Empréstimo Pessoal BV Financeira: como solicitar

Precisa de empréstimo e tem dúvidas sobre onde pedir e quais taxas irá pagar? Saiba se o empréstimo pessoal BV Financeira é a melhor opção para você e como solicitar um. 

Empréstimo Pessoal BV Financeira: como solicitar
Conheça as vantagens e desvantagens do serviço

Pensando em fazer um empréstimo pessoal BV? Antes de saber do produto financeiro é importante saber que a  empresa foi fundada 1996 e é uma das pioneiras no que se refere a crédito pessoal. Atualmente conta com dezenas de filiais espalhadas pelo Brasil. A companhia é conhecida por facilitar a tomada de empréstimos pessoais e garantir boas condições de pagamento, além de rapidez na hora de liberar o dinheiro. Abaixo é possível saber mais.

Como solicitar um empréstimo pessoal BV

O empréstimo pessoal BV é autorizado com facilidade de aprovação e rapidez na liberação do dinheiro. O atendimento pode ser feito por meio do site telefone ou e-mail, locais onde o cliente poderá tirar todas as dúvidas sobre os produtos e empréstimos.

Quem pode pedir

Qualquer pessoa maior de 18 anos, que não possua restrição no nome, pode solicitar o empréstimo, porém a financeira pode exigir comprovação de renda. Para fazer a solicitação do valor, a pessoa terá que ir a uma das lojas da BV Financeira e levar os documentos de identificação, tais como, RG, CPF, comprovante de residência e comprovante de renda.

PRECISA DE CRÉDITO
para
colocar
as finanças em dia?
saiba mais

Taxas de juros

De acordo com o Banco Central do Brasil, a média de juros cobrada para empréstimo pessoal BV Financeira é de 8,31% ao mês. Ou seja, ao pegar o valor de R$ 5 mil, para pagar em doze parcelas a juros de 8,31% ao mês. As parcelas serão de R$ 674,17, e o valor total será de R$ 8.090,04.

Quando você deve considerar pedir um empréstimo pessoal

Vale a pena?

Quem decide que o empréstimo da BV vale a pena deve apenas prestar atenção do Custo Efetivo Total (CET), que é o valor total do que foi emprestado. Ele mostra todas as taxas, juros e tarifas que foram cobradas. Esse valor deve estar contido em todos os contratos feitos por financeiras ou bancos.

Antes de assinar um contrato é fundamental analisar com cuidado o CET, ele deve estar de forma clara e bem explicada. O mesmo vale para os casos onde aparecem tarifas sobre as quais o tomador do empréstimo não esteja certo se deva pagar ou não reconheça.

Também é necessário ficar atento ao contrato e aos encargos, como multa e comissão de permanência, que ocorrem no caso de atraso no pagamento das parcelas. Fale com gerente, antes de assinar, para não ter problemas futuros.

Conheça a solução de crédito sob medida para você.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Elisabete Machado Elisabete Machado

Brasileira, natural de São Paulo, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-graduada em Fundamentos da Cultura e das Artes pela Universidade Estadual Paulista. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar