida das técnicas de estudo. Ao contrário do que muitos pensam e fazem, estudar por horas a fio e com um curto prazo até a data das provas não funcionam. O ideal é também realizar pausas de 15 minutos a cada 1h30 ou 2h de estudo.

A maneira mais eficaz de, definitivamente gravar o que foi lido é estudar um pouco por dia, durante vários dias. Em outra constatação, a pesquisa afirma que, para gravar o conteúdo por um determinado período é necessário estudar de 10% a 20% deste tempo. Ou seja, para lembrar de algo por 5 anos, estude a cada 6 meses.

As formas mais eficazes de estudar para concurso

Questione-se

A terceira técnica mais eficiente para quem está buscando um melhor desempenho nas provas é a de fazer perguntas. O método costuma ser utilizado para estudantes a partir do Ensino Médio, por estarem, em geral, mais familiarizados com certos conteúdos. A técnica consiste, basicamente em fazer questionamentos sobre o assunto que está sendo abordado: por que isso acontece? Como isso surgiu?

Uma vez que o estudante conheça suficiente a temática, as possibilidades de questionamento aumentam, gerando novas explicações.

Dê uma aula a si mesmo

Toda vez que aprender um novo conteúdo, explique-o para você mesmo. Fique em frente ao espelho, gesticule e faça-se entender. Não leia o texto e nem repita as palavras lidas, pois a técnica só funciona uma vez que o assunto foi completamente assimilado a ponto de conseguir decodificar o que está aprendendo.

Intercale diferentes conteúdos

Insistir no mesmo assunto durante muitas horas é tempo desperdiçado e tem como resultado um cérebro cansado que não tem mais capacidade de absorver as informações. Sendo assim, para continuar concentrado nos estudos é importante intercalar as disciplinas.

Se em um dia foram determinadas por você 4 horas de estudo, tente segmenta-las em 2 ou 3 matérias distintas. Uma das justificativas para a eficiência desta técnica é que o estudante, ao retomar um tema visto anteriormente, acessa a memória de longo prazo e força o cérebro a lembrar de algo que não foi visto nos últimos minutos, ajudando na fixação do conteúdo.

As técnicas de memorização mais eficientes

Outras 5 técnicas de estudo usadas, mas não tão eficientes

Por outro lado, algumas das técnicas muito usadas pelos estudantes estão entre as outras cinco técnicas de estudo com baixa eficiência. Você concorda com elas?

Faça resumos

Os resumos são as técnicas de estudo favoritas e muito utilizadas, porém, tem baixa eficiência em provas objetivas, de acordo com a pesquisa. Porém, a técnica se mostrou com bom desempenho nas provas discursivas.

A justificativa para a má classificação no ranking se dá por conta da interpretação do próprio estudante, que pode não saber como escolher as informações mais relevantes e acabar apenas reescrevendo o texto com outras palavras.

Grife os textos

O ato de grifar tem quase o mesmo peso dos resumos: é preciso saber fazer. O que muitos estudantes gostam de fazer é grifar grandes blocos de texto, fazendo com que o excesso prejudique a filtragem dos elementos mais importantes e, consequentemente, a capacidade de lembrar o que foi selecionado.

O objetivo de grifar é apenas selecionar palavras-chave que auxiliem o estudante a assimilar melhor o conteúdo.

Faça associações mnemônicas

Bastante utilizada nas matérias de química, física ou matemática, a associação mnemônica consiste em criar músicas ou frases que remetam ao conteúdo a ser lembrado.

No entanto, essa prática pode apresentar algumas limitações, uma vez que nem todos os conteúdos podem ser transformados e, segundo estudos, esse método pode não ser muito eficiente para a memorização a longo prazo.

Associe textos a imagens

Tabelas, mapas, infográficos ou desenhos também são técnicas muito utilizadas, porém, suas limitações impedem maiores questionamentos ou dissertações hipotéticas, uma vez que o aprendizado e a criatividade estão engessados a uma imagem.

No entanto, a técnica pode ajudar a formar uma narrativa, de modo a organizar o assunto de uma maneira mais clara a partir do padrão organizado.

Releia

Após a leitura inicial, diversos especialistas recomendam uma segunda leitura a fim de relembrar os detalhes. Porém, o que poucos sabem é que a releitura tem melhores efeitos se feita em 2 a 4 dias após terminar o texto pela primeira vez.

Comparada com as demais técnicas de estudo citadas, esta é a menos eficaz, mas deve ser a primeira a ser executada antes de partir para as demais.

Conclusão

Tão importante quanto estar ciente das técnicas de estudo mais indicadas para fixar o conteúdo, o importante é testar e conferir se ela realmente funciona para você. Existem técnicas como a motivação, o planejamento e a organização do tempo, que são regra geral para qualquer pessoa, no entanto, outras funcionam bem para uns e não para outros.

Há quem assimile mais o conteúdo ouvindo, outros escrevendo e outros, assistindo. Uns preferem o dia e outros, a noite. Cada pessoa tem suas facilidades e limitações, basta descobrir qual ou quais técnicas de estudo tem maior eficácia para cada particularidade.

 

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar