Venda de imóveis residenciais novos cai em São Paulo

As vendas de imóveis residenciais somaram 828 unidades em julho, número 20,5% menor em relação ao mesmo mês do ano passado. Não há motivo para pânico, segundo nota. 

Venda de imóveis residenciais novos cai em São Paulo
As vendas de julho tiveram queda de 20,5% em relação a julho de 2015

O mês de julho de 2016 não foi dos mais positivos para o mercado imobiliário. As vendas de imóveis residenciais novos somaram 828 unidades, uma queda de 20,5% em relação a julho de 2015 e 60,5% a junho deste ano. Desde janeiro, as vendas somaram 8022 unidades, o que também representou uma queda significativa em relação ao ano passado, 25% abaixo do mesmo período.

As informações foram divulgadas pelo Sindicato de Habitação de São Paulo (Secovi – SP) na segunda quinzena de setembro.

Queda na venda de imóveis residenciais: motivo para preocupação?

Apesar de 2016 vir sendo um ano no qual a economia está parada e as pessoas tem medo de investir por conta da instabilidade política e nacional, a previsão não é negativa. O presidente do Secovi - SP, Flávio Amary, afirmou em nota à imprensa que a queda já era esperada pelo fato de julho ser mês de férias escolares e menor fluxo de famílias aos estandes de vendas.

A projeção, segundo ele, é de recuperação. “A perspectiva de adoção de medidas que estimulem o setor e, consequentemente, possam desencadear o processo econômico nos levam a crer que haverá um ambiente mais favorável aos negócios e investimentos”.

Preços de imóveis comerciais têm queda real de 18%

Em nota, Amary afirma ainda que a redução na taxa de juros, que hoje se encontra em 14,25%, é fundamental para retomada da produção e venda de imóveis. Segundo analistas do Secovi – SP o mercado segue concentrado em imóveis residenciais com valores até R$ 500 mil.

Outros números

O mês de julho contabilizou o 1099 unidades de imóveis residenciais lançados, número 49,5% inferior ao mês de junho e 33,2% superior ao mês de julho do ano passado. De janeiro a julho foram 6830 lançamentos de imóveis residenciais. O número caiu 37,1% em relação ao mesmo período de 2015.

O número de estoque de unidades residenciais – aquelas que ainda estão na planta, em obras ou foram entregues recentemente – teve crescimento de 0,07% em relação a junho e encerrou o mês com 24.627 unidades.

A velocidade de vendas, porém, desacelerou. A relação entre a quantidade de unidades comercializadas e o total disponível foi de 3,3% em junho contra 7,9% em junho. No mês de junho de 2015 o número era 3,7%.

A Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), com base em dados fornecidos por 19 incorporadoras imobiliárias do país, 4,3% das unidades imobiliárias tiveram vendas canceladas em julho, queda de 15% em relação a julho de 2015.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar