Financiamento imobiliário Itaú vale a pena? Veja as taxas e vantagens

Conheça as vantagens e as taxas do financiamento imobiliário Itaú. Uma das principais características do banco é a rapidez para analisar a proposta de crédito.

Financiamento imobiliário Itaú vale a pena? Veja as taxas e vantagens
A rapidez de aprovação é uma das vantagens do financiamento imobiliário Itaú

O financiamento imobiliário Itaú é destinado a quem deseja comprar a casa própria mas não dispõe de recursos suficientes para pagar à vista, sendo necessário recorrer ao parcelamento. Veja como solicitar o financiamento pelo Itaú e conheça as características antes de decidir se vale a pena.

Vale a pena fazer um financiamento imobiliário Itaú?

A principal vantagem de se fazer um financiamento imobiliário é ter a possibilidade de parcelar o valor integral do imóvel, sem necessidade de dar entrada. No entanto, qualquer financiamento tem a desvantagem dos juros cobrados, que às vezes fazem o bem quase dobrar de valor. Conheça as características do financiamento pelo Itaú:

1. No Itaú é possível utilizar o FGTS para amortizar ou quitar prestações do financiamento imobiliário, desde que se enquadre nas regras do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), entre elas o valor máximo de avaliação até R$ 750 mil nos estados de DF, MG, RJ e SP e de R$ 650 mil nos demais estados brasileiros.

2. Quando se compra um imóvel, os gastos com cartório podem chegar a 5% do valor total do bem. No Itaú é possível incluir o valor referente aos custos de cartório no financiamento imobiliário. Primeiro o comprador paga ao cartório e após fazer o registro do contrato pode pedir o reembolso ao banco.

3. O prazo mínimo para pagamento do imóvel é 12 meses e máximo de 360 meses, para financiamento pelo sistema de amortização constante, já para quem escolhe o sistema de amortização misto, o prazo mínimo é de 48 meses e máximo de 360 meses.

4. O valor mínimo para ser financiado é de R$ 62,5 mil, sem limite máximo. Sendo que para imóveis de valor até R$ 800 a burocracia e o tempo de aprovação é menor, em comparação aos imóveis mais caros.

5. No financiamento imobiliário Itaú há duas coberturas de seguro obrigatórias: MIP (Morte e Invalidez Permanente) e DFI (Danos Físicos ao Imóvel). Os valores desses seguros são somados à prestação mensal.

6. O financiamento imobiliário Itaú promete simplicidade na documentação. Para solicitar basta preencher uma proposta online e, numa fase posterior, apresentar os documentos os documentos pessoais e matrícula do imóvel e extrato do FGTS, se pretender utilizá-lo.

Financiamento imobiliário Bradesco: vale a pena?

Taxas

  • Tarifa de Avaliação de Bens Recebidos em Garantia: R$ 2.850,00.
  • Tarifa - Administração do Contrato: é cobrado o valor de R$ 25,00 mensalmente com a prestação, referente aos serviços de administração do financiamento. Essa tarifa é incorporada ao valor do financiamento.
  • Taxas de juros: variam conforme o tipo de sistema de amortização escolhido pelo cliente. No sistema de amortização constante (SAC) sempre que a taxa de juros aprovada for inferior a 11,5% ao ano, a sua manutenção fica condicionada ao pagamento das prestações por débito automático em conta.
  • A taxa de juros referente ao sistema de amortização misto, o cálculo é feito utilizando a taxa de TR + 11,5% ao ano para as primeiras 36 prestações e TR + 10,35% ao ano nas demais. Também nesta linha de financiamento, sempre que a taxa aprovada for inferior a TR + 11,5% ao ano, a sua manutenção fica condicionada ao pagamento das prestações em débito automático.

Leilão de imóveis: é confiável ou não?

A aprovação demora?

Para financiamentos de até R$ 800 mil, a resposta da análise do crédito é enviada em até 1 hora por e-mail, SMS ou através do consultor. Sendo que, quando o crédito não é aprovado na primeira tentativa, é possível enviar uma nova proposta com as devidas alterações.

Uma das exigências para o financiamento imobiliário Itaú é que o cliente não comprometa mais do que 35% dos rendimentos líquidos com o pagamento das parcelas. Quando a renda não é o suficiente para cumprir este pré-requisito, é possível somar os rendimentos do cônjuge.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Poliana Oliveira Poliana Oliveira

Nasceu em Brasília, cresceu em Goiânia e vive há oito anos em Portugal. Formada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa. Trabalha na área de Marketing Digital. Adora cães, cinema, dança e viagens.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar