Como a vitória de Donald Trump influencia a economia no Brasil

“Efeito Trump” pode gerar impacto na economia, dificuldades na imigração e obtenção de visto. Especialista dá dicas sobre compra de dólar.

Como a vitória de Donald Trump influencia a economia no Brasil
Obtenção de vistos e alta do dólar estão entre as preocupações de quem vai visitar os EUA

Agora que os Estados Unidos já têm um novo presidente, diversas questões preocupam os brasileiros. Como a eleição de Donald Trump afetará a economia do Brasil e como o bilionário que venceu a corrida presidencial nos EUA irá lidar com a imigração e vistos são as principais dúvidas. Outra questão é com relação ao dólar. Desde o anúncio sobre a vitória do ex-apresentador de tevê, a moeda norte-americana só sobe aqui no Brasil.

Nesta quinta-feira, 10, as incertezas com relação aos planos de Trump fizeram o dólar registrar a maior alta em oito anos aqui no Brasil. A moeda americana fechou o dia em R$ 3,36, uma alta de 4% sobre o real. Má notícia para quem pretende viajar para o exterior.

De acordo com Mauriciano Cavalcante, diretor de câmbio da Ourominas, empresa que atua no segmento de ouro e câmbio, para quem tem dinheiro em caixa e pretende viajar para o exterior, o ideal é tentar antecipar as compras de dólar. “A moeda, que teve alta de 2,4% nas primeiras horas do dia seguinte às eleições norte-americanas, já recuou um pouco, mas a tendência é o dólar se valorizar moderadamente até que Trump mostre o que colocará em prática das propostas de campanha”, disse Cavalcante.

Segundo o diretor de câmbio, a possibilidade do Banco Central norte-americano de elevar a taxa de juros, em meados de dezembro, causando a evasão de dólar no Brasil, é outra situação que pode elevar o preço da moeda norte-americana frente ao real. Para se prevenir dessa possibilidade, Cavalcante recomenda a compra semanal do dólar, de maneira fragmentada, para se obter uma taxa média, até o início de dezembro.

Efeito Trump divide Congresso sobre Bolsonaro e PEC 55

Economia, imigração e vistos

Por enquanto ainda é impossível prever como a eleição de Donald Trump à Casa Branca irá impactar a economia brasileira. Caso o empresário coloque as propostas de renegociação de acordos comerciais para preservar empregos no país e reduzir o déficit americano nas transações com o resto do mundo, o Brasil pode ser prejudicado.

Em entrevista à BBC Brasil, Denilde Holzhacker, professora de Relações Internacionais da ESPM, explica que as consequências seriam imediatas e negativas, e causariam o que muitos economistas estão chamado de "efeito Trump". "Como ele fez propostas muito amplas e populistas, o efeito econômico dessas medidas podem ter impacto grande e gerar um caos na economia. Trump é contrário ao livre comércio, se mostrou protecionista”, disse.

Hoje a estimativa é que cerca de um milhão de brasileiros vivam nos EUA. Grande parte em situação migratória irregular. Durante a campanha, Trump disse que iria proteger o "bem-estar econômico de imigrantes legais". Afirmava também que a admissão de novos imigrantes levaria em conta suas chances de obter sucesso nos EUA. Levando em conta essas declarações, os brasileiros com alta escolaridade e habilidades específicas que queiram migrar para o país devem ser os mais favorecidos durante o novo governo americano.

Com relação aos vistos, quando candidato, Trump não fez menções relevantes sobre o tema. Apesar de já existir uma negociação entre Brasil e EUA a um programa que reduziria a burocracia para viajantes frequentes brasileiros, a eliminação dos vistos ainda parece algo bem distante. Até porque durante sua campanha, Trump fez declarações ameaçando deportar 11 milhões de imigrantes ilegais e também prometeu construir um muro na fronteira com o México.

Foto: Reprodução hirsonimmigration.com

Veja também:

Tabela IRRF 2016: veja como consultar
Declaração de Imposto de Renda 2016: passo a passo
Entenda por que a declaração de isento não é mais obrigatória
Restituição do Imposto de Renda 2016: como consultar e calcular o valor

Gostou? Compartilhe!
Michelle Monte Mor Michelle Monte Mor

Formada em Comunicação Social e em Mídias Digitais. Escreve sobre o setor automotivo desde 2004. Não larga o smartphone e vive conectada às redes sociais. Adora viajar e dirigir.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar