As 5 estradas mais perigosas do Brasil para dirigir

Você sabe quais são as estradas mais perigosas do Brasil? Algumas delas reduziram o número de acidentes e outras subiram no ranking.

As 5 estradas mais perigosas do Brasil para dirigir
São nestas estradas que encontram-se o maior número de mortos e feridos ano passado

Agende o seu test drive gratuito

No ano passado 8.200 pessoas foram vítimas de acidentes graves de carro nas rodovias federais brasileiras. Durante o período de carnaval, 155 pessoas morreram nas estradas. O nosso país é todo interligado por rodovias e muitas delas são extremamente perigosas, seja por defeitos na estrada – como a má qualidade do asfalto ou da sinalização, por exemplo – ou por imprudência dos motoristas que ali circulam. Saiba quais são as estradas mais perigosas do Brasil e quais deixam maior número de mortos e feridos por ano.

Os trechos da estradas mais perigosas do Brasil também são os que mais matam

estradasmaisperigosasdobrasil


Conheça o ranking das estradas federais mais perigosas do Brasil realizadas com base no número de acidentes graves acontecidos entre agosto de 2013 e julho de 2014.

1º lugar – BR 101 – Espírito Santo a Santa Catarina

Essa é considerada a rodovia federal mais perigosa do país, pois tem diversos trechos com altos índices de acidentes. Se você for circular por algum deles, é melhor redobrar a atenção e dirigir com extrema cautela:

  • No trecho entre os quilômetros 200 e 220, dentro do Estado de Santa Catarina, aconteceram 209 acidentes graves no período mencionado, com 218 feridos com gravidade e 18 mortos.
 
  • No trecho entre os quilômetros 260 e 270, dentro do Estado do Espírito Santo, aconteceram 115 acidentes graves no período, com 139 feridos e 11 mortos.
 
  • No trecho entre os quilômetros 140 e 150, também no Espírito Santo, aconteceram 89 acidentes graves, com 88 feridos com gravidade e um total de 12 mortos.
 
  • No trecho entre os quilômetros 290 e 300, novamente no Espírito Santo, aconteceram 65 acidentes graves, com 69 feridos com gravidade e 9 mortos.
 

2º lugar – BR 222 – Ceará ao Pará

A rodovia federal que liga Fortaleza (Ceará) até Marabá (Pará) foi considerada a segunda mais mortal do período. O trecho mais perigoso são os primeiros 10 quilômetros da rodovia. Ao todo, 168 acidentes graves aconteceram no trecho deixando um saldo de 204 feridos e 9 mortos, segundo a Polícia Rodoviária Federal.

A PROCURA DO CARRO IDEAL?
Antes de comprar, informe-se, teste e compare. Receba no seu email as melhores dicas e ofertas imperdíveis para você encontrar o carro dos seus sonhos.

3º lugar – BR 316 – Pará a Alagoas

A rodovia federal que liga o Piauí ao Pará também teve muitos acidentes graves. As principais causas apontadas pela Polícia Rodoviária Federal foi excesso de velocidade e ultrapassagem em local proibido.

  • Entre os quilômetros 0 e 10, dentro do Estado do Piauí, foram registrados 74 acidentes no período, sendo que 76 pessoas ficaram feridas com gravidade, 9 pessoas morreram.
 
  • Dentro do Estado do Pará, num espaço de 10 quilômetros nesta mesma rodovia foram contabilizados 90 acidentes graves, em que 96 pessoas se feriram gravemente e 9 morreram.
 

4º lugar – BR 381 – Espírito Santo/Minas Gerais/São Paulo

A BR 381 já foi muitas vezes a primeira colocada no ranking das mais violentas, e ainda é famosa e conhecida por Rodovia da Morte. Ela se estende na maior parte dentro do Estado de Minas Gerais e faz conexão entre as capitais Belo Horizonte e São Paulo, onde é chamada de Rodovia Fernão Dias. De 2013 para cá, a rodovia teve queda no número de acidentes graves em mais de 19%, o que a fez cair para o quarto lugar.  No período foram 146 acidentes graves, 157 feridos graves e 15 mortos, segundo a Polícia Rodoviária Federal.

5º lugar – BR 116 – Ceará ao Rio Grande do Sul

A principal rodovia do Brasil, que corta todo o país, passa por 10 estados, tem início em Fortaleza (Ceará) e fim na fronteira do Uruguai com o Rio Grande do Sul.  Já foi campeã em número de acidentes, principalmente no trecho que liga São Paulo a Curitiba, conhecida como Régis Bittencourt. De 2008 para cá, teve redução de 17% no número de acidentes graves e 19% no número de mortos.  Com a queda considerável no número de acidentes graves, a 116 caiu 3 posições, mas ainda continua como uma das estradas mais perigosas do Brasil. No período relacionado foram registrados nos quilômetros entre São Paulo e Curitiba um total de 140 acidentes com mortos, 155 feridos graves e 14 mortos.

Antes de comprar experimente. Agende um test drive online e gratuito.
 

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Ana Luiza Fernandes é brasileira, natural de Minas Gerais, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e hoje cursa Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, Portugal. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural, Fotografia, Documentário e Assessoria de Imprensa e é apaixonada pela profissão desde criança.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar