Os 5 erros de português mais graves cometidos em currículos

Cometer erros de português no currículo pode fazer o candidato perder pontos na avaliação ou mesmo perder a chance de concorrer a vaga. Saiba quais são os principais e evite-os.

Os 5 erros de português mais graves cometidos em currículos
Veja os erros de português que podem comprometer o sucesso de um candidato

Ter um bom português é um pré-requisito básico para a maioria das carreiras profissionais. Ao enviar um currículo a uma empresa, o candidato tem que ter atenção redobrada para não cometer erros de português. Pode parecer um erro bobo, mas ele pode fazer com que você perca pontos frente aos demais candidatos ou mesmo enviar o seu currículo para o lixo.

Por que um erro de português é tão grave no currículo?

É grave porque isso pode demonstrar uma das duas situações abaixo, e nenhuma das duas é positiva:

  • Que o candidato tem um português deficiente e que possivelmente vai assaltar a gramática quando estiver falando com um cliente, por exemplo.
  • Que o candidato não revisou o seu currículo antes de enviar, o que demonstra descaso com processo seletivo. 

Quais os erros de português mais frequentes nos currículos?

Os erros de português encontrados nos currículos são muitos, mas os mais frequentes e mais graves são:

1. Erros de ortografia e digitação

Muitos candidatos por desinformação ou pressa na hora de escrever o currículo acabam deixando passar uma palavra escrita errada. Se um recrutador dá de cara com um ‘poblema’ desses acaba ‘dessclassificando’ um candidato. Se você ficou na dúvida como se escreve alguma palavra, procure num dicionário, não mande o currículo com dúvida. Peça alguém para revisar para você pois muitas vezes um erro nosso passa despercebido mesmo que tenhamos relido texto.  É comum também muitas pessoas ignorarem acentos ortográficos. A falta ou erro no uso dos acentos também configura um erro de português e lembre-se: o Ç não é uma letra em extinção, não se pode usar o C no lugar do Ç, faz toda a diferenÇa. Os erros de ortografia mais comuns são:

  • Escrever estájio, ao invés de estágio – o mesmo com estagiário.
  • Poblema ao invés de problema
  • Empreza ao invés de empresa – o mesmo com empresário
  • Trabalhar de mais ao invés de trabalhar demais
  • Engolir os acentos de: informática, gerência, período, econômico, inglês e português.

2. Erros de pontuação

erros de português


Muitos candidatos têm problema na hora de fazer a pontuação, principalmente com a vírgula. Alguns abolem completamente essa pontuação e trazem frases sem fim e sem coerência, enquanto outros querem colocar vírgula demais, a cada respirada e interrompem o pensamento deixando a frase completamente errada.  É preciso lembrar: você nunca pode separar o sujeito do verbo com vírgulas. Se não leva muito jeito com o português o melhor é fazer frases curtas e objetivas para evitar qualquer erro.

3. Erros de concordância

Esse erro de português é dos mais graves de toda a lista, é daqueles que ‘chega doer’ ao ler uma concordância errada em um currículo, e infelizmente muita gente comete. Se um candidato escreve no currículo currículo a frase “Segue as cartas de recomendação”, está dando um tiro no pé. O correto é “seguem as cartas”. É comum encontrar erros como:

  • Seguem anexo os documentos solicitados – Correto: Seguem anexos os documentos solicitados.
  • Aceita-se encomendasCorreto: Aceitam-se encomendas
  • Precisam-se de estagiáriosCorreto: Precisa-se de estagiários
  • Eles tem feito o que podem nesta empresa – Correto: Eles têm feito o que podem nesta empresa.
  • Existe muitos problemas nesta empresa – Correto: Existem muitos problemas nesta empresa.

4. Uso incorreto dos verbos fazer e haver

Em um currículo, é muito comum o candidato precisar fazer uma referência a um tempo passado, por isso precisa usar os verbos haver e fazer com regularidade. Muitos candidatos cometem erros terríveis ao conjugar esses verbos. Veja os erros de português mais comuns:

  • Fazem dois meses que trabalho nesta empresa – Correto: Faz dois meses que trabalho nesta empresa.
  • Atuo no setor de controladoria a 15 anos – Correto: Atuo no setor de controladoria há 15 anos
  • Há dois anos atrás, iniciei meu mestrado – Duas formas corretas: Há dois anos, iniciei meu mestrado’ ou ‘Dois anos atrás, iniciei meu mestrado.

5. Usar palavras erradas ou com sentido trocado

erros de português


A língua portuguesa tem palavras que são parecidas, mas que têm sentido muito diferente. Muitas delas mudam de sentido de acordo com a preposição que a precede, e alguns candidatos acabam cometendo graves erros de português no currículo por falta de atenção nesses detalhes. Veja os mais comuns:

  • Nada fazia se não reclamar Correto: Nada fazia senão reclamar.
  • Ao meu ver, a entrevista foi um sucessoCorreto: A meu ver, entrevista foi um sucesso.
  • Não sei exatamente aonde fiz o cursoCorreto: Não sei exatamente onde fiz o curso
  • Ele visava o cargo de gerente – Correto: Ele visava ao cargo de gerente.
  • Eu vim afim de discutir o projeto Correto: Eu vim a fim de discutir o projeto.
  • Prefiro o cargo de secretário do que estagiárioCorreto: Prefiro o cargo de secretário a estagiário.
  • Vocês não responderam o meu e-mailCorreto: Vocês não responderam ao meu e-mail.
  • A pesquisa será realizada a nível de direçãoCorreto: A pesquisa será realizada em nível de direção.


Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Ana Luiza Fernandes é brasileira, natural de Minas Gerais, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e hoje cursa Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, Portugal. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural, Fotografia, Documentário e Assessoria de Imprensa e é apaixonada pela profissão desde criança.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar