Cunhadas investem R$ 5 mil em negócio de R$ 1 milhão

As duas resolveram empreender juntas e criaram uma rede de fast fashion de bolsas online. O negócio explodiu, veja a nossa entrevista exclusiva com elas

Cunhadas investem R$ 5 mil em negócio de R$ 1 milhão
As empresárias acabaram de lançar um segundo e-commerce, agora com foco em sapatos

“Quanto mais bolsa melhor”. Este é o mote do negócio Bolsa 150, loja online criada por Raissa Próspero Machado, jornalista, e Gabriela de Almeida Machado, médica dermatologista. As duas são cunhadas e resolveram unir forças para empreender. Com um investimento inicial de R$ 5 mil, elas decidiram criar um negócio no segmento de acessórios. E deu certo. Em 2012, as duas fundaram o Bolsa 150, uma loja online de bolsas.

No início, além da verba de R$ 5 mil, as duas contavam com uma conta de e-mail, um perfil na rede social Instagram e um site. Hoje, quatro anos depois, a marca atende cerca de 450 pedidos por mês e já faturou R$ 1 milhão no último ano. “Durante os dois primeiros anos tínhamos 100% do site com produtos no valor de R$ 150, daí a origem do nome”, explica Raissa. Depois deste período e com a grande demanda do mercado, as empresárias decidiram aumentar o mix de produtos para variar os preços. Atualmente é possível encontrar bolsas entre R$ 70 e R$ 120, além de uma linha premium limitada acima de R$ 150, podendo chegar á R$ 350.

E as duas estão otimistas para o final do ano e também para 2017. Segundo as empresárias, para o próximo trimestre a previsão é de que o faturamento aumente em torno de 30% e que em 2017 este número dobre. A loja virtual, que tem curadoria a cargo das próprias sócias, disponibiliza mais de cem modelos por ano.

“Tudo aconteceu depois de algumas reuniões e muita pesquisa para entender o mercado em que iríamos atuar. Foi então que decidimos arriscar”, afirma Gabriela, na época da abertura do negócio estava com 30 anos. “Pesquisamos e testamos alguns produtos e por se tratar de um segmento pelo qual realmente gostamos, não foi difícil decidir”, disse Raissa.

As empresárias explicam que foco e planejamento foram ingredientes imprescindíveis para começar o negócio que tem como objetivo atender o mercado de varejo, com 100% das vendas online. O motivo é simples, o comércio virtual além de estar em ascensão permite ao empresário trabalhar com um custo fixo baixo, economizando nas despesas com espaço físico e recursos humanos.

Sem experiência, mas com vontade de empreender

A falta de experiência não foi motivo para que as duas deixassem de empreender. Raissa contou ao E-Konomista que sua relação com as vendas sempre foi boa. “Desde pequena eu vendia coisas. Com 8 anos, minha mãe me pegou vendendo as coisas dela, que ela não usava, por R$ 5, R$ 10 . E eu vendia muito! Claro que levei uma bronca. Já vendi até peixes na minha escola quando era pequena. Mas minha mãe, apesar de dentista, tem uma alma muito empreendedora. Já teve confecção de roupas em Marília (SP), minha cidade natal, e isto me fez gostar de empreender desde pequena”, contou.

Já Gabriela, sócia e cunhada de Raissa, faz parte de uma família de empreendedores que trabalham no ramo de construção. “Isto fez com que ela sempre tivesse vontade de ter seu próprio negócio”, revela Raissa.

A jornalista também conta que no início do negócio, a maior dificuldade era encontrar fornecedores com qualidade. “Precisávamos de parceiros confiáveis e que conseguíssemos trabalhar nos valores, pois o nosso diferencial é o preço competitivo e a qualidade do produto. Claro que tudo era novo pra nós, não tínhamos expertise nenhuma em e-commerce e tivemos de aprender tudo pesquisando e trabalhando muito”, disse.

Apesar da fase inicial mais complicada, Raissa afirma que não faria nada diferente. “Sempre fomos muito pé no chão, trabalhamos muito pro nosso empreendimento e acho que isto faz com que hoje tenhamos esse pensamento. Acreditamos também que qualquer erro no meio do caminho nos ajudou a crescer, sempre buscando aprender e melhorar.”

Vendas sempre em alta

Para não deixar as vendas caírem, as fundadoras do e-commerce colocam em prática uma série de estratégias. Uma delas é o fast replacement de produtos no site. “Fazemos a reposição de maneira rápida, de acordo com a necessidade de compra de cada cliente. Por isso investimos em itens de diferentes estilos, considerados “desejo” entre as mulheres que podem ser adquiridos com comodidade e sem sair de casa”, afirma Gabriela.

Outro fator que as empresárias atribuem o sucesso da empresa é o investimento em networking para colocar em prática um inteligente plano de marketing. “Nossas bolsas são usadas por celebridades e influenciadoras de diferentes estilos que ditam tendências e são elas as responsáveis por divulgar de forma real nossos produtos”, justifica Raissa.

Novo segmento

E o ramo de bolsas deu tão certo que elas resolveram partir para um novo segmento. Para complementar o negócio, as empresárias acabam de lançar um segundo e-commerce, com endereço próprio, mas com os mesmos conceitos do Bolsa 150, com foco em sapatos. “Nós acreditamos que a segmentação de nichos é uma grande tendência de mercado, por isso optamos por não usar a mesma loja para comercializar produtos diferentes”, relata Gabriela.

Vale a pena empreender?

Quatro anos depois, as duas não se arrependem da ideia e garantem que vale sim, muito a pena empreender. “Se eu tivesse 48 horas por dia empreenderia mais e mais. E essa é a mesma ideia da Gabi. Tanto é que há um mês lançamos nosso novo e-commerce com o mesmo conceito do bolsa150, porém focado em sapatos. Meu maior prazer é empreender, trabalhar pra isto e ver os resultados. Quando fazemos tudo com garra, foco, boa vontade e amor, não tem como não ser bom pra gente e dar errado”, afirma Raissa.

E para você que se inspirou na história das duas, Raissa dá algumas dicas para quem deseja começar o seu próprio negócio. “A primeira coisa é que a palavra/sentimento medo tem de ser deixada de lado, pois com medo tudo fica difícil de acontecer. Troque o medo por entusiasmo pra fazer o seu negócio acontecer. Se você fizer tudo com pé no chão, investindo o mínimo de dinheiro e o máximo que puder em relação ao seu trabalho não tem porque ter medo. Assim, o risco é menor. Se junte a pessoas confiáveis que possam te ajudar com dicas pro seu negócio. Hoje temos à nossa disposição inúmeros meios para pesquisa de mercado, dicas de empreendimento, cursos super acessíveis e até gratuitos. Estudar o mercado, fazer um plano de negócio e arrasar no networking para todo tipo de marketing, também não pode faltar”, revela.

Foto: Divulgação Bolsa150

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Michelle Monte Mor Michelle Monte Mor

Formada em Comunicação Social e em Mídias Digitais. Escreve sobre o setor automotivo desde 2004. Não larga o smartphone e vive conectada às redes sociais. Adora viajar e dirigir.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar