COFINS: entenda o que é e como calcular

De recolhimento federal sobre a pessoa jurídica, entenda a finalidade do COFINS e como é possível calcular o imposto, pagando corretamente sua tributação.

COFINS: entenda o que é e como calcular
Entenda o conceito aplicado ao imposto

A fama brasileira de possuir um grande número de impostos é conhecida internacionalmente por seus moldes tributários complexos e capazes de confundir até mesmo os mais hábeis profissionais contábeis; entre tantas tributações encontramos o COFINS, um nome que para muitos soa familiar, ainda que sua atribuição seja pouco conhecida. Entenda sua importância e saiba como calcula-lo de modo simples.

O que é PIS/COFINS

O COFINS é um imposto federal incidente sobre a receita bruta de empresas, onde sua sigla indica Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, sendo sua arrecadação dedicada a alimentar os fundos da previdência e assistência social, bem como da saúde pública.

Estão sujeitos a seu recolhimento toda e qualquer Pessoa Jurídica ou equivalentes em classificação na legislação do Imposto de Renda. A empresas normalmente isentas desse tributo são as integrantes do sistema Simples Nacional, como as micro e pequenas empresas além de microempreendedores individuais (MEI).

Como calcular

Antes de mais nada é importante lembrar que calcular o COFINS sem o auxílio de um contabilista tributário ou um software de finanças pode ser uma tarefa um tanto quanto complicada, pois é preciso atentar-se em alguns pequenos pontos que podem fazer considerável diferença no resultado final da tributação.

Independente da atividade exercida pelo empreendimento e da categorização contábil dada às receitas, ele deve ser calculado sobre a receita bruta da empresa, levando em conta o faturamento mensal da mesma. Para os que optarem por um regime não cumulativo, a alíquota aplicada a esse tributo é de 7,6%; para Pessoa Jurídica que opte pela incidência cumulativa, este valor é de 3%.

Para os que estão incluídos no sistema não-cumulativo, normalmente se utiliza o COFINS Parcial e o Crédito Total, em uma alíquota geral de 7,6%; esse valor pode ser alterado no caso tributações específicas ao comércio de combustível e álcool, medicamentos, artigos de perfumaria, veículos, autopeças e bebidas frias, por exemplo.

As empresas optantes devem estar atentas, pois o modelo também permite que estabelecimentos pertencentes ao regime de lucro real ganhem crédito sobre alguns tipos de compras e despesas, o qual pode ser utilizado como abatimento no valor final. O cálculo para esse modelo é resumidamente COFINS PARCIAL – CRÉDITO TOTAL, onde o COFINS parcial é dado pela receita total e a alíquota (RT X AL) e o crédito total são dados pelas compras creditadas e a alíquota (CC X AL)

O cálculo utilizado para quem optou pelo regime cumulativo é representado basicamente por RT X AL, onde RT se refere a Receita Total e AL, a alíquota incidente. Nesse regime, a tributação leva em conta o faturamento mensal.

Como pagar

O pagamento do imposto deve ser realizado sempre pela Pessoa Jurídica matriz, não importante que a empresa possua e/ou administre filiais e outras localidades. Esse pagamento deve acontecer sempre até o dia 20 do mês subsequente ao cálculo tributário.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar