Quer comprar um carro sem entrada?

Receba cotações de crédito para comprar o seu carro

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Seguinte

Entenda como funciona o recall de veículos

Seu carro novinho foi chamado para recall. E agora? Como proceceder? O que fazer? Pagará alguma coisa por isso? O E-konomista esclarece essas e outras questões.

Montadoras que convocam recall têm que fazer os reparos sem prazo especificado

O recall é uma situação que acontece tanto no setor automotivo como em outras indústrias. A palavra, de origem inglesa, refere-se a um procedimento em que a empresa detecta problemas no produto fabricado e chama os consumidores para fazerem reparos ou substituírem o que foi comprado.
 

FIQUE DE OLHO:
Quer comprar um carro, mas não tem dinheiro para isso. Faça agora uma simulação gratuita de consórcio pelo E-Konomista, e veja se cabe no seu orçamento. 
 

Se uma empresa faz o recall é porque aquele produto ou serviço representa riscos à saúde e mesmo à vida do consumidor. Portanto, é muito importante responder quando for chamado para um.

 

No caso dos veículos, o recall tem o mesmo princípio e deve cumprir as mesmas regras para atender ao consumidor. Mas como funciona o procedimento? Como saber se o seu carro foi objeto de recall?

 

Passo a passo do recall

1- Quando os engenheiros das montadoras identificam problemas após a saídas dos veículos das fábricas, buscam soluções imediatas para os mesmos. Uma vez encontradas, os consumidores devem ser chamados para fazer os reparos.


2- O recall obrigatoriamente tem que ser divulgado nos meios de comunicação e em locais onde o consumidor possa ser alcançado. A empresa pode ainda enviar comunicados via postal ou fazer telefonemas aos clientes. Os anúncios devem conter a série/modelo do veículo defeituoso e qual o problema apresentado.


3- Além disso, ao divulgar o recall, a empresa deve comunicar também como o consumidor deve proceder para fazer o reparo.


4- Seguindo as instruções da montadora, o cliente só tem que proceder ao recall e ter o problema do seu veículo resolvido imediatamente.


5- Não há obrigatoriedade em responder a um recall, mas, como já frisamos, o problema identificado pode representar uma iminência de acidente. Por isso, melhor prevenir do que remediar.

 


Falando sobre valores

Nenhuma montadora pode cobrar pelos consertos feitos durante um recall. O procedimento deve ser feito de formar totalmente gratuita mesmo depois do prazo divulgado nos anúncios. Qualquer abuso nesse sentido pode e deve ser denunciado ao Procon

 

Se o proprietário já gastou dinheiro na oficina consertando uma peça que foi objeto de recall depois pode reaver a quantia. Mas, para isso, deve recorrer a meios judiciais.

 

O mesmo acontece com quem não respondeu a um recall e sofreu um acidente por conta do problema que deveria ter sido reparado. É possível processar a montadora, mas não há garantia que levará a melhor na batalha judicial.

 


Em caso de carros usados

Comprou um carro usado e gostaria de saber se ele foi objeto de recall? Sem problemas. O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor disponibiliza uma base de dados online onde é possível consultar os veículos chamados para recall. O site arquiva campanhas publicadas desde 2002.

 

Desde 2011 o Denatran disponibiliza a consulta através do chassi do automóvel ou da montadora. Vale lembra que, se no prazo de 1 ano, o veículo chamado não atender ao recall, a informação passará a constar nos documentos do mesmo.

 

Se o reparo não tiver sido feito, basta o atual dono entrar em contacto com a montadora e seguir as instruções para fazer o recall. Ainda que muito tempo tenha passado, o conserto não pode ser cobrado, tal como acontece com veículos novos.

Se você tem o interesse de comprar um veículo zero, ou usado, verifique que se um consórcio é a melhor opção para o seu bolso. Faça uma simulação gratuita com o E-Konomista e veja se cabe no seu orçamento mensal. 


Veja também:

Gostou? Compartilhe!