CDC: saiba como funciona o crédito direto ao consumidor

Muita gente já fez uso do crédito direto ao consumidor mesmo sem saber. O procedimento é bem simples, mas é preciso ter cuidado para não atrair dívidas indesejadas.

CDC: saiba como funciona o crédito direto ao consumidor
Crédito direto ao consumidor é pouco burocrático e fácil de conseguir

O crédito direto ao consumidor é aquele que permite a aquisição de bens e serviços ao ser concedido. Pode ser solicitado a bancos, financeiras e mesmo lojas, especificamente as que possuem um cartão próprio. Nesse caso, o estabelecimento aprova (ou não) um limite para que o cliente realize a compra.

FIQUE DE OLHO:
Para saber se crédito pessoal pode ser uma boa opção para você, só testando, não é? Por isso, acesse agora a simulação de crédito pessoal do E-Konomista e descubra se é uma possibilidade para estabilizar o seu orçamento.
Sendo assim, compras parceladas no cartão de crédito também são consideradas crédito direto ao consumidor. Nessa modalidade encaixam-se também o crédito pré-aprovado que alguns bancos possuem para os seus clientes, como é o caso do Banco do Brasil.

 

Aprovação do crédito

A aprovação de um crédito direto ao consumidor é muito pouco burocrática. Basta o comprovante de renda, de residência e CPF. Com base na situação financeira, o valor é liberado na hora. No caso de quantias maiores, talvez seja solicitado um avalista.

Serão só vantagens?

O crédito direto ao consumidor tem ao seu favor grandes vantagens. Um exemplo disso são os juros, bem menores que os do cheque especial. Portanto, se necessita de um dinheiro a mais, tem aqui uma opção mais econômica.
  • Existe também flexibilidade no pagamento e no parcelamento. O cliente pode escolher pagar em até 60 meses. Você adquire o produto na hora, mas paga depois e aos poucos. Pode ser uma forma muito fácil de programar as despesas. Se entrar um dinheiro extra, você pode ainda quitar a dívida ou adiantar parcelas com redução de juros.

Mas atenção, existem desvantagens também. No crédito direto ao consumidor, vale lembrar que os juros aumentam consoante o número de parcelas. Ou seja, você pode pagar em mais tempo, mas com certeza pagará muito mais. Será que compensa?

 

Todo cuidado é pouco

Antes de recorrer ao crédito direto ao consumidor, faça uma análise da sua condição financeira. A facilidade de conseguir o crédito encanta e pode resolver alguns problemas, mas trazer muitos outros. Nos últimos anos, a inadimplência aumentou no país junto com a oferta de empréstimos e a descomplicação para comprar.

Se já está em maus lençóis em relação a dívidas, saiba que nem tudo está perdido. Existem formas criativas de sair do vermelho.  Outra coisa a ter atenção na hora de fazer um crédito direto ao consumidor, além do valor das mensalidades, são os custos inseridos nelas. 

  • Além dos juros, paga-se ainda o IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) e a TAC (Taxa de Abertura de Crédito). Muitas vezes é possível negociar esses valores e evitar que eles encareçam as parcelas.
Caso o crédito direto ao consumidor não cumpra as suas expectativas, pode recorrer ao crédito pessoal, sempre de forma racional. E se você quiser fazer uma simulação gratuita de crédito pessoal, não perca tempo e acesse o simulador do E-Konomista

 

Antes de comprar, faça um test drive. Agende já, sem custo e sem compromisso.

 

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar