Cerveja artesanal: tudo que você precisa saber

Para quem quer se aventurar no universo cervejeiro, existem uma grande variedade de marcas de cerveja artesanal, para todos os gostos, paladares e bolsos.

Cerveja artesanal: tudo que você precisa saber
Já provou uma cerveja artesanal?

Na esteira do crescimento do mercado para produtos orgânicos, segundo o Sebrae, um dos mais aquecidos no Brasil mesmo em plena recessão, a cerveja artesanal desponta como uma bebida alcoólica para quem busca ir além das conhecidas cervejas industrializadas. De fato, quando feita de forma artesanal, a cerveja ganha em propriedades como sabor, aroma, textura e amargor. Felizmente, no Brasil, já existem inúmeras cervejarias artesanais, que produzem cerveja em escala menor, para atender ao exigente público que não abre mão do sabor e, porque não, de um teor alcoólico um pouco mais elevado.

O mercado de cerveja artesanal anda tão movimentado,que já existem eventos e encontros só para quem se interessa pelo assunto. O 5º Encontro de Cerveja Artesanal em São Paulo, realizado em setembro, reuniu as principais cervejarias artesanais brasileiras. Os participantes puderam saber mais sobre como funciona o mercado, eleger sua cerveja preferida, assistir palestras e workshops, e, claro, degustar as diversas cervejas vendidas por lá. As datas dos próximos festivais e eventos cervejeiros Brasil afora podem ser conferidos aqui.

Tipos de cerveja artesanal

Uma cerveja artesanal é caracterizada pela sua forma de produção mais elaborada, em que os processos também podem ser feitos com maquinário, mas sem uso de conservantes químicos. As receitas para o seu preparo não raro são exclusivas, uma vez que existem inúmeras formas de combinar a mistura de cevada, lúpulo e levedura. Uma vez aprendida a forma básica, incontáveis combinações entre as etapas da produção podem ser rearranjadas, para obtenção de bebidas com sabores bem característicos.

Portanto, a quantidade de tipos de cerveja artesanal se estende às centenas, isso porque a possibilidade de receitas novas estão abertas o tempo todo. No geral, as mais consumidas são do tipo:

  • Lagers - divididas em Pale Lagers, Pilsner, Dark Lager e American Lager e outras, são as mais comuns e as mais consumidas mundialmente. Exemplos: Bohemia Aura Lager, Budweiser, Czechvar
  • Ales - também amplamente consumidas, têm como subdivisão as cervejas Pale Ale, mais claras e leves, que por sua vez são divididas em diversas categorias. Exemplos: Colorado Indica, Leffe
  • Pale Ale - entre as mais produzidas, estão as American Pale Ale, Belgian Pale Ale e India Pale Ale. Exemplos: Bohemia 838, Colorado Berthô.
  • Stout - cervejas escuras e encorpadas, também divididas em diversas subcategorias. Exemplos: Caracu, Wals Petroleum, Bohemia Oito e Um.


Marcas brasileiras de cerveja artesanal

As cervejarias artesanais brasileiras se expandem a olhos vistos, algumas delas premiadas internacionalmente, como a Cervejaria Dama Bier e Bamberg, de São Paulo e a Blumenau, de Santa Catarina. Outras marcas brasileiras de cerveja artesanal conhecidas são Colorado, Eisenbahn, Baden Baden, Morada, Schornstein, entre muitas outras.

Colorado

Foto: Divulgação Cervejaria Colorado

Preço

Os preços das cervejas artesanais varia de acordo com o tipo de cerveja escolhida. As mais baratas podem ser encontradas a R$ 5,90, como a Bohemia Magna Pils, R$ 12,90, no caso da Hoegaarden Wit ou, entre as mais caras, a Leffe Rituel, que sai a R$ 63,00 a garrafa de 250 ml, ou a Wals Brut 750 ml, que sai a R$ 120,00. No site Empório da Cerveja pode ser encontrada extensa variedade, com opções de compra de kits de degustação para quem quiser uma experiência orientada.

Como beber

Ao contrário do que possa parecer, beber uma cerveja artesanal não é o mesmo que uma comum. Afinal, trata-se de uma bebida preparada justamente para proporcionar uma experiência sensorial de paladar e olfato. Não é à toa que existem os sommeliers de cerveja, profissionais especializados em aferir as características de cada marca, como sabor, textura e as condições ideais para se degustar e harmonizar com uma refeição.

Para beber e degustar uma cerveja artesanal, antes de mais nada, é preciso se certificar de que a bebida atende ao gosto pessoal. Se a preferência for por cervejas mais amargas, uma adocicada pode não agradar, e vice versa. A tradicional expressão “estupidamente gelada” também deve ser relativizada, afinal, cerveja em temperaturas muito baixas têm suas propriedades como aroma e sabor prejudicadas. Assim como o vinho, uma boa cerveja artesanal também deve ser sentida pelo olfato, o que torna mais completa a degustação. Também faz parte do ritual de degustação apurar a diferença do sabor percebido ao começar a beber e depois de terminada a cerveja, que poderá ser diferente.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar