O que é o CET: Custo Efetivo Total

Quer fazer um empréstimo ou um financiamento, mas têm dúvidas sobre o valor real que irá pagar? Entenda como funciona o CET.

O que é o CET: Custo Efetivo Total
Saiba a importância do CET para transações financeiras

As instituições financeiras devem sempre informar o Custo Efetivo Total (CET) aos seus clientes que desejam fazem empréstimos ou financiamentos. Isso acontece porque todas as informações contidas no contrato devem ser explicitadas ao tomador, sendo elas juros, tarifas e encargos. Além do valor em reais exposto em cada operação, deve conter também valor total devido. Saiba mais sobre o CET.

Qual a importância do CET

O Custo Efetivo Total refere-se ao total de encargos a serem pagos pelo cliente em uma operação de empréstimo ou financiamento. Ele mostra de forma clara todas as taxas de juros, tributos, tarifas, gravames, IOF, registros, seguros e demais despesas do contrato.

O CET tem com o principal papel dar maior transparência para o consumidor e informar todos os custos os quais ele irá pagar pela operação de empréstimo. Assim, será possível também fazer uma análise e comparação com outras financeiras para saber qual delas cobrará menos juros no valor final.

Por isso, todas as instituições financeiras devem informar aos seus clientes o CET quando eles assinarem um contrato de empréstimo ou financiamento, assim, o cliente saberá sem dúvida sobre todos os possíveis encargos e juros.

Simulação do CET

O CET deve ser expresso na forma de taxa percentual anual, incluindo todos os encargos e despesas das operações, isto é, ele deve englobar as taxa de juros, tarifas, tributos, seguros e outras despesas cobradas do cliente.

Veja o exemplo de um financiamento:

PRECISA DE CRÉDITO
para
colocar
as finanças em dia?
saiba mais

Valor Financiado - R$ 1.000,00

Taxa de juros - 12% ao ano ou 0,95% ao mês

Prazo da operação - 5 meses

Prestação mensal - R$ 205,73

Tarifa de confecção de cadastro para início de relacionamento - R$ 50,00

IOF - R$ 10,00

Cuidados ao assinar um empréstimo

O CET deve estar contido em todos os contratos feitos por financeiras ou bancos. Por isso antes de assinar um contrato é fundamental dar uma boa analisada nesse tópico, pois ele deve estar de forma clara e bem explicada.

E em casos onde aparecem tarifas sobre as quais o tomador do empréstimo não esteja certo se deve pagar ou não reconheça, é fundamental procurar uma pessoa responsável da financeira para explicar todos esses encargos.

Também é necessário ficar atento ao contrato e aos encargos, como multa e comissão de permanência, que ocorrem no caso de atraso no pagamento das parcelas. Fale com gerente, antes de assinar, para não ter problemas futuros.

Conheça a solução de crédito sob medida para você.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Elisabete Machado Elisabete Machado

Brasileira, natural de São Paulo, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-graduada em Fundamentos da Cultura e das Artes pela Universidade Estadual Paulista. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural e Assessoria de Imprensa.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar