8 dicas valiosas para reduzir os custos da sua viagem de férias

A alta temporada chegou, junto com o 13º salário e a vontade de viajar. O bom é que dá para sair da cidade sem gastar uma fortuna, fazendo algumas adaptações.

8 dicas valiosas para reduzir os custos da sua viagem de férias
Seus dias de folga podem ser mais econômicos do que imagina

O Turismo representa 10% do PIB (Produto Interno Bruto) mundial, e mesmo com o risco de atentados terroristas, epidemias e migrações cerca de 1,1184 bilhão de pessoas saíram de suas casas e viajaram para fora do país em 2015. No mundo, o setor movimentou US$ 7,6 trilhões no ano passado, sendo o Brasil responsável por R$ 492 milhões, valor que corresponder a 9,6% do seu PIB.

Aproveite as férias escolares para dar sua contribuição para esse setor. E não se preocupe com os altos valores: é possível reduzir os custos da viagem de férias com algumas adaptações e muito planejamento. Bote o pé na estrada e aproveite!

Como reduzir os custos da viagem de férias

Em um ano cujo cenário político e econômico beirou ao catastrófico, muita gente tirou o pé do acelerador e está esperando ansioso pelo 13º salário para saldar as dívidas e economizar uma parte para IPVA, IPTU e compra de material escolar. Fazer uma viagem está fora de cogitação pelos custos altos da temporada e pela necessidade de poupar.

Mas mesmo com o orçamento reduzido dá para curtir alguns dias fora de casa. Basta ajustar os planos para sua própria realidade e por tudo na ponta do lápis, além de seguir nossas dicas para uma viagem de férias econômica e prazerosa.

1. Planeje-se

Se você nos acompanha com frequência sabe que a regra de ouro para economizar é o planejamento. Mesmo as viagens curtas ou até o bate volta precisa ser colocado na ponta do lápis para não sair mais caro do que devia. Viajar no impulso ou dar uma escapadinha sem pensar muito é bom, mas quando se fala em reduzir custos isso pode prejudicar sua vida financeira.

Comece definindo para onde vai e depois avalie as opções de transporte, hospedagem e alimentação. Inclua despesas com gasolina, pedágio, tours turísticos, passagens, aluguel de casa/apartamento, restaurantes, supermercado e tudo que for essencial para a viagem. A partir daí ficará mais fácil ver o que compensa.

Você pode descobrir que fica mais barato viajar de avião do que de ônibus ou que é melhor optar por uma pousada e fazer as refeições em restaurantes do que pagar um hotel. Dessa forma poderá se adaptar e traçar as melhores opções de acordo com o quanto pode gastar.

2. Defina um orçamento

Não se deixe levar pela empolgação e vá sair usando o crédito sem medo de ser feliz. No calor do momento é fácil pensar em usufruir de tudo que lhe é oferecido, mas uma hora as férias acabam e as contas permanecem.

Tudo bem que você não precisa ser muquirana, mas definir um orçamento médio para a viagem inteira é uma boa forma de se manter na linha. Planeje-se quanto aos tours turísticos que deseja fazer e poupe dinheiro para eles, procure opções de restaurantes que sejam em conta e reserve sua grana para aquilo que realmente deseja fazer. Evite o cartão de crédito para não se surpreender com os custos depois.

Orçamento

3. Evite fins de semana e altas temporadas

Inevitavelmente os fins de semana são os períodos onde as atrações turísticas ficam mais caras e mais cheias, sendo que muitas vezes fica até difícil aproveitar por conta da quantidade de pessoas. Se estiver de férias programe sua viagem para acontecer nos dias úteis, quando a maioria das pessoas está trabalhando e você poderá aproveitar com plenitude.

Fugir de altas temporadas é difícil para quem depende de férias escolares, mas se conseguir aproveite os períodos de março a junho e setembro a novembro, quando as passagens aéreas e de ônibus ficam mais em conta e os hotéis mais vazios. Mas informe-se sobre o calendário local: cidades que recebem edições da Oktober Fest, por exemplo, podem aumentar seus preços no mês de outubro.

4. Compre a passagem com antecedência

Se quiser viajar de avião comece a pesquisar preços de passagem com até seis meses de antecedência. Quanto mais cedo começar maiores as chances de conseguir desconto, além de aproveitar promoções-relâmpago. Sites e aplicativos como Kayak, Google Flights, Voopter e Decolar.com ajudam a encontrar os melhores preços de voos de acordo com as necessidades do usuário.

Aproveite também os programas de milhagens, nos quais você acumula pontos a cada viagem que fizer por uma companhia aérea. Verifique o prazo de validade das milhagens e programe suas férias para antes do vencimento e busque saber se a companhia tem convênio com hotéis, locadoras de carros e outras empresas que possam lhe oferecer vantagens e descontos.

Reservas

5. Troque o hotel por opções mais baratas

Uma das melhores formas de economizar em viagens é abrir mão da estadia em hotéis e procurar opções mais em conta, que podem ser desde pousadas até albergues, campings e Airbnb. Segundo o economista e educador financeiro Edval Landulfo, em entrevista ao site Correio 24 Horas, trocas inteligentes, como alugar uma casa ao invés de ficar em um hotel, podem baratear a viagem em até 40%!

Você pode até torcer o nariz caso não esteja acostumado, mas os valores vão lhe ajudar a mudar de ideia: em Paraty, o hostel e pousada Chill Inn tem diárias a partir de R$ 30 em quartos compartilhados durante baixa temporada, com direito a internet gratuita, café da manhã, roupa de cama e cozinha comunitária.

No Camping do Alemão, em Itu, a diária para acampar fica em R$ 40 por pessoa em dias normais. Pelo Airbnb, um apartamento Flat em frente a praia em Fortaleza custa R$ 100 a diária + R$ 35 de taxa de serviço e acomoda quatro pessoas.

6. Divida os custos

Viajar acompanhado é bom não só para dividir os momentos de lazer e novas descobertas, mas também para rachar os custos. Alugar um apartamento com mais três amigos por cinco dias cuja diária seja R$ 300 vai custar R$ 375 para cada um, além dos gastos com supermercado e gasolina.

Famílias que viajam juntas também podem economizar com o transporte. Ao invés de carro, fretar uma van é uma opção viável e confortável a todos e costuma ter valores bem em conta.

Viagem em Amigos

7. Leve lanches e faça compras

Independente de optar por ficar em hotel, albergue ou casa alugada evite comer na rua. Esse hábito aumenta os custos da viagem e pode fazer com que você saia do orçamento sem necessidade.

Faça compras de lanches, frutas, sucos e água no supermercado e coma entre as refeições para não consumir do frigobar do hotel. Se for à praia, compre as bebidas e prepare petiscos para levar no cooler com gelo. Não tenha receio de parecer farofa: as pessoas estão ali para aproveitar e com certeza nem estão reparando no que você leva consigo. Além do que, quem paga sua contas é você mesmo, não é?

8. Use transporte público

Se estiver com tempo e sem roteiro definido conheça a cidade usando o transporte público. Ficará mais barato do que alugar um carro e você poderá conversar com os moradores e conhecer um pouco da história local.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Clara Grizotto Clara Grizotto

Jornalista faz-tudo: social media, assessoria, redação e publicidade. Queria mudar o mundo, mas descobriu que tem muito chão para percorrer antes.

Na Web:

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar