Preço da gasolina deve baixar até o fim do ano

A Petrobras anunciou a redução do preço da gasolina em seu Plano de Negócios e Gestão. Os preços serão equiparados aos valores do mercado internacional.

Preço da gasolina deve baixar até o fim do ano
Valores serão semelhantes aos praticados no mercado internacional

A Petrobras, em seu Plano de Negócios e Gestão (PNG) para o período entre 2017 e 2021, mostrou que fará o possível para reduzir a dívida de R$ 397 bilhões que retarda o desenvolvimento e crescimento da companhia.

Entre as principais medidas anunciadas estão a redução de 25% no valor de investimentos, que será de US$ 74,1 bilhões, e redução do preço da gasolina, cujo valor comercializado é até 30% mais caro que a média dos preços no exterior.

Redução do preço da gasolina

Junto à redução do preço da gasolina a Petrobras – responsável por 10% de tudo que se investe no país – deve anunciar uma nova política de preços para combustíveis, cujo critério principal será o alinhamento do preço do Brasil com os valores praticados no mercado internacional.

A expectativa é que o preço do barril tipo Brent passe para US$ 48 em 2017, US$ 56 para 2018, US$ 68 para 2019 e US$ 71 entre 2020 e 2021.

A última vez que houve aumento nos preços dos combustíveis em refinarias foi em setembro de 2015, quando o valor da gasolina subiu 6% e do diesel 4%. Na época a estatal, endividada em dólar, vinha sofrendo pressão pela alta do câmbio e o aumento nos preços foi repassado para o consumidor.

Nesse período, no entanto, a Petrobras conseguiu elevar a margem de lucro com a venda de combustíveis e pode recuperar parte das perdas que obteve quando o governo obrigou a estatal a manter os preços artificialmente represados.

O economista Walter de Vitto, analista da Tendências Consultoria em entrevista ao Correio Brasiliense, afirmou que a empresa é livre para reajustar o preço da gasolina e do diesel quando julgar necessário e o alcance das metas da Petrobras depende da realização das projeções para o preço do petróleo.

Caso a política seja adotada os preços flutuarão para baixo ou para cima, dependendo de critérios como a variação do dólar e cotação do petróleo no mercado internacional. A intenção é ser transparente e atrair parcerias para investimentos no refino de petróleo, que pode envolver tanto refinarias em operação quanto projetos não concluídos.

Dessa forma, conforme crê a direção da Petrobras, os preços passariam a ser regulados exclusivamente pelo mercado sem interferência do governo na definição dos valores.

Corte de investimentos

Além da redução do preço da gasolina, para o período entre 2017 e 2021 a Petrobras anunciou investimento de US$ 74,1 bilhões, sendo o valor definido pelo planejamento em vigor US$ 98,4 milhões. Para o mercado, esse recuo é fundamental para o equilíbrio financeiro da estatal e a retomada do desenvolvimento.

Walter de Vitto aponta que o valor reduzido de investimento pode ter efeito negativo a curto prazo sobre a atividade econômica, mas a medida, que ajuda a segurar o ritmo de crescimento da economia em um primeiro momento, poderá a longo prazo permitir que a empresa saneada invista mais e aumente o PIB (Produto Interno Bruto).

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar