Teve a carta contemplada? Veja o que fazer

O momento mais esperado de todo consorciado é ser contemplado. Veja como usar a carta de crédito e se vale a pena comprar a carta contemplada do consórcio. 

Teve a carta contemplada? Veja o que fazer
Carta contemplada no consórcio: como usar e quando vale a pena comprar

O consórcio é uma modalidade de compra muito comum no Brasil e tem a vantagem de não cobrar juros. No entanto, é preciso ter paciência para esperar pela carta contemplada para adquirir o bem pretendido. O consorciado recebe esse crédito quando é sorteado ou faz um lance vencedor nas assembleias mensais.

A carta de crédito do consórcio é um documento que a administradora emite ao consorciado concedendo um crédito para a compra de um bem do valor equivalente ao estipulado em contrato. Isso tanto pode acontecer no início do grupo, como no fim, é uma questão de sorte.

Vantagens e desvantagens de comprar uma casa na praia

O que fazer em caso de carta contemplada no consórcio

O consorciado recebe uma carta de crédito quando é contemplado, seja por lance ou por sorteio. Esse documento dá o direito de usar o valor para a compra de um bem ou serviço, de acordo com o que diz no contrato. O dinheiro será pago pela administradora diretamente para o vendedor do bem.

Quando o consorciado recebe a carta contemplada antes do término do consórcio, é preciso apresentar garantias ao grupo de que irá continuar pagando as parcelas da cota. Por isso é necessário que a administradora faça uma avaliação do cadastro do cotista antes de liberar o crédito. Se tudo estiver bem, o crédito é liberado para ser usado dentro de 45 dias.

Quando é contemplado, o consorciado deve informar a administradora qual será sua opção de compra. O processo é feito formalmente, por meio de um comunicado informando os dados do vendedor do bem e os respectivos documentos comprovativos. No documento devem constar as seguintes informações:

  • Identificação completa do contemplado e do vendedor do bem, com endereço e o número do CPF ou CNPJ.
  • Detalhes do bem ou serviço adquirido, bem como as condições de pagamento acordadas entre o consorciado contemplado e o vendedor do bem ou serviço.

O contemplado poderá optar pela conversão do crédito da carta em dinheiro, mas terá de esperar 180 dias após a data da contemplação. Para isso será necessário também pagar integralmente o débito junto ao grupo, cujo valor poderá ser deduzido do crédito ao qual tem direito.

A lei permite que o consorciado utilize 10% do valor da carta contemplada para pagar as despesas relativas a compra, mas é facultativo. Para quem compra imóvel por consórcio é possível utilizar o saldo da conta do FGTS para complementar o crédito, se o valor do bem for superior ao da carta de crédito.

Como usar seu FGTS na compra de um imóvel

Vale a pena comprar uma carta já contemplada?

Desde que se trate de um negócio lícito e não de fraude, comprar uma carta de crédito contemplada vale muito a pena pois por um lado, não vai pagar os juros que um financiamento teria. Por outro, não vai ter de esperar ser contemplado para ter posse do bem, como seria em uma situação normal de consórcio. A única desvantagem é que não há como prever quando a pessoa que está vendendo a carta está mal intencionada. Por isso é importante tomar muito cuidado.

As administradoras não fazem esse tipo de negócio por não considerarem um negócio seguro. Apesar de parecer um oferta imperdível, quem opta por comprar uma carta contemplada deve tomar alguns cuidados para não ser vítima de fraude.

1. Confirmar se a carta contemplada é verdadeira, ligando para a administradora e perguntando se a carta existe e se a cota do participante já foi contemplada.

2. Conferir se a administradora do consórcio está autorizada pelo Banco Central a funcionar. No site do BC é possível obter essa informação atualizada para download.

3. Ler o contrato do consórcio contemplado, para tomar conhecimento do número total de parcelas e das taxas administrativas.

4. Estar informado sobre a taxa de transferência do consórcio que algumas administradoras cobram, e quem paga a conta.

6. Não se esquecer de conferir as regras para usar a carta de crédito, pois o bem adquirido ficará em garantia da administradora até que todas as parcelas do consórcio estejam pagas.

7. Nunca fazer o pagamento antes de ter a certeza de que todos os dados da cota correspondem ao que foi ofertado. Para isso, evite fechar o negócio pela internet e em caso de negociar com intermediários, exija contacto com o consorciado dono da cota.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Poliana Oliveira Poliana Oliveira

Nasceu em Brasília, cresceu em Goiânia e vive há oito anos em Portugal. Formada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa. Trabalha na área de Marketing Digital. Adora cães, cinema, dança e viagens.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar