Erros financeiros que você pode impedir com essas 7 dicas

Sair do vermelho em grande estilo e evitar erros financeiros. Aprenda com as dicas, evite as presepadas e controle suas despesas.

Erros financeiros que você pode impedir com essas 7 dicas
As medidas que você pode tomar para sair do vermelho em grande estilo

Os descontroles financeiros são os maiores responsáveis pela inadimplência, segundo dados da pesquisa realizada pela Boa Vista SPC, que entrevistou 1.006 consumidores. Desses, 29% atribuem o fato de não conseguirem pagar as dívidas por conta da falta de disciplina. Outros 35% apontam o desemprego como culpado dos erros financeiros cometidos. Se você se encaixa nos 29% que não conseguem segurar a carteira no bolso e se depara com surpresas no fim do mês, as dicas a seguir podem ser úteis para conter as despesas e chegar ao tão sonhado equilíbrio financeiro.

Os erros financeiros que todo mundo comete ou já cometeu

O passo a passo, quando feito com disciplina, pode desanuviar a sua situação e acender uma luz no fim do túnel. As medidas são radicais e você vai precisar de muita disciplina para sair do vermelho... mas vale a pena. Confira:

1. Organize a carteira e a bolsa

Colocar tudo no lugar é essencial para começar. Jogue fora o que não presta, quebre cartões de crédito que não usa, coloque tudo no lugar certinho. Uma vida financeira organizada começa com uma carteira em ordem. Se você é muito descontrolado, prefira ficar com um cartão de crédito para emergências e um cartão de débito ou dinheiro em espécie para despesas gerais.

2. Transforme os seus empréstimos em créditos consignados

Se você tem dívidas na conta bancária ou no cartão de crédito, veja na sua agência se consegue transformá-la em crédito consignado. Isso porque as taxas são as menores do mercado, devido ao desconto direto na folha de pagamento. A medida é parecida com a programação de pagamentos. Se você se livrar de todas as despesas fixas assim que recebe, sabe exatamente o quanto te sobra – e se dá para viver com isso. Se não der, é hora de cortar regalias.

3. Crédito, débito ou dinheiro

Tendo feito um acordo com o banco para pagamento das suas dívidas, é hora de ser radical. Se usava o cartão de crédito para tudo, pare. A opção preferida para controlar as suas despesas é utilizar apenas o cartão de débito. Para não cair na tentação caso tenha um cartão múltiplo, solicite um cartão só de débito na sua agência bancária – por norma do Banco Central, eles são obrigados a oferecer esta opção.

Usar o débito evita os parcelamentos e as compras por impulso, já que você sabe que só poderá usar aquilo que tem. Se você é indisciplinado e acha que vai cair no cheque especial tomando essa medida, solicite a suspensão do serviço na sua agência bancária, também.

O dinheiro em espécie é outra opção que, psicologicamente, pode fazer você economizar: em primeiro lugar, porque você não vai dar sopa saindo de casa com um maço de dinheiro na carteira. E depois, se tiver coragem, você sentirá na pele a dor de oferecer um maço do seu dinheiro ao caixa se você foi comprar roupas por impulso.

SIMULAÇÃO GRATUITA
Quer saber se é possível conseguir o empréstimo? O E-konomista te ajuda. Faça uma simulação gratuita e o cadastro por aqui.

4. Altere a sua cesta de serviços no banco

Você sabia que existe uma cesta de serviços (ou pacote de manutenção da conta) que é gratuito? E sabia que por determinação do Banco Central, todos os bancos são obrigados a oferecer a cesta básica de serviços quando o cliente solicita?

É claro que a cesta de serviços tem menos benefícios, mas dá direito a até dois saques por mês sem cobrança e outras funcionalidades obrigatórias e gratuitas. Ligue no seu banco e saiba mais. Já que você vai usar só o cartão de débito, vale muito a pena cortar essa despesa.

5. Programar pagamentos e investimentos

É na falta de planejamento que moram os erros financeiros. Depois de ter optado pelo uso do débito, você vai controlar as despesas fixas, como água, luz, internet, TV a cabo etc. Caso perceba que essas despesas têm consumido muito do seu dinheiro, talvez seja hora de aparar as arestas: reduza o pacote da TV ou o consumo de energia em casa. A hora de fazer pagamentos é assim que você recebe, mesmo que pague adiantado. Programe tudo para o dia do pagamento: o consignado, as contas de consumo, as parcelas de carnês etc. 

6. Conte com emergências

Essa dica é custosa, mas é importantíssima. Junto com os pagamentos, aproveite para programar uma transferência automática para a sua poupança, de preferência equivalente a 10% do seu salário. Acredite, se você tiver uma emergência, esse dinheiro que poupou vai cair como uma luva e você não precisará se desesperar na última hora. Se não tiver emergências, continue colocando o dinheiro lá e seja regrado: depois de um ano, você poderá ter as melhores férias da sua vida pagas à vista ou pode esperar mais tempo e juntar para realizar um sonho.

7. Use a tecnologia a seu favor

Essa é a dica mais importante. Tendo um smartphone, fica muito mais fácil regular a sua balança comercial e evitar erros financeiros. Comece baixando os aplicativos do banco para visualizar o seu saldo e extrato sempre que precisar. Você também pode pedir na sua agência bancária pelo envio de alertas de gastos por SMS a cada vez que uma transação for feita no seu cartão.

E mais tecnologia

Baixe um aplicativo para organizar o orçamento, como o Wally+ (mais aplicativos financeiros aqui). O app permite que você registre as despesas em diferentes categorias e oferece gráficos detalhados com um apanhado de todas as categorias e porcentagens em tempo real. Lá, você também pode definir metas para poupar.

Para que dê certo, não vale registrar só as despesas fixas ou grandes. Às vezes, o rombo do orçamento está onde você menos espera, nas coisinhas do dia a dia. Por isso, registre até o cafezinho. No fim do mês, você saberá quais são as suas maiores despesas fixas e variáveis e conseguirá ver onde deve segurar a barra.

Cadastre-se grátis e concorra a vários prêmios!


Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Gabriela Ventura Gabriela Ventura

Natural de São Paulo, estudante de Publicidade e Propaganda na USP. Não tem hobbies fixos nem rotina, é apaixonada pelo imprevisto. Foi fazer intercâmbio em Lisboa e... estendeu a estadia por tempo indeterminado.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar