6 marcas que resistiram ao tempo e ainda são vendidas no Brasil

Elas fizeram história e continuam presente nas prateleiras e na casa de todas as famílias brasileiras. Conheça 6 marcas que conquistaram o mercado nacional.

6 marcas que resistiram ao tempo e ainda são vendidas no Brasil
Relembre grandes marcas que ainda fazem história no mercado brasileiro.

A recente polêmica sobre a exclusividade do Ovomaltine nos milk-shakes das redes de fast-food trouxe à tona a importância desse apego às marcas que apenas se fortalecem com o tempo. Mesmo após 112 anos de existência, o achocolatado com flocos crocantes que alavancou as vendas da rede Bob’s durante 57 anos, se estabelece como sinônimo de qualidade e, por vezes, status no mercado.

Na prática, nada muda, pois todas as redes continuarão comercializando o produto - agora sob o nome “crocante”. Entretanto, seu rótulo e histórico já enraizado nos consumidores certamente levará uma legião de apreciadores às lojas do palhaço de cabelos vermelhos.

Produtos históricos que resistiram ao tempo

Além deste caso, onde a marca foi disputada em briga de cachorro grande, muitas outras também estabeleceram seu lugar cativo no mercado brasileiro, conquistando e monopolizando o segmento com o passar dos anos.

1. Manteiga Aviação

Inaugurada no ano de 1920, a marca Aviação começou atuante no chamado comércio de secos e molhados (armazéns onde se vende de tudo um pouco) na cidade de São Paulo e, em Minas Gerais, trabalhava no setor de laticínios, com foco especial à famosa manteiga da latinha.

Destacando-se pela qualidade e tradição, a marca realizou apenas algumas pequenas mudanças na lata do produto ao longo dos anos, onde se nota a troca do biplano para o trimotor. Em 1975, a Aviação passou a atuar exclusivamente no fabrico de produtos derivados do leite.

2. Leite Moça

Claramente uma referência quando se fala em leite condensado, o Milkmaid chegou ao Brasil em 1921, onde acabou por ser identificado como “a Moça” e “o leite da Moça”. Constituindo um marco na história do produto, o brigadeiro foi o responsável por alavancar as vendas e a popularidade da marca a partir de 1946.

Atualmente, a Moça continua ali, do mesmo jeitinho, mas as latas, produtos, receitas e sabores vêm tornando a marca a supremacia que lhe é designada desde os primórdios.

3. Maizena

Não somente uma referência culinária, mas uma constante dúvida ao referir-se ao amido de milho: é maisena ou maizena? Na realidade, Maizena é o termo original, criado em 1842 para designar o amido de milho criado nos Estados Unidos; já a maisena é uma variação derivada da própria marca.

Tradicional por diversas gerações, a caixinha amarela desse produto está presente nos armários de todas as famílias, permitindo receitas e versatilidade na cozinha. A marca também é detentora de nomes como a Arrozina e Cremogema.

4. Palitos Gina

Fundada em 1945 em Itatiba/SP, a empresa Giácomo Rela & Irmãos tinha como foco a prestação de serviços de manutenção e reparo de máquinas. Entretanto, no ano de 1959, a empresa cresceu e decidiu mudar o seu ramo de atuação, devido à outros serviços que já vinham prestando, dando início a produção de palitos de sorvete. Em 65, diversificaram a gama de produtos, abrangendo palitos de dente, prendedores de roupas, garfinhos para bolo, espetinhos de churrasco, e outros. Todos esses produtos passaram a ser designados pela enigmática moça chamada Gina, em homenagem à mãe dos fundadores da empresa.

Atualmente, é líder de mercado no segmento de palitos de dentes, produzindo diariamente 40.000.000 de palitos, ou seja, 70% de todo o consumo nacional.

5. Fósforos Fiat Lux

Faça-se luz. É o que o termo latino da marca propõe na caixinha de palitos de fósforo. Produzido pela Swedish Match, os fósforos Fiat Lux chegaram ao Brasil somente no início do século XX, enraizando-se no mercado até os dias atuais.

Atualmente, a Fiat Lux oferece produtos nas linhas Casa, Olho, Casa-Fortes, Extra Longos, Beija-Flor, Pinheiro e Moça; cada um com especificidades direcionadas a determinada utilização.

6. Pó Royal

Mais um exemplo onde a marca substituiu o nome do produto, o pó Royal nada mais é que fermento biológico, indispensável na cozinha para o preparo de bolos, pães e tortas fofinhas. Fundada em 1866 no Estado da Pensilvânia (EUA), a marca chegou ao Brasil somente 1923 através de processos de importação.

Já estabelecida com produtos da marca Royal como gelatinas e pudins, toda a linha passou a ser produzida em território nacional no ano de 1930.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar