Como fazer crédito pessoal para pagar dividas e limpar o nome

Veja dicas de especialistas e entenda porque o crédito pessoal pode te ajudar a pagar dividas e limpar o nome. 

Como fazer crédito pessoal para pagar dividas e limpar o nome
Quitar as dívidas e limpar o nome pode ser mais fácil com o tipo certo de crédito pessoal

As pessoas interessadas em fazer um crédito pessoal para pagar dívidas e limpar o nome vão se surpreender na facilidade com que isso pode ser feito. Uma vez com o “nome sujo”, o consumidor terá grande dificuldade em conseguir empréstimo pessoal em instituições financeiras. No entanto, a possibilidade existe. No mercado brasileiro atuam algumas empresas especializadas nesse tipo de crédito pessoal, o que pode ser de grande ajuda para quitar as dívidas e voltar a ter equilíbrio nas finanças pessoais.

 

Basicamente, o crédito pessoal com restrição pode ser tornar uma bola de neve sem o devido cuidado. A restrição acontece, na maior parte das vezes, quando o consumidor deixa de quitar alguma dívida e seu nome entra na lista do SPC ou Serasa (são duas empresas diferentes, como explica essa matéria ). Por isso, há a necessidade de solicitar crédito pessoal para pagar dívidas e limpar o nome.

 

Para resolver esse problema, a modalidade mais comum de empréstimo concedido a pessoas com restrição de crédito é aquele com débito das parcelas na conta corrente do consumidor. Por isso, antes de fechar qualquer tipo de contrato pesquise a instituição financeira para não ter surpresas mais adiante.

 

Opções de crédito pessoal para pagar dívidas

 

  • Opte por uma linha de financiamento com juros mais baixos, como o Crédito Direto ao Consumidor (1,49% ao mês, segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).
  • Outra opção é o crédito consignado, cujos juros também não costumam ultrapassar 3% ao mês - ele só é oferecido pelas empresas e órgãos públicos a seus funcionários.
  • Ao negociar o valor das parcelas é importante que faca um cálculo para ter certeza que ainda vão sobrar 70% dos seus rendimentos para suas despesas mensais. De acordo com especialistas, apenas 30% dos ganhos podem ser reservados para faturas.

 

 

Reorganização Financeira

O último passo da reorganização financeira é construir um plano de gastos que evite a aquisição de coisas supérfluas, como vestuário e tecnologia. Além disso, é bom começar a reconstrução do seu poder de compra a crédito. O ideal é fazer o cadastro positivo e manter suas contas adimplentes (em dia) nos seus credores. 

 

Tenha um cartão de crédito e pague em dia. Se não tiver todo o valor para quitar a fatura do mês, prefira o cheque especial ao rotativo do cartão, pois a primeira opção tem taxas de juros menores.

 

Receba agora mais informações sobre como utilizar crédito pessoal para pagar dívidas.


Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar