Descubra quanto custa um divórcio

Quer saber quanto custa um divórcio? Veja o valor mínimo para a separação mais simples e qual o prazo para ser realizado.

Descubra quanto custa um divórcio
Saiba a diferença entre o divórcio consensual e o litigioso

O divórcio é um processo que com o passar dos anos se tornou menos burocrático. Muitas pessoas ainda têm dúvidas de como fazer o pedido e quanto custa um divórcio. Seja ele realizado no cartório, no judiciário ou no litigioso, sempre existem custos e as taxas e impostos a serem pagas. Veja quanto custa um divórcio.

Quanto custa um divórcio?

O processo de divórcio pode ser realizado de duas formas: no cartório ou diretamente no judiciário, e a principal diferença entre as duas é o tempo e os custos. Em termos de documentação, o sistema judiciário é mais barato, porém, o processo é mais demorado. Já no cartório é mais rápido, no entanto, é mais caro.

Entretanto, todos os divórcios que envolvam partilhas de bens têm custos para transferências de imóveis e empresas, que também envolvem novos registros ou transferências nas juntas comerciais, por isso, os tornam mais caros.

Os divórcios realizados em cartório e para separações de comum acordo e que não tenham filhos menores de idade, são taxados apenas pela averbação do divórcio e pelo valor da escritura variável de acordo com o patrimônio. Se não houver bens para serem partilhados existe uma taxa mínima a ser paga e que varia para cada estado. Em São Paulo, o valor mínimo de quanto custa um divórcio é de R$ 326,27.

Diferença entre o consensual e o litigioso

O divórcio consensual é aquele em que as partes concordam em se divorciar, pode ser feito extrajudicialmente ou judicialmente e é mais simples que o litigioso. Normalmente, o advogado escreve o acordo feito pelos ex-cônjuges e encaminha a documentação ao juiz com uma petição com os termos do divórcio. Caso o magistrado não veja impedimento para realização da separação, o divórcio pode ser aprovado até no mesmo dia.

O divórcio litigioso acontece quando o casal discorda sobre questões como: partilha de bens, guarda de filhos, pensão, ou quando uma das partes não quer se separar. Nesses casos, o advogado abre um processo judicial comum. Tanto a parte que pede o divórcio, quando a outra parte que é contra o pedido o divórcio, ambos terão um advogado próprio, o qual poderá ser particular ou da defensoria pública.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Elisabete Machado Elisabete Machado

Brasileira, natural de São Paulo, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-graduada em Fundamentos da Cultura e das Artes pela Universidade Estadual Paulista. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar