Quanto custa ter um filho: primeiro ano de vida

A chegada do bebê muda a vida da família. E não é só pela emoção: os pais gastam até R$ 2 milhões com o filho até os 23 anos! Saiba quanto custa ter um filho.

Quanto custa ter um filho: primeiro ano de vida
Saiba quais os itens essenciais para o bebê e quanto custa ter um filho de até um ano

A chegada de um bebê muda completamente a vida do casal, que deve levar em conta não só os aspectos da educação e suporte que vão oferecer, mas também o quanto custa ter um filho. Num primeiro momento vem à mente gastos com escola, fraldas e caprichos da criança, mas é comum ignorar detalhes como pediatra, itens de segurança, mobília, vacinas e até se a estrutura da residência permite abrigar um novo membro.

Especialistas em economia recomendam que os gastos com o filho não ultrapassem 30% da renda média do casal. Segundo uma pesquisa do Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing (Invent), os pais chegam a investir R$ 2 milhões para criar um filho até os 23 anos, sendo que só os estudos equivalem a cerca de 34% desse valor.

Quanto custa ter um filho de até 1 ano

Os primeiros doze meses de vida de uma criança são os que necessitam de mais cuidados e, consequentemente, geram mais despesas. É nessa fase que eles estão fortalecendo o sistema imunológico, por isso precisam de vacinação e ficam doentes com frequência, e caso a criança não mame no peito ainda terá o gasto extra da alimentação com leite em pó.

Calculamos quanto custa ter um filho com base em itens essenciais para o bebê e alguns opcionais. Segundo economistas, o valor que o casal gasta com o filho não deve ultrapassar 30% da renda média. Pegue papel e lápis e faça as contas conosco.

Berço: Além de ser o local de repouso do pequeno o berço também não deixa de ser um item de segurança, já que, ao contrário da cama, protege a criança para que ela não role durante a noite e corra o risco de cair. Alguns modelos podem virar uma cama conforme a criança vai crescendo e acabam sendo úteis a longo prazo.

No Magazine Luiza, um berço que vira mini cama com três níveis diferentes de altura e grade removível sai por R$ 729,99.

Fraldas: Eis um dos gastos mais consideráveis e prolongados. Considerando que uma criança costuma usar fraldas até os dois ou três anos e usa em média cinco por dia, em um ano a criança vai usar pelo menos 1680 fraldas descartáveis. Pode-se optar pela fralda de pano, mais barata a longo prazo e que custa R$ 19,90 no Walmart o pacote com uma unidade da Cremer.

No supermercado Extra as fraldas da marca Pampers custam R$ 29,90 (RN com 40 fraldas), R$ 41,90 (P com 50 unidades), R$ 41,90 (M com 44 unidades), R$ 64,90 (G com 46 unidades) e R$ 39,90 (XG com 40 unidades).

Carrinho: prepare-se para gastar em um carrinho de bebê o mesmo valor (ou mais) que gastaria numa parcela do seu carro. É importante que o carrinho seja seguro e seu peso seja suficiente para que a criança não consiga vira-lo conforme for crescendo. Alguns modelos vêm com a cadeirinha para instalar no carro inclusa, o que os torna ainda mais práticos para os futuros papais.

Um modelo Travel System Duo Today, vendido na Bebê Store, que inclui o carrinho e a cadeirinha para o carro, sai por R$ 2.293,30.

Pré-natal e parto: o Ministério da Saúde recomenda que a gestante visite seu médico pelo menos seis vezes durante a gravidez. Se o plano de saúde cobrir as consultas, perfeito. Se não, e caso a mamãe não queira recorrer à rede pública, ela pode optar por fechar pacotes ou planos com o obstetra.

Segundo uma reportagem de 2015 publicada pela BBC Brasil sobre quanto custa ter um filho no país, o valor mínimo cobrado por um parto normal é de R$ 1.339 e da cesárea R$ 1.504. Na rede particular, esse valor sai, em média, R$ 15 mil, incluindo obstetra, instrumentador, anestesista e pediatra neonatal. Se a mulher escolher um obstetra fora do plano precisa arcar com os custos, cerca de R$ 5 mil.

Roupas: uma das partes mais gostosas da gravidez é escolher as roupinhas para o bebê. São tantas opções fofas, modernas, confortáveis e cheias de firulas que é impossível não se apaixonar – impossível não, porque os preços das roupas de criança são iguais os de gente grande, com a diferença que elas perdem muito mais rápido.

Apenas como referência, um kit com três bodys simples na loja de roupa infantil Tricae custa R$ 32,90, enquanto um kit com três culotes simples custa R$ 23,90. Um conjunto de body e culote estampado e de veludo custa R$ 69,90. Isso sem contar as jaquetas, vestidos, camisetas, saias, meias, acessórios, luvas, gorros...

Alimentação: muitas vezes a criança rejeita a amamentação ou o leite da mãe pode não ser suficiente para alimenta-la. Além disso, existem casos de mulheres que preferem não amamentar ou que por diversos motivos não podem oferecer o peito ao bebê.

Nesses casos existe a opção do leite em pó. São várias as opções disponíveis no mercado, cada uma com fórmula especial para cada fase da criança e até para crianças intolerantes à lactose. O leite Nan Pro 1, para bebês de 0 a 6 meses, sai por R$ 58,79 na UltraFarma.

Depois dos seis meses começa a fase das papinhas e introdução de alimentos mais sólidos. Na UltraFarma, a papinha pronta da Nestlé para seis meses sai por R$ 3,53.

Pediatra: depois que a criança nascer é necessário acompanhar mês a mês o desenvolvimento dela para saber se está tudo em dia com a saúde. Esse é um dos gastos mais importantes e prioritários, e assim como no caso do pré-natal e parto, a mulher pode optar por uma consulta na rede pública ou em algum médico que o plano particular cubra.

Caso ela escolha um médico que não atenda pelo seu convenio o valor da consulta sairá no mínimo por R$ 120.

Cesta de higiene: os pais vão se ver as voltas frequentemente com alguns itens para limpar o bebê e mantê-lo longe de assaduras e doenças. Com base numa conta feita pela Revista Donna uma cesta deve ter creme para assaduras (R$ 11), cotonete (R$ 1,99), algodão (R$ 1,99), álcool 70% 50 ml (R$ 1,25), lenço umedecido com 60 unidades (R$ 3,65), sabonete líquido neutro 200 ml (R$ 6,50), xampu neutro 250 ml (R$ 7).

Vacinas: fortalecer a imunidade do bebê é essencial para o crescimento saudável dele, e mesmo que doa no coração dos pais ver a criança com tanto mal estar após a vacina é importante pensar no benefício desse ato a longo prazo.

São varias as vacinas que a criança precisa tomar, incluindo BCG, hepatite B, poliomielite, rotavírus e pneumocócica, que são disponibilizadas no sistema público gratuitamente e custam em média entre R$ 140 e R$ 350 cada.

Mobília: mesmo que os pais queiram economizar e fazer um quartinho de bebê simples alguns itens são indispensáveis, principalmente se você parar para pensar em quantos itens pequenos terá para guardar.

Na Bebê Store, uma cômoda com cinco gavetas e uma porta sai por R$ 249,90 e um roupeiro de três portas e duas gavetas custa R$ 319,90. Além disso, o colchão para o berço pode sair por R$ 94,90. Se os pais quiserem ser práticos podem optar por um quarto completo, com roupeiro, berço/mini cama e cômoda, por R$ 645,05.

Enxoval : a delicadeza dos bebês faz com que eles necessitem de um enxoval especial, que inclua toalhas, lençóis, travesseiros e cobertores.

Na Bebê Store, um enxoval para berço com dez peças custa R$ 529,90, uma manta sai por R$ 28,41 e um cobertor R$ 59,90. Uma toalha de banho com capuz sai por R$ 29,90 e um mini quimono R$ 44,90.

Creche: passados os seis meses da licença-maternidade a mãe pode voltar ao trabalho e deixar o bebê aos cuidados de uma creche. Apesar de difícil no começo, o processo faz parte e é importante para o inicio da socialização da criança.

Segundo levantamento da Você S/A o preço médio de uma creche particular em São Paulo vai de R$ 150 em bairros populares a R$ 3 mil em bairros nobres, enquanto no Rio de Janeiro os valores estão entre R$ 700 e R$ 2.500.

Festa de aniversário: não dá pra deixar passar em branco o primeiro ano do bebê, não é? Ano de tantas conquistas, aprendizado e carinho para a família. Os pais podem fazer um orçamento logo após o nascimento do bebê do valor da festa e economizar uma quantia por mês para pesar menos na data da festa.

O aluguel de um salão infantil pode sair até R$ 3.500. Os gastos podem ser reduzidos se a festa for feita em casa, mas caso escolha servir salgadinhos, doces, bolo, refrigerantes e lembrancinhas não espere gastar menos que R$ 1200.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar