8 dicas sobre como iniciar um negócio no exterior

Confira quais são os 5 melhores países para investir e as principais dicas de como iniciar um negócio no exterior:

8 dicas sobre como iniciar um negócio no exterior
Os primeiros passos para quem quer saber como iniciar um negócio no exterior

CARTÃO DE CRÉDITO SEM ANUIDADEsaiba como ter o seu

Devido à atual situação financeira do país, muitos brasileiros estão considerando a possibilidade de se mudar para o exterior em busca de melhores condições de trabalho. Para tanto, existem duas possibilidades: procurar por vagas de emprego ou abrir o seu próprio negócio.

Quem tem espírito empreendedor e deseja ser seu próprio chefe, pode abrir uma empresa e tentar uma carreira de sucesso em terras estrangeiras. Mas como iniciar um negócio no exterior? O E-konomista dá as dicas dos primeiros passos e providências a se tomar antes de abrir um negócio.

Primeiros passos de como iniciar um negócio no exterior


1. Escolha o país de destino

É preciso ponderar as seguintes questões antes de fazer as malas e ir ao país pretendido:

Considera as condições de habitação e qualidade de vida do país:

Mesmo que o seu negócio seja um sucesso, morar em um lugar que não te dá segurança e prazer pode ser um mau negócio. Pondere sobre o clima do país, a educação (principalmente se você tiver filhos, ou tiver intenção de tê-los), a receptividade ao estrangeiro, a segurança, o estilo de vida da população, as condições da saúde pública, as opções de lazer, etc.

Verifique se o país é um mercado interessante para o negócio que você quer montar:

Um tipo de negócio que é bem sucedido em um país pode ser um verdadeiro fracasso em outros. Tudo depende do estilo de consumo da população local. Então é preciso pesquisar sobre os hábitos de consumo do povo no seu país destino, verificar se as condições do mercado são propícias para receber um novo negócio, se o mercado não está saturado, etc.

Verifique a situação financeira atual do país destino:

Não é só o Brasil que se encontra em crise financeira. Muitos outros países que normalmente atraem estrangeiros em busca de trabalho também estão enfrentando situações de desemprego e é preciso se informar quanto a isso. Também não é verdade que países que atravessam dificuldades financeiras são sempre maus lugares para abrir um negócio, pois há inúmeros setores que crescem mesmo em tempos de crise. Mas é preciso ter cuidado com negócios que oferecem produtos supérfluos ou com custo muito alto, pois uma população em contenção de gastos não deve investir em produtos que não são de primeira necessidade.

2. Prefira negócios que você já tem experiência profissional

Muitas pessoas que já não conseguem ter o retorno financeiro desejado aqui no país com a profissão atual tendem a querer abrir um novo negócio em uma área diferente da sua. Por mais que essa seja uma proposta por vezes tentadora, pode não ser a mais acertada. Como iniciar um negócio no exterior sem experiência? É um complicador a mais. As pressões por decorrência da mudança geográfica já são por si só relevantes, por isso ter a segurança de trabalhar com algo que você já conhece é uma melhor aposta segundo especialistas em internacionalização de negócios.

3. Busque ajuda profissional para identificar oportunidade de negócio ideal no país de destino

Não adianta buscar um profissional aqui no Brasil, as diferenças entre as oportunidades e até a forma de procurá-las variam de país para país. A forma mais segura de se obter ajuda profissional é procurando uma empresa de consultoria especializada na cidade em que se pretende instalar o negócio. A empresa já conhece o mercado, sabe o potencial de cada setore como ele poderá reagir frente ao novo negócio que você quer montar. Se você quer saber como iniciar um negócio no país escolhido, é preciso ter um aconselhamento de quem já está envolvido com o mercado local, a prospecção à distância pode ter falsos resultados.

4. Tenha um plano financeiro

QUER INICIAR O SEU PRÓPRIO NEGÓCIO?
Cadastre-se e receba as melhores dicas, informações e oportunidades para investir no negócio próprio.

Essa dica vale para a criação de um negócio em qualquer parte do mundo. Ter um planejamento financeiro bem organizado e realista é o primeiro passo sobre como iniciar um negócio. É preciso ponderar as 3 situações possíveis:

  • Otimista onde seu negócio vai se adaptar muito bem ao mercado, será bem aceito pelo público, criará clientes fixos e terá boas opções de crescimento e pagará o investimento inicial mais rápido do que se pensava. É a situação que todos os empreendedores sonham enfrentar, mas infelizmente não é a mais comum.
  • Realista – é aquela em que seu negócio vai bem mas ainda enfrenta algumas dificuldades: seja com a recepção do público, com as políticas fiscais do país, com o pagamento do investimento inicial ou com a criação de um público fiel. Os primeiros anos de uma empresa são normalmente os mais difíceis pois há débitos a pagar, funcionários a contratar e treinar, além da adaptação geográfica.
  • Pessimista – É preciso pensar também na possibilidade de tudo não dar certo. Só quem já tem consciência de que tudo pode não correr bem é quem pensa com antecedência em meios de fugir da dificuldade encontrada pela empresa. Pense em todas as possibilidades de fracasso que podem atingir sua empresa e veja com outras empresas que já passaram por elas, como driblá-las.

5. Franquias são bons negócios para investir no exterior

Segundo estudos da Universidade de Harvard realizados em 2014, as franquias são modelos de negócio mais apropriados para quem visa iniciar um negócio no exterior. São considerados investimentos mais seguros pois já tem publicidade garantida pela rede, tem nome conhecido na maioria das populações e contam com ajuda e aconselhamento profissional dos franqueadores e também de outros afiliados.

6. Adapte seu negócio ao costume da população local

Todos os negócios precisam se adaptar à realidade e costume dos consumidores do país destino. Cada povo tem sua particularidade e, se você deseja conquistar consumidores, tem que atender os anseios deles, tem que pensar como um deles e pesquisar o que o consumidor do país destino busca em um negócio como o que você deseja implantar. Em todos os ramos essa adaptação é necessária, mesmo em franquias que têm sua marca forte e estável, é preciso atender ao que o povo anseia.

7. Verifique como é feita a liberação para o visto de trabalho/permanente

É preciso levar em consideração as dificuldades ou facilidades oferecidas pelo país à obtenção de autorização para trabalhar. Alguns países colocam barreiras ao estrangeiro que quer trabalhar e outros acolhem, principalmente aqueles que são empreendedores e podem gerar emprego à população local. Como cada caso é um caso, o mais recomendável é procurar orientação de advogados com experiência em imigração e empresas de consultoria.

8. Informe-se sobre os impostos do país destino

Ter um planejamento fiscal é de suma importância se você deseja saber como iniciar um negócio no exterior. Os impostos são custos que precisam ser considerados para que eles sirvam a seu favor e não contra você. Se informando, você irá ver quais são os gastos reais que os impostos cobraram do seu produto ou prestação de serviço, e também quais abstenções você poderá ter. Há diversas formas legais de pagar menos impostos que muitos empreendedores nem imaginam por mera desinformação. Por isso, se você não entende nada de regime tributário, procure ajuda especializada, veja as condições de impostos do país destino e formas de conseguir pagar quantias justas que permitam o crescimento do seu negócio.

Bons países para começar um negócio

Tem vontade de empreender no exterior mas ainda não tem um país destino? O E-konomista te dá algumas sugestões. Segundo a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor, que analisa quais países são os melhores para receber empreendedores, a Islândia foi considerado aquele que oferece as melhores condições de crescimento para empresas. No entanto, é um país gelado, pequeno e com estilo de vida que pouco atrai os brasileiros. Então vamos listar países que tenham estilo de vida que nós brasileiros gostamos e ambicionamos:

Estados Unidos

Quem nunca ouviu falar que os Estados Unidos é a terra da oportunidade? Com um público consumidor poderoso e regime tributário elogiado, as empresas que se sustentam nesse país normalmente conseguem bons lucros, e rápido. Mas nem tudo é fácil, pois a obtenção de visto de trabalho para esse país é complicado, e é preciso ter, no mínimo, 500 mil dólares, criar ao menos 10 vagas de trabalho para os americanos e participar ativamente da gestão do novo negócio.

Alemanha

O país mais estável e rentável da zona do euro também atrai novos empreendedores. Como crescimento que dá inveja aos demais países europeus que estão em crise, a Alemanha segue forte atraindo novos incentivadores de sua economia. Quem deseja fazer negócios na Alemanha pode conseguir uma autorização para fixar residência no país, que dura por 3 anos, e pode ser renovada. Se o seu negócio se mostrar financeiramente interessante, as autoridades podem oferecer um visto de permanência ilimitado.O governo geralmente concede a autorização a negócios que tragam um impacto positivo na economia e tenham investimentos garantidos. Para isso, é preciso provar que tem 250 mil euros para investir e criar, ao menos, 5 novos postos de trabalho no país.

França

A França é um país atractivo para quem quer empreender no exterior pois tem políticas fiscais que favorecem o crescimento de novas empresas. O governo francês disponibiliza quase 2,5 bilhões de euros para empreendedores, o que inclui 1,5 bilhão de euros em financiamentos para empresas inovadoras, 400 milhões de euros para startups e 500 de euros milhões para fortalecer pólos de inovação. As isenções ou abatimento fiscais e a qualidade de vida oferecida pelo país tornam-no um país atrativo para quem quer saber como iniciar um negócio no exterior. É preciso ficar atento à questões como visto e exigências de criação de emprego. O visto especial é concedido a quem crie pelo menos dois empregos ou que tenha 300 mil euros de garantia para investir na empresa.

Reino Unido

Não é de hoje que o Reino Unido tem investido em empresas que procurem trazer propostas inovadoras e tecnológicas aos seus países. Há a intenção de tornar Londres um polo tecnológico, uma espécie de Vale do Silício inglês. Portanto se a sua ideia de negócio tem esse perfil, iniciar um negócio no Reino Unido pode ser uma excelente opção. O visto especial exige que os empresários tenham ao menos 200 mil libras para investir na empresa. Para as empresas com grande potencial, o governo vai exigir 50 mil libras, desde que o dinheiro venha de um fundo de investimentos conhecido. Quem cria mais de 10 empregos ou investe 5 milhões de libras recebe o benefício de ter residência no país depois de 3 anos de operação.

Chile

Não quer ir para tão longe assim? Há países que atraem empreendedores aqui mesmo na América do Sul. Assim como o Reino Unido, há a intenção de atrair aqueles que podem desenvolver o potencial tecnológico do país. Há até um programa governamental chamado Start-up Chile que tem a função de atrair jovens com ideias revolucionárias de qualquer canto do mundo. Além dos incentivos governamentais, é um país de fácil adaptação aos brasileiros.

Faça o seu negócio ganhar o mundo, aprenda inglês.


Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Ana Luiza Fernandes é brasileira, natural de Minas Gerais, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e hoje cursa Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, Portugal. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural, Fotografia, Documentário e Assessoria de Imprensa e é apaixonada pela profissão desde criança.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar