10 dicas para renegociar financiamento e sair do vermelho

Nem sempre é possível pagar tudo o que deve e, assim, passamos a acumular dívidas a perder de vista. Veja como renegociar financiamento.

10 dicas para renegociar financiamento e sair do vermelho
O dinheiro apertou? Saiba como renegociar financiamento e não fazer dívidas

Em tempos de crise, as dívidas sempre aumentam. A renda familiar diminui e com o dinheiro escasso, cortar alguns gastos são primordiais para o sustento da família. Mas, muitas vezes, estes cortes são forçados, fazendo com que os débitos só cresçam. Além disso, há compromissos financeiros que não conseguimos cancelar, como um financiamento de carro. O risco é começar a atrasar as parcelas e ser devorado por juros.


Você tem um carro, casa ou algum produto financiado e chegou a um ponto que é impossível honrar com as parcelas mensais da dívida?! Saiba que você não está sozinho. Ter uma dívida pode “tirar o sono” de qualquer pessoa. Mas estamos sujeitos a problemas financeiros que levem à inadimplência.

FIQUE DE OLHO
Quer evitar dívidas com o carro? Acompanhe as dicas e informações do E-konomista.
Para solucionar este problema é preciso não só se reorganizar financeiramente, como também ir atrás de uma reestruturação da dívida. Renegociar financiamento pode ser uma boa opção e uma esperança de conseguir quitar os débitos.


Veja 10 dicas de como renegociar financiamento

1- A primeira coisa a ser feita é elaborar uma boa proposta para renegociar o financiamento. Pensar em algo realista é importante para que o acordo dê certo.


2- Mostrar interesse em pagar a dívida e procurar ter uma conversa pessoalmente com a empresa, podem te ajudar a ter mais sucesso nas negociações.


3- Jamais assuma uma dívida maior. Por exemplo: não troque de carro para “quitar” o outro. Assim, provavelmente, você terá parcelas mensais mais caras e irá solucionar um problema imediato, mas gerando uma complicação maior futuramente.



4- Quando for renegociar o financiamento, tenha em mãos documentos que comprovem a dificuldade momentânea em quitar as parcelas no valor atual. Isto pode ser de grande valia.


5- Na hora da negociação, peça uma redução de juros. De uma hora para outra, bancos ou lojas podem baixar as taxas do crédito de maneira mais expressiva, facilitando a sua vida.


Veja como funciona o refinanciamento de veículos



6- Muitas empresas realizam multirões para negociar as dívidas. Nestas ocasiões, é possível fechar melhores negócios, com oportunidade de maiores descontos. Procure saber se a empresa que você está devendo faz essas campanhas e participe!


7- É possível negociar pela internet. Alguns serviços virtuais oferecem a opção de chegar a um acordo com o credor pela internet. Eles não interferem, nestes casos, na negociação entre as duas partes. Assim como em todos os casos, é preciso confirmar a idoneidade dos sites que oferecem estes serviços.


8- Consulte os órgãos de defesa do consumidor. Qualquer dúvida que surja antes de fazer a proposta pode ser esclarecida em órgãos como os Procons de sua região.


9- Se for quitar a dívida à vista, peça descontos. Com o dinheiro em mãos, esta é a oportunidade ideal para conseguir pagar menos. O credor fica feliz em receber logo e você por pagar com abatimento.



10- E, claro, evite novas dívidas após negociar. Feita a negociação da dívida, o importante é ter cuidado para não perder o controle das finanças mais uma vez.


Crédito Pessoal

Fazer um crédito pessoal pode ser uma alternativa para evitar os altos juros das dívidas em atraso.  Faça uma simulação gratuita com o E-Konomista e veja se essa alternativa vale a pena para você.


Veja também:



Gostou? Compartilhe!
Carolina Benevides Carolina Benevides

Jornalista brasileira, Carolina Santarosa é formada pela Universidade de Fortaleza desde 2011. Atualmente cursa o 2º ano do Mestrado em Ciências da Comunicação na Universidade do Porto. A profissional já trabalhou no marketing da Red Bull, foi Assessora de Comunicação da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza e do North Shopping Fortaleza. Fez intercâmbio acadêmico nos Estados Unidos e atualmente mora no Porto (Portugal).

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar