Como investir em Tesouro Direto em 2016

Segurança, praticidade e rentabilidade acima da caderneta de poupança: você sabe como investir em Tesouro Direto? Veja as vantagens e como começar a investir.

Como investir em Tesouro Direto em 2016
Rentabilidade e segurança de mercado: veja como investir em Tesouro Direto

ECONOMIZE NOS SERVIÇOS DA SUA CONTA BANCÁRIA saiba como

Segurança, praticidade e rentabilidade acima da caderneta de poupança: você sabe como investir em Tesouro Direto? Para o pequeno investidor com metas a curto, médio ou longo prazo, esta é uma maneira de poupar e obter retornos de acordo com cada necessidade, com a possibilidade de prever exatamente qual será o seu rendimento futuro. Veja como funciona e como investir em Tesouro Direto.

Veja como investir na Bolsa de Valores passo a passo

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um Programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a BMF&F Bovespa que surgiu com o objetivo de democratizar o acesso da pessoa física aos títulos públicos, ou seja, com rendimentos que podem ser dimensionados no momento do investimento, ao contrário dos ativos de renda variável (como ações), cujo retorno não pode ser estimado no instante da aplicação.

Deste modo, com valores que partem dos R$ 30 é possível adquirir, via internet, aos títulos do Tesouro Nacional, oferendo uma rentabilidade superior à caderneta de poupança e risco quase zero de mercado.

Com diferentes tipos de rentabilidade (prefixada, ligada à variação da inflação ou à variação da taxa de juros básica da economia - Selic), prazos de vencimento e fluxos de remuneração, o Tesouro Direto oferece possibilidades para cada necessidade financeira, que pode partir de um investimento para aposentadoria ou basear-se apenas em um planejamento a curto prazo.

Como investir em Tesouro Direto?

Seguro, rentável, mas ainda longe do conhecimento popular, o Tesouro Direto é uma maneira fácil e prática de começar a investir sem riscos ou complexidades de uma ação. Veja como investir.

Efetuando o cadastro

Com CPF em mãos e uma conta corrente aberta, o futuro investidor deverá escolher uma instituição financeira habilitada  para intermediar suas transações com o Tesouro Direto. Escolhida a instituição, o interessado deverá entrar em contato e solicitar seu cadastramento e, a partir disso, o recém cadastrado receberá uma senha provisória da BM&F Bovespa para o primeiro acesso à área restrita do Tesouro Direto, em que são realizadas as operações de compra e venda, assim como consultas a saldos e extratos.

Escolhendo o título

QUER INICIAR O SEU PRÓPRIO NEGÓCIO?
Cadastre-se e receba as melhores dicas, informações e oportunidades para investir no negócio próprio.

Entre os títulos mais populares para pessoa física estão o Tesouro Pré-Fixado (LTN), onde o investidor já sabe, no ato da compra, qual será a taxa de juros paga ao final do período de aplicação; o Tesouro Selic (LTF), onde a rentabilidade diária fica vinculada à taxa Selic; e, por fim, o Tesouro IPCA + (NTN-B), onde o investidor não sabe exatamente qual será sua remuneração ao final do período de validade do título, uma vez que a rentabilidade é baseada no IPCA, ou seja, um índice de inflação que oscila mês e mês.

No entanto, o próprio portal do Tesouro Direto oferece um questionário para o investidor que deseja saber qual é o título mais indicado para suas necessidades.

Veja como investir em Tesouro Direto comprando títulos em três canais diferentes:

Através do site do Tesouro Direto: a partir do acesso a área restrita do site, realiza-se a compra, venda, a programação de investimentos, a consulta de extrato, dentre outras transações;

Através do site da sua Instituição Financeira: algumas instituições habilitadas integraram seus sites ao do Tesouro Direto, tornando-se um agente integrado. Isso significa que também é possível comprar e vender títulos públicos no site da própria instituição financeira, a qualquer momento, com os mesmos preços e taxas do site do Tesouro Direto.

Por meio de sua Instituição Financeira: deste modo, o investidor autoriza sua instituição financeira a negociar títulos públicos em seu nome. Procure saber se a instituição que escolheu oferece essa funcionalidade.

Quando vale a pena investir?

Ainda que existam taxas administrativas ínfimas cobradas pela BM&F Bovespa ao ano (de 0,30%) e, em alguns casos, também pelas instituições financeiras (veja as taxas aqui), investir no Tesouro Direto é uma excelente decisão. Excelente em termos de rentabilidade, liquidez garantia, controle de patrimônio, baixo risco, comodidade e diversidade de investimentos.

No entanto, aprender como investir em Tesouro Direto tem maiores vantagens para específicos perfis, com objetivos divididos em três períodos:

Investidores a longo prazo: buscam planejamento para aposentadoria, guardar recursos para a faculdade dos filhos e demais objetivos que tenham como finalidade um prazo de 10 ou mais anos; 

Investidores a médio prazo: direcionado aos que buscam poupar para concretizar metas em torno de 3 a 6 anos, como realizar uma viagem ou comprar um carro;

Investidores a curto prazo: estes, mesmo cientes da menor rentabilidade, não possuem planos para período pré-determinados e querem ter a disponibilidade dos rendimentos sempre à mão.

Encontre a conta bancária ideal para você. Saiba mais.


Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar