Farmácia cobra taxa extra de homens

Diferente dos outros estabelecimentos, neste as mulheres pagam menos pelos produtos. Entenda o motivo

Farmácia cobra taxa extra de homens
Produtos femininos tendem a custar 7% a mais do que os masculinos em Nova Iorque (EUA)

Logo na entrada da farmácia é possível ler o cartaz na vitrine que diz: "Nova política da loja: todos os clientes do sexo masculino pagarão 7% de taxa". A atitude tomada pela americana Jolie Alony, dona da farmácia Thompson Chemists, que fica no no Soho, em Manhattan, Nova Iorque, irritou muitos homens. Ela fez isso para aumentar a conscientização sobre o "pink tax", ou importo rosa e a questão dos preços mais elevados para os produtos voltados para mulheres.

De acordo com um estudo de gênero feito pela cidade de Nova York (EUA) descobriu que produtos femininos tendem a custar 7% a mais do que os masculinos. E foi por causa disso que a proprietária da farmácia Thompson Chemists decidiu fazer algo sobre o assunto. Neste estabelecimento, todos os produtos masculinos levam uma taxa de 7%, chamada de “man tax”. Foi uma forma encontrada pela proprietária para protestar contra a desigualdade de gênero.

“Nós pensamos que essa seria uma grande ideia com todas essas coisas políticas que vêm acontecendo, envolvendo Hillary e o outro candidato mulherengo”, explicou Jolie Alony, a proprietária.

A ação, no entanto, não alterou os preços dentro da farmácia. Apesar do cartaz, não houve cobrança extra para os homens. Ao final, as mulheres que ganhavam 7% de desconto em suas compras. A atitude de Jolie Alony ganhou a internet e muitos homens se sentiram ofendidos e criticaram a ação, com palavras de repúdio e xingamentos. A farmácia chegou até a ser acusada de fazer "a medida mais sexista da história" e de tentar ganhar dinheiro em cima dos clientes masculinos.

Em entrevista ao The Huffington Post, Alony disse que recebeu ligações acusadoras e iradas de pessoas não identificadas. Mas fora da internet, os clientes aceitaram a medida e muitos homens demonstraram que não se importaram com o cartaz na vitrine da farmácia.

Foto: Reprodução Pexels

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Michelle Monte Mor Michelle Monte Mor

Formada em Comunicação Social e em Mídias Digitais. Escreve sobre o setor automotivo desde 2004. Não larga o smartphone e vive conectada às redes sociais. Adora viajar e dirigir.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar