Saiba como funciona a portabilidade de crédito de um banco para outro

Encontrou um banco que oferece melhores condições que o seu no pagamento do empréstimo? Você pode transferir a dívida com a portabildiade de crédito. Saiba como:

Saiba como funciona a portabilidade de crédito de um banco para outro
Veja como o que é, como funciona e os cuidados ao fazer essa operação

Você fez um financiamento, lesing ou empréstimo em um banco e depois descobriu que outro banco oferece taxas de juros e condições muito atrativas? Saiba que é possível transferir a dívida de um banco para outro para aproveitar as melhores condições – é a chamada portabilidade de crédito. Saiba mais no artigo.

Portabilidade de crédito – o que é e como fazer

A portabilidade de crédito é a possibilidade de transferir um empréstimo, financiamento ou leasing (arrendamento mercantil) de uma instituição financeira para outra. Isso acontece quando o cliente bancário encontra melhores condições para quitar a sua dívida em outro banco e por isso tem o direito de transferir a sua operação de crédito. Veja abaixo o passo a passo de como fazer essa operação:

1.  Consulte via internet ou nas agências bancárias as condições oferecidas (taxas, prazos, etc) para o tipo de crédito que você está pagando. Viu condições atrativas? Anote-as, elas serão úteis na negociação.

PRECISA DE CRÉDITO
para
colocar
as finanças em dia?
saiba mais

2. Vá até a instituição financeira onde você fez a sua operação de crédito e solicite o saldo da sua dívida no banco e o desejo de fazer a portabilidade. Provavelmente, o gerente irá tentar persuadí-lo a não transferir, por isso é importante ter feito antes a pesquisa das condições oferecidas por outros bancos, para saber negociar se é melhor realizar a portabilidade ou não. O banco tem o prazo máximo de 15 dias para te fornecer as informações do saldo da sua dívida.

3. Como saldo em mãos, vá até a instituição bancária que oferece as melhores condições e demonstre o interesse em fazer a portabilidade de crédito para esta agência. Você deve pedir a simulação da portabilidade de crédito com os custos que são incluídos na composição do novo cálculo e com o CET (Custo Efetivo Total). Verifique cada custo e taxa incluídos neste detalhamento.

4. Compare a proposta de pagamento da dívida da nova instituição bancária e da antiga e veja se ela é mesmo vantajosa. Cuidado com o alongamento do prazo: a nova proposta pode apresentar parcelas mais baixos a um prazo maior, mas com os juros o valor da dívida pode ficar o mesmo ou até maior.

5. Está decidido a fazer a portabilidade de crédito? O novo banco que você irá transferir a sua dívida então paga o saldo restante no banco antigo e agora você deve o valor ao novo banco, sob as condições indicadas previamente no contrato.

O banco pode negar a portabilidade de crédito?

O banco que oferece as melhores condições e que você procura para realizar a portabilidade de crédito não é obrigado a aceitar a proposta de transação. Isso acontece porque muitas vezes a portabilidade de crédito pode não ser vantajosa para esta insituição, então ela pode negar o pedido. De qualquer maneira, o banco precisa informar por escrito o porquê de não aceitar a portabilidade, segundo o Código de Defesa do Consumidor.

Já o banco em que você fez a operação de crédito inicialmente não pode negar a portabilidade. Ele é obrigado a aceitá-la se o cliente assim quiser, não pode também negar o fornecimento das informações de saldo da dívida nem demorar mais de 15 dias para informar ao cliente.

Como financiar uma casa pela Caixa: passo a passo

O que é preciso ficar atento ao fazer a portabilidade de crédito

  • Não é permitido cobrar tarifa para realizar a portabilidade, nem no banco que vai transferir a dívida, nem naquele que vai recebê-la.
  • É proibida a venda casada obrigatória de serviços com a portabilidade de crédito. Por exemplo, o banco não pode exigir que você contrate um seguro, um título de capitalização, abra uma conta ou adira a um pacote de tarifas específicos para realizar a portabilidade.
  • O IOF (imposto sobre operações financeiras) não pode ser cobrado sobre a parte da dívida que já foi paga, só ao que ainda lhe resta de saldo devedor.
  • Se a portabilidade for de crédito imobiliário, há outros custos de cartório imbutidos que precisam ser pagos pelo cliente, como o registro de imóveis, por exemplo.
  • O banco em que você vai retirar a sua operação de crédito não pode tirar benefícios que você já tinha como cliente, como por exemplo bloquear o seu cartão de crédito, retirar o seu cheque especial ou retirar pontos do programa de vantanges do banco.

Conheça a solução de crédito sob medida para você.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Ana Luiza Fernandes é brasileira, natural de Minas Gerais, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e hoje cursa Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, Portugal. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural, Fotografia, Documentário e Assessoria de Imprensa e é apaixonada pela profissão desde criança.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar