Os pontos turísticos que mais geram frustração nos turistas

Os lugares que são um choque entre expectativa e realidade nos turistas do mundo inteiro.

Os pontos turísticos que mais geram frustração nos turistas
Saiba o que esperar de alguns pontos turísticos

Malas prontas, roteiro pronto. Tudo certo antes de viajar. Durante o passeio, vem a decepção: "não era isso o que eu esperava". Os pontos turísticos são muito diferentes em relação ao que você viu nas fotos e bateu aquele arrependimento. Antes que isso aconteça, resolvemos equilibrar as suas expectativas em relação a alguns pontos que os turistas relatam como diferentes das fotos.

Veja quais são as passagens aéreas promocionais do mês

Férias frustradas

Quando saímos de férias para uma viagem, investimos o nosso dinheiro e tempo livre em entretenimento e lazer e manejamos esses dois fatores com cuidado quando criamos um roteiro para otimizar recursos.  Ficar frustrado não significa que os pontos turísticos não tenham o seu devido valor simbólico ao local, muito menos que não devam ser visitados. O que acontece é mais um conflito entre a expectativa do que vimos nas fotos durante a elaboração do roteiro e a realidade de uma visita.  Conheça alguns desses pontos pelo mundo e saiba o que esperar.

1. Museu do Louvre, Paris

Só de estar perto de um ícone desses, já vale o passeio. Mas, para ajustar a sua expectativa, trouxemos um fato aterrador. Batizado originalmente de La Gioconda por Leonardo da Vinci, o quadro da Monalisa não é tão grande quanto a maioria das pessoas pensa: o original exibido no museu do Louvre, em Paris, mede 77x53cm. Mesmo em tamanho menor que o esperado, as técnicas de simetria, proporções e triângulos aplicadas pelo Da Vinci ainda fazem com que o olhar dela nos persiga onde quer que vamos – e intrigue o nosso cérebro.

2. Torre Eiffel, Paris

Torre Eiffel
 

A experiência de estar a 324 metros de altura observando Paris é indescritível. O que torna esse ponto turístico frustrante é o tamanho da fila para subir no topo de uma das torres mais conhecidas do mundo – e o dinheiro que se gasta para subir lá. A não ser que você tenha muito tempo, é melhor evitar as filas, ver a torre de perto, tirar aquela foto típica e optar por uma vista panorâmica da cidade em Montmarte. Assim, você consegue ver a Torre Eiffel e evitar as filas, economizando tempo e dinheiro.

3. Museus de Cera

Existem muitos lugares muito mais baratos e interessantes para visitar do que os museus de cera. Eles nada mais são do que réplicas de celebridades e políticos e, como réplicas, são replicados em museus iguais em diferentes cidades do mundo. Se você visita uma cidade nova, a intenção é diversificar – procure se aproximar da cultura do local ao invés de gastar tempo e dinheiro em um museu de cera. De toda a lista, o museu de cera é o único que vale a pena só se a pessoa não tiver mais o que explorar na cidade.

4. Estátua da Liberdade, Nova Iorque

Estátua da Liberdade
 

Não dá para negar que a estátua é um símbolo da cultura americana. Por outro lado, o que decepciona é o tamanho: ela foi construída em cima de um pedestal que já está sobre outro pedestal, por isso parece tão alta. O seu tamanho real é de 46 metros e os outros 46 metros de altura são os pedestais. A Estátua da Liberdade é mais do que 7 vezes menor do que a Torre Eiffel, em altura do monumento, ou 3,5 vezes menor, contando os pedestais.

GANHE
UMA VIAGEM
veja como concorrer

5. Las Vegas – Nevada (EUA)

A cidade que é dona do bordão original “o que acontece em Vegas fica em Vegas”, criado por uma agência de publicidade é realmente diferente de tudo o que já se viu. O bordão foi criado estrategicamente em 2001 para criar uma imagem da cidade onde que tudo pode acontecer e atrair empresários e eventos corporativos. A maior decepção do turista é perceber que, desde o casamento na capela do Elvis até uma noite num cassino não passam de atrações criadas para gerar movimento em uma cidade que não passa de uma avenida cheia de hotéis. Se não tiver muito dinheiro para aproveitar o que a cidade oferece, a visita talvez não valha a pena.

6. Pirâmides do Egito

Pirâmedes do Egito
 

Uma das construções mais antigas e intrigantes do planeta fica no meio do deserto. O turista espera que possa entrar ou escalar nas pirâmides ou tocar nas esfinges e conhecer o Tutancâmon e outras múmias de perto, como se vê nos programas de arqueologia do Discovery. A verdade é que é proibido escalar as pirâmides e sequer tocar a esfinge, o que gera muita decepção em quem enfrenta o calor de ir até lá. Mas o fato é justificável: essa é a primeira grande construção humana e deve ser preservada. Bom para a humanidade, triste para os turistas.

7. Stonehenge, Wiltshire

A decepção aqui é muito parecida com a das pirâmides: as pedras empilhadas também deixam os turistas intrigados, querendo tocar na construção e passear por entre as rochas. A realidade é que é proibido encostar nas pedras e as excursões e estacionamentos lá são caríssimos. E um adendo: ao contrário do que se pensa, esse ponto turístico fica na Inglaterra, e não nos Estados Unidos.

8. Nova Délhi, Índia

Nova Delhi
 

A Índia é um destino para quem foge da cultura ocidental e é indiscutível que seus monumentos e templos tiram o fôlego. Fora das áreas turísticas, o que tira o charme da cidade é a sujeira: é cultural não jogar lixo no lixo e o cheiro ruim da cidade é algo marcante. Outro ponto é o trânsito e os passeios de tuc-tuc: os motoristas costumam enganar turistas e levam a pontos comerciais. Para quem deseja um choque cultural, é claro que a viagem vale a pena, mas espere um choque de verdade.

9. Dubai, Emirados Árabes

Uma cidade construída no meio do deserto que vende ilhas artificiais e é dona do maior edifício do mundo. Não há nada para ver em Dubai além da ostentação - se você não for Angelina Jolie, nem vai poder visitar a sua ilha particular. O calor úmido durante a época das monções incomoda e deixa aquele aspecto de suor que não seca nunca o tempo todo na pele, independentemente da quantidade de banhos que você tomar. Outro detalhe é a cultura e regras que devem ser respeitadas por lá – durante o Ramadam, é proibido tomar água em público, por exemplo.

10. British Museum, Londres

Museu Britânico
 

Que fique bem claro: jamais será frustrante visitar o British Museum. O problema é a dimensão do local. É importante que o turista tenha em mente qual a área que deseja visitar se só tiver um dia para isso. O museu tem desde itens arqueológicos do Egito até seções interativas com tecnologia de ponta. A frustração jamais virá pela visita, e sim pela falta de tempo para conhecer todas as áreas do museu em um dia só - já adianto que é impossível, a não ser que você corra e não pare para observar nada que chame a atenção, o que também é impossível.

Fique por dentro de dicas para economizar nas suas viagens nacionais e internacionais.

Veja também: 

Gostou? Compartilhe!
Gabriela Ventura Gabriela Ventura

Natural de São Paulo, estudante de Publicidade e Propaganda na USP. Não tem hobbies fixos nem rotina, é apaixonada pelo imprevisto. Foi fazer intercâmbio em Lisboa e... estendeu a estadia por tempo indeterminado.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar