Quer financiar um carro?

Receba já uma cotação com a melhor solução de crédito para você

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Seguinte

Financiamento de carros sem entrada: vantagens e desvantagens

O financiamento de carros sem entrada pode ser uma opção para quem não tem nenhuma reserva financeira e não consegue poupar. Mas será mesmo uma boa solução? Esclareça suas dúvidas.

Fazer um financiamento de carros sem entrada pode ser uma solução, mas fique de olho nas condições.

Uma das opções de crédito que conquistou muita gente foi o financiamento de carros sem entrada. Sem a necessidade imediata de dinheiro, o consumidor pode levar o carro para casar« e depois começar a pagar as prestações em até 60 meses. Parece muito bom, mas nem tudo o que parece é. Existem muitos contras nesse método de compra de veículos.

 

SIMULE ANTES DE INVESTIR
Faça uma simulação para o financiamento antes de investir. O E-Konomista disponibiliza essa opção gratuitamente. Veja aqui como consultar. 

Há alguns anos não era sequer possível fazer financiamento de carros sem entrada. Bancos e financeiras restringiam o acesso a essa modalidade de crédito e poucos eram beneficiados. Com um estímulo maior ao consumo, as exigências foram ficando mais flexíveis, o que acabou depois por aumentar a inadimplência. A maioria dos problemas nesse sentido é causada por erros comuns na hora de fechar negócio.


Hoje, praticamente todas as instituições financeiras oferecem o financiamento de carros sem entrada, que nada mais é do que financiar 100% do valor do veículo. Mas até que ponto isso é mesmo vantajoso?


 

Quero finaciar, e agora?

Do ponto de vista da economia, o financiamento de carros sem entrada pode ser uma opção perigosa porque o consumidor acaba por pagar muito mais pelo produto. E muito mais pode significar até mesmo o dobro do valor! Tudo acontece porque taxas de juros muito pesadas incidem sobre as parcelas.


Aumentar os juros é a forma dos bancos de sobressaírem à inflação e evitarem problemas futuros. Portanto, o consumidor pode encontrar alguma facilidade em fazer o financiamento de carros sem entrada, mas acaba por ser penalizado com um encarecimento muitas vezes surreal do veículo. Já conscientes dessa problemática, cada vez mais clientes têm deixado de recorrer à modalidade.


Mais vale poupar mesmo para pagar a entrada e minimizar os juros. Com algum esforço, uma grande economia será feita. Mesmo que a economia feita seja pequena e que haja urgência, é preferível investir na entrada. 

 

 

  • Lembre-se que uma opção inteligente também é não recorrer aos parcelamentos a perder de vista. Quanto mais mensalidades, maiores os juros. Por essa lógica, o financiamento de carros sem entrada em 60 meses pode ser considerada a forma mais cara de obter um veículo.

 


 

Outras opções

Há quem não tenha mesmo condições ou disponibilidade para dar entrada ao fazer um financiamento. As concessionárias já detectaram esse problema e passaram a oferecer a possibilidade de parcelar essa valor inicial. Depois de quitadas as parcelas, financia-se o valor restante do carro com juros bem mais reduzidos.


 

  • Existem ainda outras formas de comprar carro sem entrada além do financiamento. O consórcio e o leasing costumam ter juros menores, cada um com as suas particularidades. Vale à pena consultar as opções e ver qual delas se encaixa melhor no seu perfil de compra.

 


 

  • Se ainda assim você acha que o financiamento de carros sem entrada pode ser a saída, mas não quer ter gastos muito avultados, pode optar pelos modelos mais baratos. Não deixa de ser uma saída para quem não abre mão de curtir 2015 de automóvel novo.

 

 

Veja também:

Gostou? Compartilhe!