Ficar muito tempo sentado pode ser tão prejudicial à saúde quanto fumar

Com consequências equiparadas ao tabagismo, passar muito tempo sentado pode acarretar de obesidade a doenças crônicas; saiba como mudar seus hábitos.

Ficar muito tempo sentado pode ser tão prejudicial à saúde quanto fumar
Sedentarismo pode reduzir a expectativa de vida e causar doenças

No desejo de ficar confortável, muitos profissionais passam seus dias sentados diante de um computador ou de uma tv, munido do ar-condicionado e um bom copo de café, se esquecendo do quão prejudicial à saúde essa mesma posição durante longos períodos pode ser. Foi o que constatou o cientista Rob Copeland, da universidade inglesa Sheffield Hallam, equiparando o estilo de vida sedentário aos riscos do tabagismo.

Dados alarmantes sobre o sedentarismo no trabalho

De acordo com a pesquisa de Copeland sobre a população britânica - o que também pode se aplicar em nosso âmbito nacional -, nos últimos 20 ou 30 anos, a distância caminhada por eles vem caindo em média 96,5km ao ano. Tais dados representam um aumento exponencial de indivíduos que se levantam apenas para ir ao banheiro ou buscar um copo de água ou café, elevando também as chances de contrair uma série de doenças, por vezes crônicas, relacionadas ao sedentarismo.

Entre os principais alertas está uma maior propensão a obesidade e problemas de maior gravidade como doenças cardiovasculares, diabetes e até mesmo alguns tipos de câncer ao longo do tempo; consequências muito semelhantes às que os fumantes também estão sujeitos. Além destas questões, homens podem reduzir suas taxas de fertilidade e a expectativa de vida dos acomodados pode ser até 50 vezes menor que a dos profissionais mais ativos.

No entanto, passar grandes períodos sentado torna-se inevitável diante de uma crescente automatização das profissões, as quais passam a ser exercidas quase 100% através de uma tela; o que vai na contramão da finalidade natural do corpo humano, a de estar sempre em movimento e pronto para situações inerentes à espécie, como a de fuga, caça e corrida, necessárias para a sobrevivência.

Ginástica laboral: sete exercícios para fazer no trabalho

A solução

Diante dessa realidade, muitas são as empresas que já inserem em sua política a prática de exercícios de relaxamento, alongamento e ergonomia a seus funcionários, a fim de condicioná-los a adotar o estilo de vida e aplicar o que lhes é ensinado também durante o expediente. O tempo ideal de pausas no trabalho, segundo especialistas no assunto, é passar 5 minutos em pé para cada 30 minutos sentado, ou 10 minutos a cada hora; sempre em múltiplos de 5. No entanto, boas práticas como ir caminhando ou mesmo de bicicleta ao trabalho, realizar ao menos 30 minutos diários de exercícios físicos e manter seu corpo em movimento ao longo do dia são simples atitudes que podem prolongar a expectativa de vida e evitar uma série de problemas de saúde a curto e a longo prazo.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar