Quer financiar um carro?

Receba já uma cotação com a melhor solução de crédito para você

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Seguinte

Financiamento balão: entenda o que é e como funciona

Nova forma de captar compradores serve também para fidelizar clientes e melhorar a performance nas vendas. Conheça o funcionamento do financiamento balão.

 

Vai comprar carro novo? Conheça o financiamento balão

As vendas de veículos novos registram queda de 25,5% ao longo de 2016, aprofundando uma crise no setor automobilístico que já se pode chamar de crônica. As montadoras, como forma de reaquecer as vendas, lançam promoções e novas modalidades de aquisição de veículos, como o financiamento balão, em que o comprador paga um valor de entrada, financia o restante, e na última e derradeira prestação, paga um valor mais robusto, correspondente a algo entre 30% e 50% do valor total do veículo.

Pode causar estranheza, mas o novo sistema apresenta vantagens significativas em relação ao financiamento tradicional, o principal deles é a taxa de juros menor.

Menos juros e mais fidelidade, o grande atrativo do financiamento balão

O mecanismo do financiamento balão segue uma lógica um pouco diferente do financiamento tradicional, em que uma entrada é paga, com a divisão do restante do valor em parcelas iguais. Também se diferencia do consórcio e do leasing, modalidades de financiamento com parcelas fixas, sem entrada, geralmente quitadas em períodos mais longos.

No financiamento balão, há uma espécie de efeito sanfona, já que as parcelas intermediárias ficam menores, para que na última, a chamada parcela balão (pela inflada que causa no valor), o veículo seja quitado. É nesse momento que as montadoras esperam resultados positivos, pois essa parcela balão pode, como na Toyota e Hyundai (e outras montadoras), ser quitada com a venda do próprio carro financiado. Outra vantagem é que esse valor de revenda pode chegar a 85% do valor do veículo, como no caso da Toyota, para modelos adquiridos no financiamento balão batizado de Compra Certa.

Ou seja, para os compradores torna-se vantajoso, isso se os planos forem de trocar o veículo dentro do período do financiamento balão. Para as montadoras, a maior vantagem é a fidelização de clientes, algo cada vez mais difícil num mercado tão combalido.

Leia também: Como conseguir aprovação de financiamento de veículos

Diferenças nas taxas de juros em relação ao financiamento comum

Não se pode desprezar o fato de o financiamento balão oferecer taxas de juros menores, se comparado aos meios tradicionais. Por exemplo, no Sign and Go, da BMW, a taxa de juros é de 1,56%, enquanto no financiamento normal, a taxa é de 1,57%. Pode parecer pouco, mas no valor final pode dar uma diferença considerável, ainda mais se tratando de carros de luxo.

Há planos ainda mais atraentes, como o Replay, da Nissan, em que a taxa de juros de 1,02% sai mais em conta do que os 1,05% do financiamento tradicional. Mais atrativo ainda é o programa Sempre Novo, da Volkswagen, que a taxa de 1,39% do financiamento balão o torna muito mais vantajoso do que os 1,55% da modalidade normal de parcelamento.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!