Empréstimo entre pessoas físicas: saiba como funciona

Rápido, sem juros e com juros mais acessíveis. O empréstimo entre pessoas físicas pode lhe ajudar a sair do vermelho, mas em alguns casos é bom ficar atento!

Empréstimo entre pessoas físicas: saiba como funciona
O empréstimo entre pessoas físicas é menos burocrático, mas é preciso estar atento.

O acúmulo de prestações, fatura do cartão de crédito e limite do cheque especial pode quebrar o orçamento familiar. Seja por ter perdido alguma fonte de renda ou ter dado um “passo maior que a perna”, o fato é que as dívidas crescem e o desespero de não conseguir pagar aumenta cada vez mais.
 

Se o dinheiro apertou e pedir um empréstimo ao banco não parece uma boa solução, saiba que é possível fazer empréstimo entre pessoas físicas. Essa prática, cada vez mais comum, pode talvez atender melhor as suas necessidades. Mas é preciso ter cautela. Conheça mais sobre este tema.
 

O que é empréstimo entre pessoas físicas?

O empréstimo entre pessoas físicas, é um empréstimo realizado entre particulares. Em outras palavras, quem empresta o dinheiro não é um banco ou financeira, mas uma pessoa que pode ser do círculo familiar ou social de quem pede o empréstimo, ou não. A partir de um acordo, o dinheiro é liberado com o acréscimo de juros mais acessíveis, ou até mesmo sem juros, caso o empréstimo seja feito por alguém próximo.
 
Esta prática pode ajudar qualquer pessoa a sair de um sufoco financeiro e a voltar a respirar de forma desafogada. Memso que seja feito entre amigos ou familiares, é importante firmar o acordo por escrito fazendo um contrato mútuo, e tal como acontece com qualquer outra situação, está sujeito a determinadas regras, as quais abrangem ambas as partes.
 


Vantagem do empréstimo entre pessoas físicas
As taxas de juros são mais baixas do que bancos e empresas, afinal o negócio é feito diretamente entre as partes interessadas. Diferentemente do que ocorre nos estabelecimentos comercias, já que precisam de um intermediário para consolidar o acordo. Além disso, a transação é menos burocrática, e a análise de crédito menos rigorosa.
 
 
Cuidados na hora de fechar negócio
Nas regulamentações brasileiras, os juros do empréstimo entre particulares tem que ser até 12%. Acima disso já pode ser considerado agiotagem e ter grandes problemas na justiça.
 

Como fazer um contrato de empréstimo entre pessoas físicas?

É necessário elaborar um contrato que conste todas as condições do negócio, inclusive as garantias legais. Para minimizar os riscos (que todo negócio tem), é importante buscar uma assessoria jurídica para concluir este pacto.
 

Prazo de pagamento e como proceder caso a dívida não seja paga?

É aconselhável fechar um prazo de pagamento antes de assinar o contrato. Assim assegura tanto o devedor, quanto o credor.
Mas, se mesmo com os prazos preestabelecidos o pagamento não ocorrer, o processo deverá seguir para as instâncias judiciais. Nesta situação, a existência de um documento reconhecido em cartório pode ser fundamental para provar a existência da dívida. Seja emprestar ou pedir emprestado, é importante estar bem atento para não ter problemas futuramente.

 

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Carolina Benevides Carolina Benevides

Jornalista brasileira, Carolina Santarosa é formada pela Universidade de Fortaleza desde 2011. Atualmente cursa o 2º ano do Mestrado em Ciências da Comunicação na Universidade do Porto. A profissional já trabalhou no marketing da Red Bull, foi Assessora de Comunicação da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza e do North Shopping Fortaleza. Fez intercâmbio acadêmico nos Estados Unidos e atualmente mora no Porto (Portugal).

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar