Ranking das motos mais vendidas no Brasil

Saber quais são as motos mais vendidas do Brasil ajuda a decidir pelo modelo com menor depreciação, melhor custo-benefício e maior facilidade na revenda.

Ranking das motos mais vendidas no Brasil
As motos mais vendidas, seus números e outras informações

Compradores que não abrem mão do melhor custo-benefício no momento de comprar uma moto têm no ranking da Fenabrave um guia para pautar sua decisão. As motos mais vendidas do Brasil são divulgadas periodicamente pela entidade, que representa o setor de distribuição de veículos brasileiro.

É importante destacar que a atuação da Fenabrave procura fazer valer o que determina a Lei 6.729/79, que disciplina a atividade de produtores e distribuidores de veículos automotivos terrestres. Atua ainda em parceria com a Fenacodiv, Federação Nacional dos Concessionários e Distribuidores de Veículos, que é a representação sindical das distribuidoras de veículos brasileiras.

As motos mais vendidas do Brasil: Honda e Yamaha dominam mercado

O levantamento mensal da Fenabrave para as motos mais vendidas é dividido em oito categorias: City, Custom, Trail Fun, Maxitrail, Naked/Roadster, Scooter/Cub, Sport e Touring. Como as motos City são as predominantes no mercado, respondendo por 40,72% da fatia de todas as motos vendidas no Brasil, tomaremos esse ranking como referência.

Um dado interessante é o incremento na participação das scooters no mercado entre 2015 e 2016. Ano passado, os ciclomotores detinham 28,72% de todos os veículos em duas rodas vendidos no Brasil. Em 2016, essa participação pulou, até setembro, para 35,09%.

Outra importante observação é a presença massacrante das montadoras Honda e Yamaha no ranking das motos mais vendidas. Nada menos que 9 entre as dez motocicletas mais emplacadas no Brasil são produzidas pela dobradinha. São elas:

1. Honda CG 160 (R$ 7.990) - 166.425

Não tem para ninguém, no Brasil, quem manda entre as motos é a popularíssima Honda CG. O absoluto predomínio se justifica em números incontestáveis, reforçados pela esmagadora presença. Se somadas as vendas de todos os outros nove modelos da lista, ainda assim faltariam 36.641 motos para empatar.

Um desempenho que também pode ser creditado ao excelente custo benefício da CG 160, versão mais robusta da pequena CG 125, que a afasta do segmento popular, mesmo com preço compatível. Seu motor de 15cv de potência consome, em média, 35km/l de gasolina, considerando estrada e cidade.

2. Honda CG 150 (R$ 7.741) - 31.464

No segundo lugar não surpreende a presença da “irmã do meio” das CG, a de motor 150cc. Seu motor flex faz jus à fama da CG de moto econômica, fazendo em média 41,2 km/l de gasolina e 29,6 km/l de etanol.

3. Honda CG 125 (R$ 6.790) - 28.115

A moto nova mais barata do mercado brasileiro, que já ocupou o primeiro lugar entre as motos mais vendidas do Brasil, continua apresentando bom fôlego nas vendas. Não é para menos, a CG 125 é a rainha das motos econômicas, fazendo incríveis 57 km/l de gasolina na média estrada e cidade.

4. Honda CB 250F Twister (R$ 13.050) - 18.609

A ressuscitada Twister 250, que voltou a ser fabricada em 2016, parece que ainda tem lenha para queimar em termos de vendas, ocupando posição de destaque num top 10 em que predominam motos de 125 ou 150 cilindradas.

5. Yamaha YBR 150 (R$ 9.590) - 16.353

A hegemonia da Honda é quebrada no quinto lugar pela Yamaha YBR 150, que conta com sistema unificado de freio, em que o motociclista só precisa acionar um tipo de comando para que tanto a roda dianteira como a traseira tenham a velocidade reduzida.

6. Yamaha YS 150 Fazer (R$ 9.590) - 12.237

Também com freio em sistema unificado, a YS 150 conta com carcaça mais robusta e design mais agressivo, que a deixa com jeitão de naked/roadster.

7. Yamaha YBR 125 (R$ 7.390) - 10.837

Na dura luta da Yamaha pelas vendas, o trunfo da sua 125cc é o tanque de 15,7 litros que, segundo a montadora, proporciona a maior autonomia da categoria. A tecnologia também é um ponto forte, já que a moto é equipada com painel com função fuel trip, que faz contagem progressiva de combustível assim que o tanque entra na reserva, velocímetro com sensor de velocidade dispensando cabo, e indicador ECO, que informa a faixa de rotações mais econômica.

8. Yamaha Fazer 250 (R$ 12.250) - 8.299

Cabe a Fazer 250 o pioneirismo de ter lançado no Brasil o sistema de injeção eletrônica de combustível para motos 250cc. Embora situada no ranking das motos mais vendidas na categoria City, a Fazer 250 é uma legítima Naked.

9. Suzuki GSR 125 (R$ 6.990) - 2.242

Estar entre as 10 motos mais emplacadas do ano sendo a única que não pertence à dupla Honda / Yamaha é por si só um ato de bravura. Com rodas de liga leve e design diferenciado, atualmente o modelo é a menina dos olhos da Suzuki, que esperava vender cerca de 800 unidades por mês quando a lançou no Brasil em 2012.

10. Honda CB 300R (R$ 14.168) - 1.628

Na Honda começamos, e na Honda terminamos o top 10 das motos mais vendidas com a agressiva CB 300R. Inicialmente lançada para substituir a Twister 250, mesmo com a volta dela a 300 permaneceu firme e forte no mercado. É da CB 300R o título de primeira moto de cilindrada média da montadora japonesa no Brasil.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar