4 coisas que você pode fazer com a restituição do Imposto de Renda

Vai receber a restituição do imposto de renda? Saiba como aplicar esse dinheiro e conheça algumas dicas, caso a quantia não seja tão alta.

4 coisas que você pode fazer com a restituição do Imposto de Renda
Saiba o que fazer com o dinheiro da restituição do imposto de renda

As pessoas que declararam Imposto de Renda no ano passado têm direito a receber restituição desse imposto nesse ano, desde que estejam dentro das regras da Receita Federal para isso. Embora que para algumas pessoas o valor não seja tão alto, esse dinheiro pode ser utilizado para quitar dívidas ou para possíveis investimentos. Veja 4 dicas de como utilizar o dinheiro da restituição do imposto de renda.

Média de restituição

Os pagamentos das restituições do Imposto de Renda tiveram início em junho e serão pagos até dezembro deste ano, divididos em sete lotes. Pessoas com mais de 65 anos têm prioridade para receber a restituição dos seus impostos.

Esse pagamento é feito pela Secretaria da Receita Federal, por meio de crédito em conta corrente ou conta poupança do contribuinte, informada na Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física.

O valor da restituição do Imposto de Renda varia de contribuinte para contribuinte, de acordo com seus rendimentos anuais. Esse valor poderá ser maior se o contribuinte tiver gastos com dependentes, despesas médicas, com educação, etc.

Vale a pena gastar ou aplicar este dinheiro?

A restituição do Imposto de Renda é um valor que não costuma ser esperado pelo contribuinte, até por ser difícil prever quando acontecerá a restituição, mas como todo dinheiro é bem vindo, vamos listas algumas formas de investimento de valor:

1. O dinheiro pode ser utilizado para pagar algum financiamento ou dívidas no cheque especial ou cartão de crédito. Vale a pena tentar pagar esses débitos á vista ou negociar para tentar reduzir ao máximo as multas e os juros.

2. Os contribuintes que não estão endividados podem utilizar o dinheiro para fazer algum investimento. E dependendo do objetivo, ele pode ser de curto prazo (poupança); médio prazo (aplicações em Tesouro Direto, CDB, Fundo de Investimentos, Título do Tesouro e ouro); e longo prazo (investir em Tesouro Direto, previdência privada e ações).

3. Muitas vezes, o valor da restituição não é alto por isso, o melhor a fazer é formar um fundo de emergência, uma reserva financeira que pode ser crucial para possíveis imprevisto.

4. Algumas pessoas utilizam esse dinheiro para quitar as contas que surgem no começo do ano, como IPVA, IPTU, matrículas escolares e alguns também usam esse dinheiro para pagar a lista de material escola no início das aulas.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Elisabete Machado Elisabete Machado

Brasileira, natural de São Paulo, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-graduada em Fundamentos da Cultura e das Artes pela Universidade Estadual Paulista. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar