O aumento do empreendedorismo no Brasil

O aumento do empreendedorismo no Brasil é uma realidade. As pesquisas mostram que a cada quatro trabalhadores brasileiros, três querem ter o próprio negócio.

O aumento do empreendedorismo no Brasil
O brasileiro tem perfil empreendedor?
  • As políticas de apoio ao crescimento do mercado é um fator que tem favorecido o desenvolvimento do perfil empreendedor do brasileiro e o aumento do empreendedorismo no Brasil.

De acordo com o dicionário, o conceito de empreendedorismo é a criação de empresas ou novos produtos, novos métodos que acabem por agregar valor. Ou, em outras palavras, identificar oportunidades e transformá-las em um negócio lucrativo.

 

Os empreendedores tem por costume serem pessoas antenadas, independentes, arrojadas e, principalmente, pró-ativas. São aquelas pessoas que não esperam que as coisas simplesmente aconteçam, e sim que fazem acontecer.

 

De certa forma, as características que os estudos apontam aos empreendedores são características enraizadas em muitos brasileiros, fazendo com que consequentemente o Brasil seja apontado como um dos países mais empreendedores do mundo, seja por meio de um comércio de produtos local, uma pequena empresa de serviços de informática, um salão de cabeleireiro, uma agência de venda de carros ou até mesmo na venda de lanches.

 

Nos últimos anos o empreendedorismo no Brasil cresceu a uma taxa de 29%, enquanto a média nos países do G20 foi de apenas 11,8%. E um dos aspectos que faz do Brasil um país empreendedor, é justamente o perfil do brasilieiro. E a situação econômica atual do país, e os programas de apoio oferecidos pelo governo fortalecem esse potencial.

 

 

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO NO GOVERNO

Com o objetivo de facilitar o acesso ao microcrédito produtivo orientado para os pequenos empreendedores, o governo federal criou em agosto de 2011 o programa Crescer. O programa coordenado pelo Ministério da Fazenda já emprestou mais de R$9 bilhões a cerca de 3,5 milhões de brasileiros em apenas dois anos, sendo que a cada três pessoas que solicitam o crédito, duas são do sexo feminino, e tem na região Nordeste o maior número de solicitante, chegando a 76% dos empréstimos.

 

O programa conta com o suporte do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), desde a formação dos agentes que atuam nas instituições financeiras que oferecem o crédito, até o acompanhamento de como os empreendedores estão utilizando os recursos oferecidos.

 

Para ter acesso ao programa, basta que o interessado procure um dos bancos vinculados ao programa (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia) e comprovem o interesse em desenvolver atividade econômica ou empresariais com faturamento de até R$120 mil por ano. 



Leia também » Como abrir uma empresa com pouco dinheiro.

Gostou? Compartilhe!
Carolina Benevides Carolina Benevides

Jornalista brasileira, Carolina Santarosa é formada pela Universidade de Fortaleza desde 2011. Atualmente cursa o 2º ano do Mestrado em Ciências da Comunicação na Universidade do Porto. A profissional já trabalhou no marketing da Red Bull, foi Assessora de Comunicação da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza e do North Shopping Fortaleza. Fez intercâmbio acadêmico nos Estados Unidos e atualmente mora no Porto (Portugal).

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar