Veja o quanto você poderia ganhar a mais se tivesse pós-graduação

Com crescentes índices de desemprego devido à crise atual, veja se investir em uma pós-graduação pode garantir estabilidade e melhores salários. 

Veja o quanto você poderia ganhar a mais se tivesse pós-graduação
Saiba se a diferença salarial vale esse investimento mesmo em tempos de crise

Geralmente, com a aproximação da primeira formação superior começam a surgir questões sobre fazer ou não uma pós-graduação. Essa decisão pode parecer secundária, mas é quase tão importante quanto a escolha da graduação para o profissional; isso porque esta pode ser igualmente responsável pelo rumo que a carreira irá seguir e, principalmente, aumentar as chances de melhores salários.

Diferenças salariais entre graduação e pós

Mesmo em tempos de crise, os profissionais que se destacam por uma pós-graduação no currículo devem ser capazes de conquistar salários melhores, ainda com uma menor chance de perderem seus empregos.

Segundo uma pesquisa realizada pela consultoria Produtive no período entre 2014 e 2015, os profissionais que possuíam apenas a graduação obtiveram cerca de metade do reajuste que profissionais pós-graduados no mesmo período. Enquanto os regulares obtiveram um reajuste de apenas 4,6%, os formados em pós lato sensu receberam um aumento salarial de 12,4%. Na mesma pesquisa foi apontado que os profissionais que investiram em uma especialização foram capazes de subir um degrau a mais, recebendo um aumento de 14,6% em seus salários.

Além dos reajustes é possível observar uma distância substancial entre rendimentos destes profissionais. Foi apontado que, no período de 2015, enquanto um profissional graduado possuía um salário médio de R$ 6.096, o pós-graduado ganhava em média R$ 10.620 e, por fim, aquele que possuía algum tipo de especialização recebia cerca de R$ 14.989. Vale notar que na pesquisa foi apontado ainda um rendimento de R$ 17.561 para quem investiu em um mestrado e/ou doutorado.

Tais diferenças servem para reforçar, seja dentro ou fora de períodos de crise, que esse tipo de profissional tem um maior reconhecimento do mercado e, portanto, é mais valorizado financeiramente. Durante recessões, esse pode ser o diferencial em manter uma vaga de emprego ou cair na estatística do desemprego.

Para aqueles profissionais que foram pegos pela crise e perderam seus empregos, encontrando dificuldades para se reposicionarem no mercado, ingressar em uma pós-graduação pode ser o caminho mais curto e possivelmente mais barato para redirecionar a carreira a uma outra área de conhecimento que permita novas e melhores oportunidades.

Como custear uma pós-graduação durante a crise

A maior preocupação dos que optam por encarar mais essa etapa de aprendizado são os custos envolvidos, principalmente devido aos valores de um curso de pós-graduação estarem em uma faixa média que começa em R$ 20 mil e podem ultrapassar os R$ 100 mil.

No entanto, uma das melhores saídas para essa questão são as muitas bolsas oferecidas em diversas instituições, algumas delas de forma integral. Existem ainda as opções dos créditos e financiamentos estudantis, que proporcionam um alívio considerável nas despesas gerais e tornam esse investimento um sonho possível.

Mês da Educação à Distância. Turbine a sua carreira com um curso online!

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar