Entenda por que morar fora do Brasil será decisivo para sua carreira

As competências adquiridas na experiência no exterior tem sido um diferencial para o currículo de quem teve essa oportunidade. Além da fluência em idioma estrangeiro, outras qualidades são apreciadas.  

Entenda por que morar fora do Brasil será decisivo para sua carreira
Veja também as melhores áreas em cada país do estrangeiro

TENHA UM CARTÃO DE CRÉDITO SEM ANUIDADEcpara usar no Brasil e no exterior
A experiência no exterior é considerada hoje um trampolim na caminhada profissional, principalmente para jovens recém-formados.  Em uma época de economia globalizada,  as organizações têm valorizado os profissionais que, além de terem ampla bagagem técnica e perfil adequados, saibam transitar em diversos ambientes corporativos, muitas vezes marcados por diferenças culturais. 


Benefícios de morar fora


Fator decisivo

Quem teve alguma experiência de trabalho ou estudo no exterior, tem antes de tudo uma experiência pessoal engrandecedora que normalmente só aqueles que a vivenciaram compreende. As capacidades de interagir e compreender pessoas das mais variadas culturas e costumes são ampliadas, o que permite ao funcionário ser muito mais operacional.  
 
O ganho de fluência em um idioma estrangeiro também é um diferencial para a carreira. O Brasil tem muitas empresas multinacionais carentes de profissionais brasileiros com fluência em linguas. Mesmo que a empresa não seja uma multinacional, falar um segundo (ou mais) idiomas conta pontos para os candidatos à vagas de emprego.
 
  • As empresas buscam hoje por profissionais com autonomia, que sejam críticos. Foi-se o tempo que os bons funcionários eram aqueles que somente acatavam ordens. Hoje procura-se por aqueles que reflitam, sugiram, inovem, interajam.  E a experiência internacional é decisiva na criação desses “profissionais pensantes”.
 

Novos horizontes

Quando se vive no estrangeiro, surge a oportunidade (e por que não dizer a necessidade) de conhecer novos lugares, novas culturas, novos países. O contato com pessoas de todo o mundo (e que conhecem muitas partes do globo) impulsiona a vontade de viajar. E viajando, ganha-se muita experiência pessoal, viajar permite que a pessoa possa se conhecer muito melhor. 
 
Segundo especialistas, quando se viaja para um país estrangeiro, vê-se na necessidade de “se virar” sozinho, e isso facilita a tomada de decisões, amplia os horizontes, cria facilidades de resolver situações de tensão com mais calma. E essas características são essenciais para o mundo dos negócios.


Impacto na carreira

OPORTUNIDADE DE EMPREGO
O E-Konomista não brinca em serviço, e vai te ajudar a encontrar a oportunidade certa. Faça o cadastro gratuitamente e receba vagas no Brasil e no exterior.
Independentemente da profissão ou tipo de carreira que uma pessoa escolha, a experiência no exterior transforma sua visão de mundo e impacta positivamente suas escolhas futuras, e as empresas estão de olho nesses profissionais com escolhas e vivências amadurecidas . A experiência no exterior conta pontos precisosos na hora de se candidatar a uma vaga de emprego, muito maior do que um mero status, como era antigamente.
 
  • Mesmo as pessoas mais talentosas acabam percebendo, em algum momento, que a falta de vivência internacional tem impedido um avanço mais rápido na carreira ou a conquista de posições mais interessantes. Até mesmo a falta de fluência em inglês, idioma praticamente obrigatório nos principais cargos disponíveis no país, está em falta nos bons profissionais brasileiros. E quem não tem fluência em inglês está em franca desvantagem com quem chega do exterior com toda a experiência citada acima e o idioma bem afiado.


Quando é melhor investir

Mas não se trata somente de ir morar no exterior, ter boas experiências pessoais e voltar  ao país de origem, que todas as portas se abrirão.  A escolha sobre a experiência no exterior depende de um bom planejamento e da análise do custo benefício envolvido.
 
Na hora de se  decidir, é importante fazer uma análise bem criteriosa do local a se morar, do curso a se fazer e das experiências que será capaz de ter considerando o seu orçamento.  Segundo especialistas, muitas vezes é preferível fazer um curso de curta duração, bem focado em sua área, do que um especialização antes do tempo, quando não se tem, ainda, a bagagem suficiente para aproveitá-lo, nem perspectivas de vir a ser promovido para uma posição mais alta quando retornar ao Brasil. 
 
  • A melhor época para se ter esse tipo de experiência é  ainda no período da faculdade, ou logo depois de formado. Isso faz com que as alternativas de emprego sejam ampliadas tanto pela experiência em si, quanto pelo domínio de outros idiomas. Além disso, é uma idade de formação pessoal, em que se é mais maleável a mudanças e normalmente não constituiu família, o que torna mais fácil estar afastado por um bom período.

Faça o cadastro no E-konomista e receba diariamente vagas e oportunidades no Brasil e exterior.


Avalie o custo benefício

A escolha deve ser bem criteriosa, pois o esforço não é pequeno, considerando-se investimento financeiro, estar distante de pessoas queridas e sair da zona de conforto. Mas a grande maioria das pessoas aprendem muito com a experiência – sejam elas boas ou nem tão boas assim – o aprendizado é garantido. 
 
  • É certo que a escolha deve levar em consideração o planejamento de carreira, e fazer parte de estratégias cuidadosamente delineadas para se alcançar os objetivos profissionais. Para isso é recomendado a busca por um trabalho de coaching para que um profissional identifique com clareza seus pontos fortes e desafios, e assim possa traçar uma estratégia vencedora na qual a vivência no exterior seja um elemento que alavanque a sua carreira. 

As melhores áreas em cada país

Não existe uma fórmula secreta para decidir qual é o melhor país para se ter a experiência no exterior. Tudo depende de uma série de fatores como a área a estudar, a faculdade referência, a adaptação à cultura do lugar, ao clima, e muitos outros. Para facilitar a sua busca por um país que seja indicado para a sua área, as sugestões são:
 
  • Engenharia: Canadá, EUA e Alemanha
  • Economia: Irlanda, Austrália, Nova Zelândia, EUA, Canadá
  • Direito:  EUA, Portugal, Reino Unido, Argentina
  • Ciências da Saúde: França, Reino Unido, Bolívia, Cuba, EUA
  • Ciências Humanas e Sociais: Espanha, Portugal, Itália, Austrália
  • Artes:  Espanha, Portugal, Itália, França
  • TI:  EUA, Canadá, Japão, China, Singapura

Podemos perceber como EUA e Canadá são referência em várias áreas, e há inumeras vagas de intercâmbio para esses países. 


Quer ter essa experiência?

Confira aqui as vantagens e desvantagens dessa experiência além de 8 passos fundamentais para quem quer estudar no exterior.
 
Estudar inglês vai dar um up na sua carreira. Aprenda rápido!
   

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Ana Luiza Fernandes é brasileira, natural de Minas Gerais, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e hoje cursa Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, Portugal. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural, Fotografia, Documentário e Assessoria de Imprensa e é apaixonada pela profissão desde criança.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar