Os 9 piores países para trabalhar no exterior

A situação no Brasil não está muito boa, mas acredite, existem situações bem piores em outros países. Conheça agora, uma lista dos 9 piores países para trabalhar no exterior.

Os 9 piores países para trabalhar no exterior
Veja porque são considerados os piores países para trabalhar no exterior

Seu trabalho é ruim? Tem certeza? É melhor você pensar um pouco mais sobre isso. Guerras, clima de tensão, violação dos direitos humanos e muitos outros fatores que influenciam na lista dos piores países para trabalhar no exterior. Se você planeja sair do Brasil para trabalhar no exterior, tem uma série de fatores para analisar, entre elas a qualidade de vida e as condições de trabalho. Listamos 9 países para você ficar longe no quesito trabalho.

Os melhores países para trabalhar e juntar dinheiro em 2016

Piores países para trabalhar

1. República da África Central

O caso mais grave de todos é a República da África Central, o país esta no topo da lista por não ter garantia dos direitos humanos e trabalhistas, devido à ruptura do Estado de Direito. Ou seja, as leis trabalhistas não são respeitadas. 

2. Camboja

Camboja


O governo do Camboja responde com força letal as manifestações dos trabalhadores que exigem melhores salários e reclamam das condições de trabalho precárias e perigosas. Trabalhadores cambojanos que exigem melhores condições são expostos a intimidação, prisões e violência frequentemente levando a lesões graves e morte. Alguns trabalhadores vivem em situação de escravidão, fazendo roupa para grandes marcas da moda.

3. Kuwait

No Kuwait, 60% dos trabalhadores são imigrantes que segundo a lei local, não tem direitos trabalhistas reconhecidos. O que permite trabalho forçado e escravidão. Até mesmo os trabalhadores de nacionalidade kuwaitiana sofrem intimidação, ameaças, prisão e multas em caso de greve, tudo isso amparado pelas leis.

4. Ucrânia

Ucrânia


O clima de tensão tomou o país em 2014 com os conflitos. A moeda russa desvalorizou, a inflação subiu e se sustentar com o salário base ficou impossível. Outro grande problema é o frio intenso que muitas vezes impede as pessoas saírem de casa. Vida de trabalhador na Ucrânia não é fácil.

5. China

Trabalhar na China significa abrir mão de uma vida social. Pelo menos 60% dos trabalhadores garantem que fazem mais horas extras do que as permitidas pela lei. Pessoas morrem no trabalho e isso não é uma coisa anormal no dia-a-dia da China, estima-se que cerca de 1.600 pessoas morrem por mês.

6. Palestina

Palestina


A Palestina vive há muito tempo um conflito direto com Israel e a situação piorou na Faixa de Gaza em 2014. A instabilidade política e o risco de vida o tempo todo faz não existir qualquer segurança para o trabalhador, que também se priva de sair de casa quando não esta trabalhando e praticamente não existe diversão no país.

7. Somália

A Somália tem um ambiente tão inóspito que até a Cruz Vermelha precisou sair do país. Os rebeldes islamistas da Al-Shabab proibiram a Cruz Vermelha de trabalhar nas regiões da Somália que controlam. O trabalho escravo e a mão-de-obra infantil incomodam a sociedade como um todo, e para piorar, existe escassez de alimento e água. 

8. Síria

Síria é outro país em guerra, onde é difícil se locomover e fazer as tarefas mais simples do dia a dia. Atentados terroristas e grupos radicais estão por todos os lados, fazendo uma simples ida ao trabalho uma tarefa perigosa. A ONU esta atualmente intervindo para garantir um cessar fogo.

9. Coréia do Norte

Coreia do Norte


Trabalhar na Coréia do Norte é provavelmente o pesadelo para qualquer pessoa que sonha em trabalhar no exterior. O país é governado em regime ditatorial, por Kim Jong Un. Mas a pergunta mais comum é: seria possível trabalhar no país? Sim, é possível. Basicamente a maioria dos trabalhadores estrangeiros no país fazem parte de comitivas de relações internacionais. Entretanto, viver em um dos poucos países governado no regime ditaorial, à sombra do comunismo, pode ser acima de tudo perigoso.

Os piores empregos no exterior

Além de um país ruim para trabalhar, também existem vagas ruins (mesmo em países bons). Por isso, veja a seguir os três piores empregos do momento.

  • Telemarketing

Falar ao telefone é cansativo, agora, falar 6 horas por dia no telefone com pessoas irritadas com uma situação e dispostas a falar o que for preciso para resolver, cansa muito mais. Sem dúvida no topo das piores vagas esta o telemarketing. Além de trabalhar aos finais de semana, paga-se muito mal.

  • Empregados de balcão de lojas alimentação

Além de trabalhar o dia inteiro de pé, com altas temperaturas e grande estresse, os empregados de balção das lojas de alimentação e fast-food muitas vezes são obrigados a consumir a comida do próprio restaurante todos os dias, o que configura um problema de saúde no caso dos fast-foods. Os salários também são baixos e se trabalha aos finais de semana.

  • Agentes Penitenciário

Os agentes penitenciários tem um trabalho tenso, além de grandes cargas horárias de trabalho. Esses trabalhadores correm risco de vida o tempo todo, por ter contato direto com os presos e não raramente são feitos de refens nas rebeliões. Em compensação, tem salários razoáveis em relação a realidade brasileira, mas baixo se for comparado com outros agentes de segurança.

 

Veja também: 

Gostou? Compartilhe!
Fabiane Fernandes Fabiane Fernandes

Brasileira, graduada em Publicidade e Propaganda com extensão em Marketing de Relacionamento, com intercâmbio em Limerick na Irlanda, blogueira, morando no Porto (Portugal).

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar