Empreendedorismo Rosa: o que é

No Brasil, maioria das empresas ainda paga mais aos homens com as mesmas capacitações que mulheres

Empreendedorismo Rosa: o que é
Blog visa incentivar iniciativas produtivas entre mulheres

Elas ainda possuem ganhos mais baixos que os homens, mesmo para as mesmas funções, a despeito de responderem por 63% dos diplomas universitários. É pelo fato das mulheres ainda serem frequentemente desvalorizadas no mercado de trabalho e por outras razões que surgem iniciativas como o Empreeendedorismo Rosa

Fundado por Lênia Luz Nogueira, que dentre outras capacitações é especialista em Empreendedorismo pela FGV/Goldman Sachs, através do projeto “10.000 Women”, o blog que desde o nome se refere a causas femininas surgiu com o intuito de promover e incentivar iniciativas para as mulheres que querem empreeender

As mulheres ainda são subestimadas?

A necessidade de ter um blog como o Empreendedorismo Rosa vem do cenário atual do Brasil, onde no início de 2014, de uma mostragem de 300 empresas brasileiras, 47% não tinham mulheres em cargos de liderança, segundo a pesquisa International Business Report. Tendo em conta que as mulheres têm demonstrado, em geral, mais dedicação que os homens, pelo menos quanto a formação, pode-se entender que o problema da baixa ascenção das mulheres seja a estrutura atual das corporações.

Um dos pontos-chave para esse quadro poderia ser a pouca flexibilidade das empresas em relação às mulheres, que sendo mães, têm boa parte da rotina e ritmo de vida substancialmente alterados, se tornando por vezes complicado conciliar todas as obrigações com condições e horários rígidos de trabalho. 

Outro ponto também pode ser a falta de inspiração ou referência no meio de trabalho, dominado majoriatariamente por chefes e líderes homens. Isso reflete numa pesquisa conduzida pela presidente executiva do Facebook, Sheryl Sand­berg, que no livro “Faça Acontecer” aponta que apenas 18% das mulheres que trabalham almejam cargos de liderança, enquanto os homens almejam na porção dobrada. 

Mundo machista

Outra questão importante também a se vencer ainda no mercado de trabalho é o machismo nas profissões, que defende ideias como as difundidas pelo CEO da Microsoft, Satya Nadella, que declarou em outubro deste ano que “mulheres não deveriam pedir aumento de trabalho”, pois não reivindicar por salários maiores seria um “super poder”. Apesar de ter se desculpado posteriormente, a ideia ecoou na mídia e causou más reações por parte do público feminino.

As iniciativas incentivas pelo Empreendedorismo Rosa visam valorizar a capacidade da mulher de empreender, sem deixar de lado as outras tarefas que pode vir a ter no dia a dia, como às associadas ao fato de ser mãe


Veja mais:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar