Os 6 melhores investimentos a curto prazo que você pode fazer em 2016

LTN, CDI, CDB, LCI... Entenda o que são e como funcionam os principais investimentos a curto prazo.

Os 6 melhores investimentos a curto prazo que você pode fazer em 2016
Entenda como funcionam os investimentos e quanto deve aplicar para ter rentabilidade

Em meio a uma situação crítica, muitos brasileiros que têm dinheiro para investir querem um meio confortável e de baixo risco. É claro que um investimento de baixo risco não vai remunerar tanto quanto operar em ações da bolsa, mas espere deles muito mais do que os rendimentos tímidos da poupança. Confira algumas dicas para fazer um investimento a curto prazo de sucesso.

Investimentos a curto prazo: como funciona o banco

Basicamente, todos os bancos operam num sistema que se assemelha a uma balança, com a diferença de que um percentual considerável será concedido a eles. Por exemplo, o dinheiro que um cliente investe na poupança e rende a TR + 0,5% ao mês será utilizado para oferecer um empréstimo a outro cliente, com uma taxa de juros de 8% ao mês. 

Logo, o dinheiro que você vê na conta é virtual: você sabia que se apenas pouco mais de 12% de clientes fizesse saques simultâneos no mesmo banco, ele imediatamente iria à falência? Isso porque eles utilizam de duas pontas para equilibrar a balança: credores e devedores - e os investimentos a curto prazo, médio e longo, são os gatilhos para manter a instituição bancária funcionando como mediadora das duas pontas.

Por que escolher um banco grande para aplicar?

Pela segurança. Um banco grande terá muito menos probabilidade de quebrar do que um banco pequeno. Por isso, os valores mínimos de investimentos em LCI e CDI podem ser reduzidos dependendo do banco. E o investimento num banco médio ou pequeno pode ser muito mais atraente para os desavisados. Mas a verdade é que, mesmo sendo um investimento de baixo risco com pouca liquidez, ainda assim devem ser considerados os balanços do banco para saber se vale mesmo a pena investir o seu dinheiro em uma instituição menor e se você realmente vai ver a cor do dinheiro ao fim do período. Conheça os melhores investimentos de curto prazo e decida onde investir o seu dinheiro no ano que vem.

DESCUBRA A CONTA BANCÁRIA SOB MEDIDA PARA O SEU NEGÓCIOsaiba mais

Tipos de investimentos a curto prazo

1. Poupança

A poupança é uma alternativa a quem quer investir menos de R$ 50 mil com liquidez permanente, ou seja, com a possibilidade de resgatar ou transferir o valor quando quiser. O único problema é fazer com que os rendimentos da poupança consigam superar a inflação no mesmo período. Caso contrário, com o dinheiro valendo menos, o rendimento da poupança não vai ser capaz de suprir a alta dos preços. A poupança, atualmente, tem uma taxa de rendimentos de 0,5% + TR, sendo que esta última gira em torno de 0,16 em novembro de 2015. Entre os melhores investimentos a curto prazo, talvez a poupança só seja considerada boa pela possibilidade de resgatar e transferir o dinheiro sempre que precisar.

Liquidez: permanente
Valor ideal para investir: R$ 50 mil

2. LCI

Letras de Crédito Imobiliário. Os bancos oferecem créditos de incentivo ao financiamento imobiliário aos seus clientes. As taxas de juros para quem contrata um financiamento vão depender de quantas pessoas estão investindo em títulos LCI. Isso porque, numa ponta, os investidores colocarão o seu dinheiro nesse modelo de renda fixa de baixo risco e, na outra ponta, os devedores pagarão o financiamento com juros, tendo o banco como “mediador” dessa relação. Para incentivar esse tipo de investimentos a curto prazo, o Governo Federal tornou-o isento de cobrança no Imposto de Renda, o que alivia bastante os bolsos, tanto de quem contrata o financiamento quanto de quem investe nesse modelo.

Liquidez: de 3 a 24 meses.
Valor ideal para investir: até R$ 30 mil pagando 90% ou mais do CDI (bancos médios) ou acima de R$ 50 mil

3. LFT

São as Letras Financeiras do Tesouro, ou títulos do tesouro direto. A remuneração desse tipo de investimento está associada à taxa Selic. Ainda que os LFTs sofram descontos no IR e requeiram o pagamento de uma taxa de 0,3% ao ano, ainda superam a poupança se a intenção é investir mais de R$ 50 mil e não mexer no valor por pelo menos 6 meses após a aplicação. Entre os investimentos a curto prazo, é uma boa opção para se avaliar face aos rendimentos da poupança no mesmo período.

4. CDB

Os Certificados de Depósito Bancário são outra forma de investimento seguro para quem quer manter o dinheiro por pelo menos 180 dias parado. O ideal é encontrar um banco que pague mais de 100% do CDI, para que o investimento valha a pena. Mas nesse caso, os bancos grandes só começam a pagar mais de 100% do CDI para investimentos com liquidez acima de 3 anos. Sendo assim, o ideal é procurar bancos médios para aplicar o valor por menos tempo com uma remuneração maior. O CDI também tem o Fundo Garantidor de Crédito para investimentos de até R$ 70 mil.

5. Fundos DI

Os Fundos DI são um investimento também atrelados ao CDI e à taxa Selic. Para que sejam realmente vantajosos em relação à poupança, o ideal é que a taxa de administração não ultrapasse os 0,5% ao ano e a remuneração deve ser acima de 100% do CDI. Os fundos DI não têm uma garantia de rentabilidade. Por isso, o ideal é saber quanto o banco vai pagar sobre o CDI e ficar atento à rentabilidade. Dependendo do valor investido e da necessidade de resgatar o dinheiro com rapidez, pode ser mais aconselhável investir na poupança. Os fundos DI são indicados para quem pretende investir mais de 50 mil reais, sem necessidade de resgatar o valor por pelo menos 6 meses.

6. Notas do Tesouro Nacional Série B

Para quem busca uma aplicação de médio prazo, com liquidez superior a 5 anos, é interessante verificar as opções de investimento nas Notas do Tesouro Nacional Série B (NTN-Bs). Alguns desses títulos podem pagar 6% mais a variação da inflação até 2023 e após esse período, a remuneração de 6% mais os índices inflacionários. É uma opção que paga muito bem, mas apenas para quem não pretende retirar o dinheiro a médio prazo. Portanto, fique atento antes de investir.

Fundo Garantidor de Crédito: o que é

O FGC é um fundo do governo que tem por objetivo garantir aos investidores um determinado valor, caso o banco vá à falência. Hoje, o valor é de R$ 70 mil para quem investe em LCI. Logo, é aconselhável que quem queira investir mais do que o montante de R$ 70 mil, que “espalhe” o investimento entre diferentes instituições financeiras para evitar dores de cabeça maiores do que a espera do pagamento do FGC. A poupança também conta com o FGC para valores de até R$ 70 mil por CPF.

 Encontre a melhor solução de conta bancária para o seu negócio. Veja aqui! 


Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Gabriela Ventura Gabriela Ventura

Natural de São Paulo, estudante de Publicidade e Propaganda na USP. Não tem hobbies fixos nem rotina, é apaixonada pelo imprevisto. Foi fazer intercâmbio em Lisboa e... estendeu a estadia por tempo indeterminado.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar