Como fazer estágio no exterior

Experiência internacional agrega muito ao currículo. Saiba como escolher o destino e quais são os pré-requisitos para se candidatar a um estágio no exterior.

Como fazer estágio no exterior
Confira o passo a passo para trabalhar no exterior.

O mercado de trabalho é uma selva, na qual vence aquele que tiver maior qualificação e melhor indicação. Nesse quesito, não há dúvidas de que o intercâmbio ou um estágio no exterior é um diferencial e tanto no currículo, que mostra que o estudante não só sabe falar outro idioma como também teve a convivência com uma cultura completamente diferente da sua e viveu uma experiência transformadora.

No caso do estágio, além de permitir ao estudante por em prática aquilo que vivencia na sala de aula a experiência rende especialização na área de formação, agrega valor ao currículo e insere o aluno no mercado de trabalho. Saiba mais sobre os programas de estágio e confira os pré-requisitos para participar.

Planeje o seu estágio no exterior

A vivência internacional é um diferencial para quem deseja disputar as melhores vagas do mercado, e conciliar essa experiência com o curso superior será ainda mais enriquecedor. Mas antes de partir para o primeiro dia de trabalho é preciso se planejar, principalmente porque uma experiência tem suas diferenças com um estágio no Brasil.

O estágio no exterior é uma opção não só de estudantes que estão cursando ensino superior ou que concluíram recentemente, mas também de profissionais que desejam mudar de carreira. No geral, eles têm entre 18 e 32 anos e é exigido pelo menos nível intermediário do idioma do país de destino.

Paula Semer Prado, diretora da Abipe (Associação Brasileira de Intercâmbio Profissional e Estudantil), afirma, em entrevista ao site Estudar Fora, que é necessário focar em três pontos antes de encarar o estágio no exterior:

1. Planejamento financeiro: intercâmbios não são baratos, mas é possível viver essa experiência se você planejar bem o orçamento. O primeiro passo é estar ciente do quanto tem de dinheiro para fazer a viagem e o quanto é necessário para completar o valor do sonho. Leve em consideração o custo de vida local, despesas básicas e um fundo de emergência.

Existem programas de estágio remunerados e não-remunerados e isso varia bastante de país para país. Nos Estados Unidos, por exemplo, que é o principal destino dos intercambistas, a maioria não é remunerado. Avalie quais são suas condições e se você pode ou não participar de programas que não pagam “salário”.

2. Fluência no idioma: a maioria das empresas pede que o estudante tenha, pelo menos, nível avançado no idioma local e possa se comunicar e se fazer entender. Por isso, antes de arrumar as malas invista em um curso do idioma que precisa aprender e estude muito a pronúncia, escuta, escrita e leitura para poder realizar as atividades da empresa com maestria.

3. Foque na experiência, não no país: por mais que você sonhe em conhecer a Torre Eiffel e deseje partir para a França pense se esse é o melhor destino para sua área de atuação. O estágio no exterior tem como objetivo te trazer experiência profissional, então foque naquilo que será bom para seu currículo e te colocará em contato com a sua área.

Os principais destinos escolhidos são Estados Unidos, Canadá e Inglaterra, mas fugir do tradicional pode lhe render bons frutos. Austrália e Nova Zelândia têm vagas para administração, hotelaria, negócios internacionais e atendimento ao cliente.

Estágio no Exterior

 

O que é preciso para fazer estágio no exterior

Existem alguns pontos comuns que tornam o estudando apto a participar de um programa de estágio no exterior. Além da fluência no idioma são necessários:

  • Ótimo currículo acadêmico: o aluno que apresenta excelência nas atividades acadêmicas, boas notas, participação em projetos extracurriculares e características como iniciativa e proatividade terá melhores chances de conseguir um bom estágio. Mostrar disposição, vontade de aprender e estar aberto a novas experiências e críticas também são pontos positivos;
  • Visto de permanência no país: o processo é burocrático, mas necessário para garantir a experiência internacional do estudante, já que dessa vez o visto é de permanência e não de turista. É preciso ficar atento às exigências do consulado do país de destino para estar com a documentação em dia antes de viajar;
  • Capacidade de se adaptar: a distância da família e dos amigos, as diferenças culturais e a dificuldade de entender o idioma são alguns dos fatores que podem desestabilizar o estudante e fazer com que ele desanime da experiência no exterior. É preciso ter disposição para se adaptar, estar aberto a novidades e ter maturidade para encarar a mudança.
  • Tempo disponível: o estudante deve ter em mente quanto tempo pode passar em outro país antes de se comprometer com o estágio. A maioria das instituições recomenda pelo menos seis meses, mas em alguns casos o aluno decide vivenciar a experiência durante o período de férias. A empresa precisa saber até quando pode contar com o aluno.
Estágio no Exterior

 

Como encontrar vagas

Existem dois caminhos para encontrar vagas de estágio no exterior: por conta própria, também chamado de self placement, e por meio de agências especializadas.

No primeiro caso o próprio interessado procura pelas vagas, e a busca pode ser feita em sites, redes sociais voltadas para o mercado de trabalho – como o Linkedin -, contato direto com empregadores ou via indicação. Ao conseguir a vaga, o estudante deve acertar os detalhes do contrato com o empregador.

Já as agências de intercâmbio mantém contato constante com empresas no exterior e garantem a vaga caso o estudante faça a adesão ao programa. O estudante interessado deve levar seu currículo à agencia, que fará o cadastro no banco de dados das empresas de interessa e negociará todos os detalhes.

Em ambos os casos é necessário que o acordo entre empresa e estudante seja reconhecido por órgãos dos dois países. Só dessa forma o estágio é legalizado e o estudante tem seu visto aprovado.

Leia também: Há empregos no exterior para brasileiros?

Programa IASTE

A IASTE (International Association for the Exchange of Studentes for Technical Experience) é uma entidade não governamental que promove intercâmbios entre estudantes com vínculo universitário com duração de um a 12 meses dentro da área de estudo. Para cada estagiário do Canadá que vai para a França, por exemplo, uma empresa da França manda um estudante para o Canadá.

O programa oferece bolsa auxílio para cobrir as despesas básicas, tais como acomodação, transporte e alimentação, e está presente em mais de 80 países. Os estudantes acumulam pontos a partir do envolvimento em atividades da associação, como buscar intercambistas no aeroporto ou promover eventos de integração. Quanto mais alta a pontuação maiores as chances de conseguir vagas em países concorridos.

Gostou? Compartilhe!
Na Web:

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar