Renda dos mais pobres caiu 9% em 1 ano

A crise afetou principalmente a classe mais baixa, onde a renda caiu 9% em 1 ano. Veja porque isso aconteceu.

Renda dos mais pobres caiu 9% em 1 ano
Veja porque a renda familiar das pessoas mais pobres diminuiu

Devido à crise atual no país e a escassez de vagas no mercado de trabalho, os trabalhadores mais pobres têm sido mais prejudicados do que as pessoas com classe social mais alta, nesse caso os mais ricos registraram ganhos salariais acima da inflação. Saiba por quê.

Entenda porque a renda mensal da classe baixa caiu 9%

A queda na renda média mensal dos trabalhadores que recebem menos de um salário mínimo por mês chegou a 9% no último trimestre, que foi fechado em junho. Esse dado foi comparado em relação ao ano anterior, segundo informação fornecida pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O grupo que mais foi afetado com a crise são os trabalhadores informais, que não têm registro na carteira e isso fez com que a situação no momento de crise, ficasse ainda pior, uma vez que esse grupo não tem garantias trabalhistas e nem remuneração fixa.

De acordo com a pesquisa, a renda média dos trabalhadores diminuiu cerca de 4% no segundo trimestre com base no mesmo período de 2015. Como consequência, o coeficiente de Gini (medida de desigualdade de distribuição de renda) dos rendimentos do trabalho passou de 0,487, no segundo trimestre de 2015, para 0,490 no segundo trimestre de 2016.

Os 'luxos' dos quais os brasileiros abriram mão por conta da crise

Para entender mais sobre esse coeficiente, o cálculo se estabelece que quanto mais perto de 0, mais próximo da igualdade, e maior a desigualdade para o número mais perto de 1. Apesar do pouco aumento no último ano, o resultado representa uma estabilidade.

Entretanto, a análise feita para chegar ao coeficiente de Gini foram apenas sobre os rendimentos do trabalho, assim, eles não mostram uma piora na desigualdade do país, mesmo nesse momento em que muitas pessoas perderam o emprego.

Problemas por causa do desemprego

Por causa do aumento na taxa de desemprego em todo no país, a renda familiar caiu e mais pessoas estão procurando emprego para suprir os gastos da família.

O único grupo de idade em que não houve redução na ocupação foi pessoas com mais de 59 anos, ou seja, a população idosa. Nesse caso, a taxa de pessoas empregadas teve um aumento de 44% e passou de 3,29% no primeiro trimestre para 4,75% no segundo trimestre.

Entretanto, aumentou também o total de pessoas que buscam por vagas nessa faixa etária. Assim como os demais, eles estão procurando emprego para compor a renda familiar.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Elisabete Machado Elisabete Machado

Brasileira, natural de São Paulo, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-graduada em Fundamentos da Cultura e das Artes pela Universidade Estadual Paulista. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar