Cinco coisas que você precisa saber sobre o seu carro antes de ir ao mecânico

É inevitável, quem dirige sempre estará sujeito a frequentar uma oficina mecânica. Veja como ter o carro de volta mais rápido e sem surpresas desagradáveis.

Cinco coisas que você precisa saber sobre o seu carro antes de ir ao mecânico
Precisa levar o carro ao mecânico? Saiba como agir

Levar um carro numa oficina mecânica é um dos momentos mais temidos pelos motoristas e pelas motoristas inexperientes. Isso porque, geralmente, a ida a um centro automotivo especializado implica ter que responder a perguntas sobre o carro que os proprietários menos habituados a essa situação se sentem intimidados em ter que responder, aguardar por longos períodos ou mesmo fazer testes no próprio carro que exigem a presença no local.

Conheça o seu carro antes de leva-lo ao mecânico

Na verdade, minimizar os prejuízos causados pelos normalmente “superfaturados” orçamentos de oficinas, é mais uma questão de postura perante o problema do que de saber mais ou menos de mecânica. Afinal, um profissional que lida com veículos o tempo todo sempre vai saber mais do que alguém que é apenas um curioso ou interessado no assunto.

1. Antes de mais nada, o profissional precisa ser conhecido

O primeiro requisito para que um mecânico receba seu carro e o entregue devidamente reparado é a confirmação de sua idoneidade. Nesse momento, vale muito a indicação de amigos, parentes ou mesmo pessoas conhecidas com notório conhecimento de causa. Infelizmente, quando o profissional é desconhecido, a única garantia de que ele não vai inventar novos problemas ou fazer um orçamento “milionário” é a sorte.

2. Observe a oficina

Não é porque se trabalha com carros que o local onde eles são consertados precisa ser imundo ou cheirar mal. Oficina qualificada preza pela sua apresentação, não deixa carros de clientes estacionados na rua e não descuida do atendimento. Sim, um atendimento ruim, com pouca atenção, é um forte indício de mecânicos picaretas.

3. Tente descrever os problemas da forma mais clara e objetiva possível

De forma análoga a um hospital, numa oficina mecânica, os profissionais precisam saber de todos os detalhes sobre a “saúde” do paciente quando o recebem para “tratamento”. Não precisa identificar exatamente em que peça determinado ruído se encontra, mas ajuda muito saber há quanto tempo um barulho está sendo ouvido, sensações estranhas ao dirigir, e eventuais perdas de potência em determinadas condições. Quanto mais detalhada for a descrição, melhor.

4. Plano de revisão nas autorizadas

As oficinas autorizadas, não é de hoje, são alvo da desconfiança geral. É levar o carro para a revisão, e surgem problemas onde nem deveriam existir, ou sugestões para trocar peças totalmente inesperadas, fora os orçamentos com justificativas muito obscuras.

O motorista deve ficar atento, e procurar por autorizadas com tabelas fixas para precificar revisões, embora realmente em alguns casos a necessidade por serviços extras exista. Não menos importante, no manual do carro há detalhado o plano de revisão, em que consta o que e quando deve ser trocado.

5. Não faça seu carro de armário

Antes de deixar o carro numa oficina, um procedimento de segurança é fazer uma limpeza no interior do carro e do porta malas, retirando todos os pertences. Há locais que acautelam os bens dos motoristas, mas, por via das dúvidas, o ideal é o próprio dono cuidar do que é seu.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar