Previdência privada: como funciona

O artigo explica ao leitor o que é a previdência privada, além de dar as dicas de como funciona, como obter a sua e para quais pessoas ela realmente vale a pena.

Previdência privada: como funciona
Tudo o que você precisa saber para ter a sua

Ter uma previdência privada é uma opção para muitos brasileiros, mas nem todos sabem como exatamente utilizá-la ou até mesmo o que fazer para ter a sua. O E-konomista reuniu todas as informações necessárias para entender o que é, como funciona e em quais casos a previdência privada é mais indicada. Confira!

Como funciona a previdência privada

A previdência privada é uma forma de garantir a aposentadoria, porém sem ter ligação com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Ela pode funcionar como um complemento à previdência pública.

Seu funcionamento é simples: o indivíduo escolhe o plano de previdência privada que deseja, podendo definir o valor da contribuição que fará e a periodicidade das parcelas. A flexibilidade é grande, mas o valor que será resgatado quando essa pessoa começar usar a previdência vai depender diretamente do quanto ela contribuiu, por isso é importante manter uma regularidade.

Diferente da previdência pública, o contratante da forma privada pode resgatar o dinheiro se desistir do plano. Caso nunca quebre o contrato e chegue o momento de começar a receber sua previdência privada, a pessoa pode escolher entre receber toda a quantia a que tem direito de uma só vez, ou em parcelas mensais (como a aposentadoria comum).

Qualquer pessoa pode contratar uma previdência privada. Não há idade mínima e nem é necessário a comprovação de renda.

Para contratar uma previdência privada é preciso procurar uma das instituições credenciadas pela Susep (Superintendência de Seguros Privados). No site você encontra a lista completa e onde encontrá-las.

Saiba como calcular o salário líquido em 2016

Simulação do cálculo

Para ajudar a entender ainda mais como funciona a previdência privada, veja três exemplos de simulação a seguir. Nelas você entende o quanto será investido e o quanto poderá ser resgatado.

1. Uma pessoa de 27 anos que vai começar a pagar a previdência hoje, se aposentar com 60 anos e deseja ter uma renda mensal de 2 mil reais, precisa investir R$480 reais por mês.

2. A mesma pessoa de 27 anos pode começar a pagar a previdência hoje, com uma contribuição mensal de R$150, poderá ter uma rentabilidade de 0,52% ao mês.

3. Pais que começam a pagar uma previdência privada para o filho de 5 anos, que também se aposentará aos 60 anos com uma renda de 2 mil reais mensais, devem investir R$166,55 como mensalidade da previdência.

Para quem vale a pena

Contratar uma previdência privada é recomendado para qualquer pessoa que deseja complementar o valor da sua aposentadoria do INSS, ou para qualquer pessoa que deseja complementar ou garantir essa renda no futuro.

Donas de casa, por exemplo, que nunca trabalharam fora podem investir em uma previdência privada, assim como trabalhadores autônomos que não recolhem o INSS.

Os dois planos mais comuns desse tipo de contrato são o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), recomendado para pessoas com renda mais alta, pois o valor do plano pode ser posteriormente abatido no Imposto de Renda. E o e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), que não é abatido do IR.

Investir em uma previdência é uma forma de garantia a longo prazo para todos.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar