Veja quanto custa fazer um convênio Amil

Você sabe quanto custa ter um plano de saúde em um convênio Amil? Essa é uma das maiores operadoras de saúde do país, veja quanto custa ser um beneficiário.

Veja quanto custa fazer um convênio Amil
Veja o custo do plano de saúde mais contratado na Amil

A Amil é uma das maiores operadoras de plano de saúde do país, com mais de 3 milhões de beneficiários cadastrados. Em contínua expansão, o convênio Amil já chegou nas 5 regiões do país e oferece planos individuais, familiares, empresariais e também planos dentários. Contratar um plano de uma operadora grande como a Amil significa ter muitas opções de médicos e hospitais conveniados, mas quanto custa ter um plano de saúde desta empresa? Veja no artigo.

Preço médio do convênio Amil

Para se ter uma ideia do quanto custa ter um plano de saúde do convênio Amil, vamos mostrar o preço médio do plano de saúde mais contratado pela empresa com cobertura nacional e o que está incluído nele. Os valores abaixo são para o Estado de São Paulo.

Plano Amil Linha Blue

Plano Clássico do Convênio Amil é chamado de Amil Linha Blue, que vai do Amil linha Blue plus 300 (o mais básico) até o Amil linha Blue plus 800 (o mais completo). O Plano mais contratado desta linha é o 400, pois é a partir dele que o plano oferece reembolso. O Convênio Amil oferece a seus clientes opção de coparticipação - quando o beneficiário opta pela coparticipação, ele paga uma quantia pequena para fazer uso do plano (consultas, exames, etc) e assim paga mensalidades mais baratas. Os valores abaixo são para o plano individual sem coparticipação, veja o que está incluído:

Amil Linha Blue 400

Cobertura - O Plano Amil Linha Blue 400 apresenta parceria com os 20 principais hospitais do Estado de São Paulo e também com outras clínicas. Para verificar se há hospitais conveniados ao Amil na sua cidade, faça uma busca no site.

SUS: entenda todos os serviços aos quais tem direito de graça

Valores para o plano Individual de cobertura nacional:

De 0 a 18 anos – R$169,40 (quarto coletivo) e R$181,50 (quarto individual)
De 19 a 23 anos – R$220,22 (quarto coletivo) e R$253,95 (quarto individual)
De 24 a 28 anos – R$242,24 (quarto coletivo) e R$259,65 (quarto individual)
De 29 a 33 anos – R$264,04 (quarto coletivo) e R$282,91 (quarto individual)
De 34 a 38 anos – R$ 290,44 (quarto coletivo) e R$ 311,20 (quarto individual)
De 39 a 43 anos – R$ 319,48 (quarto coletivo) e R$ 342,32 (quarto individual)
De 44 a 48 anos – R$ 415,00 (quarto coletivo) e R$444,67  (quarto individual)
De 49 a 53 anos – R$ 477,25 (quarto coletivo) e R$ 511,37 (quarto individual)
De 54 a 58 anos – R$ 596,56 (quarto coletivo) e R$ 639,21 (quarto individual)
59 ou mais  - R$ 1016,40 (quarto coletivo) ou R$ 1089,00 (quarto individual)

Reembolso – para todas as idades o reembolso é de R$46,00.

Outros valores cobrados

  • Taxa de Inscrição - R$ 15,00 por contrato
  • Amil Resgate Saúde - R$ 15,00 por vida
  • Amil Assistência Multiviagem Internacional - R$ 15,00 por vida
  • Amil Dental - R$ 30,80 por contrato

Carências

Para os planos individuais no Estado de São Paulo, as carências contratuais para cada procedimento é de:

  • Urgência e Emergência – 24 horas
  • Consultas e Exames simples – 30 dias
  • Fisioterapia – 180 dias
  • Internações Clínicas e Cirúrgicas e Exames Especiais – 180 dias
  • Parto – 300 dias
  • Doenças e Lesões Pré-Existentes – 720 dias

Atenção: Todos os valores expostos acima foram consultados no site Multiplano Saúde em abril de 2016 e estão sujeitos à mudanças. Para conhecer os valores praticados pelo Convênio Amil em outros planos da Linha Blue, outras linhas e para outros Estados do país você pode pedir um orçamento gratuito por email ou telefone através do site oficial da operadora de planos de saúde.

Vale a pena ter um plano de saúde?

Em tempos de crise financeira onde todos estão tentando encolher gastos, receber mensalmente a fatura do plano de saúde com valor alto e nem se lembrar a última vez que foi ao médico pode parecer um desperdício de dinheiro. Embora os especialistas digam é preciso fazer pequenos sacrifícios financeiros para manter uma reserva na poupança, sacrificar a sua saúde não é a opção mais correta. Infelizmente nunca se sabe o dia de amanhã, se será preciso fazer um tratamento de uma doença, uma internação por acidente ou qualquer outro tipo de atendimento médico-hospitalar de urgência. Sabemos que contar com o sistema público de saúde no Brasil não é uma opção desejada pela maioria, as longas filas de espera, a falta de médicos e/ou de equipamentos podem colocar a sua vida em risco se você não tiver um plano de saúde.

Não seria melhor manter uma reserva financeira e usá-la caso de urgência na saúde?

Muitas pessoas fazem essa opção, mas é preciso alertar: os procedimentos médicos custam muito caro em modo particular e podem esgotar rapidamente suas reservas econômicas. Se você precisar de uma cirurgia de urgência, por exemplo,  e não tiver plano de saúde, pode zerar a sua poupança para pagá-la em modo particular e depois ainda ter maiores gastos com internação, consultas posteriores ao médico, etc. Com um bom plano de saúde com cobertura de internações você teria garantido o seu atendimento. Portanto ter um plano de saúde é sempre uma segurança a mais em caso de imprevistos – e com a saúde não se brinca.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Ana Luiza Fernandes é brasileira, natural de Minas Gerais, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e hoje cursa Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, Portugal. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural, Fotografia, Documentário e Assessoria de Imprensa e é apaixonada pela profissão desde criança.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar